sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Chico Modinhas Anti Selecção


Esta é uma foto do Chico Modinhas. Aquele pessoal que vai ao Milhões de Festa curtir um granda psicadélico sem nunca ter ouvido o Dark Side of the Moon duma ponta à outra. São bué do surrealismo, tasjaber, fundo do Windows com Margritte e se lhes perguntarem e derem 5 minutos para irem ao google, já leram todos os livros do Book Depository e contam-vos a sinopse. 

Os hipsters do futebol é que são uma raça da qual ninguém falou.

O hipster do futebol tem o seu football manager. Se for benfiquista, esse hipster é a favor da venda do Artur, Luisão, Maxi ou Cardozo para dar oportunidades ao Bernardo Silva, ao Mitrovic, ao Cancelo e ao mosqueteiro da equipa B, o Harramiz. Em todas as alturas de mercado, o hipster entra em acção e apresenta uns quantos nomes que acha que o seu clube deve pirilar. Quando o Freddy Adu assinou pelo Benfica, o hipster foi ao restaurante de Sushi mais próximo e na loucura enfardou 3 caixas para celebrar. Depois passou a noite toda na casa de banho a meter os dedos na goela para não engordar.

Está na moda não gostar da selecção nacional. Eu também já fui assim, admito, fazia-me confusão ver o Liedson ou o Deco com a camisola da selecção e então pura e simplesmente ignorava os jogos da selecção até às fases finais. Depois rejubilava, gritava os golos na mesma, mas era uma sensação estranha e hipócrita, tendo em conta que sempre que tinha oportunidade, falava mal da nossa selecção.
A selecção tem uma data de podres a começar no seu presidente Nandinho das Facturas, passando pelos lobbies dos empresários e acabando no Ruben Micael. Concordo plenamente. É triste ver a selecção com aquele pateta a titular. Muito triste, admito.

Cheguei há coisa de um ano à conclusão que estava a ser um grande pateta. Numa epifania ao nível da que o Sporting teve com o Godinho Lopes, percebi que estava a ser, mais uma vez, hipócrita. Porquê? Eu sou benfiquista. O que é que isso tem a ver? Passo a explicar...

No Benfica o presidente Vieira é um trafulha. Faz milhões à custa do clube com as suas empresas de construção. Manda jogadores emprestados para poder participar nas obras do estádio do clube que acolhe os jogadores. Compra jogadores de qualidade mais que duvidosa, que fazem com que os melhores jogadores muitas vezes tenham que ser vendidos por precisar de dinheiro e que fazem com que os jovens mais talentosos da academia muitas vezes não possam despontar na equipa principal. Manipula os estatutos do clube em seu favor. As assembleias são uma palhaçada com ele ao telemóvel. Enfim, podia estar aqui a enumerar vierices até ser segunda-feira.

O Vieira faz o Benfica? Não. Eu continuo a gostar do Benfica. Continuei a gostar do Benfica na altura do Vale e Azevedo. Continuei a gostar do Benfica com o Jorge ou José Soares a titular. Continuei e continuarei a gostar do Benfica sempre...

No Porto e no Sporting é igual. No Porto ninguém deixa de ser do Porto mesmo tendo o clube um presidente trafulha. No Sporting, nem com o Godinho Lopes ao comando os adeptos abandonaram o clube.

Então, caros amigos, expliquem-me, porque é que vocês (ou eu) um dia deixaram de apoiar a selecção? Porque são estúpidos. Eu fui estúpido e entretanto fez-se luz - a Luz é tão bonita, tanto cimento nunca fez tanto sentido. Se permitimos tudo e mais alguma coisa ao nosso clube, temos que permitir a mesma coisa à nossa selecção e apoiá-los mesmo sendo a federação uma esterqueira imensa, mesmo tendo que gramar com o Ruben Micael ou com outros quantos ódios de estimação que tenhamos a titulares, mesmo tendo que gramar com uma família de avecs a gritar nas bancadas "Jean Michel vien ici arrete" enquanto vos derrama com as pipocas e a coca-cola para cima. 

Toca de ganhar à Suécia. Quero ver-vos a gritar GOOOOOOOOOLOOOOOOOOOOOOOOOO da selecção hoje. Um abraço e Viva Portugal!

