quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Banik Ostrava: Cortar o mal... Pela raiz

Estes são os resultados na presente época desportiva do Banik Ostrava, clube da 1ª divisão da Rep.Checa:

25/07/15 Zbrojovka 2 - 1 Banik
01/08/15 Sparta Praga 3 - 1 Banik   

08/08/15 Banik 2 - 2 Mlada Boleslav   
15/08/15 Zlin 2 - 0 Banik   
22/08/15 Banik 1 - 3 Slavia   
27/08/15 Jiskra Rýmařov    4 - 3 Banik
<- este foi para a taça. Os outros são da 4ª divisão :)


Yep. São jogadores do Banik Ostrava a cortar ervas daninhas e mato nas imediações do estádio da equipa. Parece que o treinador se fartou de lhes dar palmadinhas nas costas e em vez de treinar tácticas de organização defensiva, passou a treinar tácticas de prevenção de incêndios não vão os sócios passarem-se dos carretos.

Por cá lembro-me assim de repente da SMS que um certo jogador do Benfica mandou ao Jorge Jesus

"mister, isto desde que saiu tem sido um descanso..."

Rui Vitória, se me estiveres a ler, eu sei que não há muito mato à volta do Estádio da Luz mas olha que no Monsanto...

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

FC Midtjylland 2015 - Matemática Brutal

FC Midtjylland
 ...Matemática brutal foi o caminho escolhido para esmagar o Brondby e o FC Copenhaga


Mas que raio se passa na Dinamarca? Que revolução é esta de Rasmus Ankersen? Um puto um nadinha mais velho que eu, com 32 anos, chega a Herning, cidade que alberga o FCM e que tem pouco mais de 40 mil habitantes, é nomeado presidente do clube e em ano de estreia faz do FCM campeão dinamarquês pela primeira vez na sua história. E fez isto sem precisar de nenhum Valentim Loureiro! O método? Reunir um Evereste de dados estatísticos e tomar as principais decisões com base na análise dos mesmos. A emoção fica para os humanos.

Mas como é que um puto de 32 anos chega a presidente dum clube? Matthew Benham é um milionário britânico que fez fortuna à pala das apostas. Lá os apostadores não são criminalizados como em Portugal e Benham era um gajo que sabia da poda. Aproveitava-se dos erros dos bookies para lucrar com o seu método que envolvia análise de dados dos jogos em que apostava e profundo conhecimento sobre os desportos. Benham ficou amigo de Ankersen depois de ler o seu livro "The Gold Mine Effect". Depois de adquirir o Brentford em 2012, Ankersen aconselhou Benham a investir no FC Midtjylland depois de lhe ter explicado que as pessoas deste clube estariam disponíveis para mudar e para abraçar um projecto diferente de tudo o resto. Benham não hesitou, comprou uma parte do FCM e nomeou Ankersen presidente do clube. Depois de ver que Ankersen levou sucesso ao FCM, Benham nomeou-o responsável pela contratação de jogadores e treinadores para o Brentford.

E a experiência começou assim...

Ankersen contratou uma data de analistas para se debruçarem sobre todos os dados em torno do clube. Estatísticas de jogadores do clube, estatísticas de jogadores alvo no mercado, estatísticas dos adversários - tudo e mais alguma coisa! Montou um laboratório para bolas paradas com reuniões mensais do plantel (incluindo treinadores e o próprio Ankersen) e grupos de trabalho para trabalharem em conjunto esta parte do jogo. Chegou a contratar um preparador especialista apenas na técnica do remate para aumentar a eficácia dos jogadores. Resultado? Média de quase 1 golo por jogo através de bolas paradas. Houve jogos em que chegaram a marcar 4 golos todos de bola parada... Isto é brutal mas a direcção do clube não embandeirou em arco e nunca excluiu que tudo aquilo poderia ser... Sorte.

"A nossa classificação na liga mente. Nós estamos em 1º lugar mas nós só nos podemos considerar bons quando o nosso modelo disser que somos bons"




E que modelo é este? Certamente que há uma filosofia para o jogo mas falando de gestão, Ankersen criou um modelo para o FCM inspirado no método com que Benham batia as casas de apostas. Benham sempre fez uma coisa que nós aqui no bujas também gostamos de fazer: imaginar equipas de outras ligas a jogar, por exemplo, na Premier League. E este ranking de clubes ajuda-os a contratar jogadores para o FCM, jogadores que na opinião deles poderiam jogar num nível superior ao da liga dinamarquesa sem problemas. Um exemplo? Tim Sparv, médio defensivo que alinhava no Greuther Furth da 2ª divisão alemã.