10 comentários:

  1. G'anda poste! E o Ruben Micael não jogou!! \o/

    ResponderEliminar
  2. Tens razão, mesmo quando o Rui Baião jogava a titular no Benfica e eu tinha graves crises de diarreia em consequência disso, nunca deixei de apoiar o meu clube. A selecção é o mesmo, apoiar sempre. (mas fodasse levar o micael?)

    ResponderEliminar
  3. confesso que ontem ainda larguei um foda-se quando entrou o Josué e depois ri-me estilo Nelson dos Simpsons quando ele fez aquele remate para Almada

    ResponderEliminar
  4. ganda post!
    Malta vai uma troca de links nas nossas páginas?
    abraço

    ResponderEliminar
  5. Este post só faz sentido se se entender que a selecção representa o país Portugal. Ora, no meu entendimento, a selecção apenas representa a FPF, logo não dou credibilidade à tese do post.

    ResponderEliminar
  6. a selecção representa os interesses da FPF e de quem a controla, toda a gente sabe disso. No Benfica há no presente e sempre houve no passado inúmeros dirigentes que fizeram tudo menos representar os benfiquistas. Vê por exemplo os negócios do Ovchinikov ou mais recentemente Roberto ou Pizzi. No Porto a mesma coisa. O Porto ainda há pouco tempo foi alvo de uma investigação de jornalistas franceses sobre o Mangala.
    A selecção representa o país, mesmo que muitas vezes eu ou tu não nos sintamos representados. Toda a gente sabe que o Adrien merecia ser convocado em vez do Josué ou do Ruben Micael. Qualquer gajo com olhos vê que muitos jogadores da selecção estão num momento de forma deplorável e só lá estão por influências externas. A cena é que eles estão mesmo a representar o nosso país. No estrangeiro ninguém sabe destas coisas e quando olham para a nossa selecção vêem o nosso país, logo eles representam-nos. Eu apoio a nossa selecção mesmo tendo consciência de todo o lamaçal em que ela se movimenta.

    ResponderEliminar
  7. Eu estou-me a foder para a selecção porque é uma puta de uma razão para me virem com a nojeira do nacionalismo para cima e se há merda que realmente me enoja é o nacionalismo. Seja o nacionalismo daqui seja o nacionalismo do vanuatu. O nacionalismo é a coisa mais asquerosa que a história intelectual da humanidade já produziu. Antes da virgem do caravaggio e do sargentão, a equipa de Portugal aparecia como uma grupo simpático de bigodes - quando já não eram o jogadores eram os treinadores - que armava grandes lutas de classe em campo ( tipo Damas e Galrinho Bento a serem torpedados ) ou vá lá embarcava num nacionalismo benévolo - porque minoritário - à Byron como foi o Euro 2000 ou aquele melhor (quase) golo de sempre do João Pinto ao Kopke com o Gabriel Alves a delirar. Não papo terapias de grupo nacionalistas à conta da bola e a selecção desde o asco do euro 2004 é isso mesmo. Isso e a histeria em torno do caso ronaldo/blatter ou do atentado a Portugal do perfil de Ronaldo nos finalistas da bola de ouro. E para além desta baba nacionalista que me enoja ainda há outra coisa que é o facto de não gostar dos jogadores que se acham demasiado bons. Ver o Jaime Pacheco todo cagado e a espumar de raiva com a camisola da selecção talvez ainda me fizesse gritar pela equipa. Agora ver Veloso a ajeitar a melena, o J. Pereira a ladrar como um caniche ou o Ronaldo a posar para que lhe tirem fotografias aos biceps depois de fazer um golo...epá. O meu clube é o Benfica e a minha selecção também é o Benfica. E se alguém me chamar hipster leva um potapé nos entrefolhos.

    Tiago

    ResponderEliminar
  8. AHAHAHAHA Foda-se isto sim foi uma buja.
    Grande, Tiago.

    SÃO OPINIÕES. ÉS UM HIPSTER. ANDA CÁ À PORRADA, ANDA.

    ResponderEliminar
  9. Aos hipsters, quando os vejo, como-lhes as orelhas.

    Tiago

    ResponderEliminar