Sparv não tinha dados estatísticos que fundamentassem a sua contratação. Então... Porquê contratá-lo? Sparv alinhava no Greuther Furth, um clube que segundo o modelo de Ankersen podia disputar a Premier League Inglesa. O Greuther Furth tinha jogado na Taça contra clubes da 1ª divisão alemã e, estabelecendo a ponte entre clubes de topo alemães e as suas exibições contra equipas inglesas nas competições europeias, era possível chegar à conclusão que o Greuther Furth faria boa figura em Inglaterra. Se Sparv não fazia cortes espectaculares e não tinha estatística relevante em tackles, disputas de bola, então isto só podia significar que Sparv estava a chegar antes do adversário aos lances. A ausência de estatística, num médio defensivo, pode revelar excelente posicionamento e que as coisas estão a ser bem feitas. 

Se o FC Midtjylland tem menor orçamento que o Copenhaga ou que o Brondby, então acertar nas contratações torna-se fundamental para os superar. Os olheiros do FCM não vão ver jogos ao vivo dos jogadores que o clube quer contratar. A direcção em vez de compilar um relatório de 3 ou 4 jogos ao vivo de um atleta prefere observar dezenas de jogos em vídeo, numa posição em que é muito menos provável errar do que estando num estádio, com todo o ambiente a condicionar a avaliação do atleta. A função dos olheiros é apenas descobrir posteriormente, depois de se definir o alvo, se os jogadores estão aptos mentalmente para jogar no FCM e se o seu comportamento fora dos relvados é o que um atleta de topo deve ter.

Esta política de contratações e o laboratório de bolas paradas é apenas uma pontinha que Ankersen deixa revelar sobre o seu modelo para o Mitdjylland. Em 2015/16 o FCM, campeão em título, segue em 1º lugar com 7 pontos de avanço para o Brondby e 8 pontos para o Copenhaga. O maior feito da época, até agora, foi eliminar o Southampton (1-0, 1-1) no apuramento para a fase de grupos da Liga Europa.


quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Porque é que a Premier League não é a melhor liga do mundo?


Só um parvo ou um tolinho acreditaria que conseguiria jogar melhor à bola do que o Thierry Henry ou o Alessandro Nesta. Eles são simplesmente diferentes de qualquer pessoa normal. São atletas soberbos abençoados com técnica e atributos. Treinador é outra conversa: qualquer um se imagina como treinador. Aliás, todos nós poderíamos representar o papel de um já que os traços necessários são mentais e não físicos. A abilidade de um Gerard Houllier ou de um Alberto Zaccheroni está escondida da nossa vista, tal e qual como o trabalho que eles fazem. O trabalho de um treinador é uma vez revelado: nós só vemos o reflexo dele no campo e esse reflexo é canalizado através de 11 homens. 

Em Itália ser treinador é visto como uma profissão que necessita de estudo e aprendizagem. Em Inglaterra, por outro lado, parece que muitos encaram a abilidade para se gerir e treinar como algo inato, não como algo que necessite de ser aprendido, quer seja por uma experiência em clubes de ligas inferiores ou até por cursos de treinador. 

Nos últimos 10 anos estrangeiros têm gerido os 5 principais clubes ingleses (78% de treinadores estrangeiros). A Itália produz mais treinadores de topo que a Inglaterra. Porquê? Sempre pensei que fosse pelo caminho escolhido para se chegar ao lugar de treinador de futebol.

O background não é muito diferente. Normalmente os treinadores costumam ser antigos profissionais e alguns deles até antigos internacionais pelas suas selecções. Uma das grandes diferenças entre Inglaterra e Itália tem a ver com o momento em que se tornam treinadores de topo. Enquanto que em Itália, na maioria das vezes, têm que fazer uma longa aprendizagem, em Inglaterra chegam a essas posições muito novos e para quem vê de fora, chega a ser chocante a própria ideia do player-manager. 

Em média um treinador italiano tem que passar 7 anos em divisões inferiores enquanto que um treinador inglês, quanto muito, passa 3 ou 4 anos. Isto prova que os clubes em Inglaterra investem pouco na experiência dos seus treinadores.

                                                              Gianluca Vialli / Gabriele Marcotti - The Italian Job (2013)

Porque é que a Premier League, indubitavelmente a liga que melhor espectáculos nos oferece, não é a melhor liga do mundo? Porque é que as selecções inglesas, apesar dos seus jogadores jogarem ao lado dos melhores do mundo, não ganham nada? Porque é que os clubes ingleses na Europa são humilhados?

Liga dos Campeões:
2014/15 - Zero equipas nos QF da Champions
2013/14 - Chelsea nas meias. Man Utd eliminado facilmente pelo Bayern nos QF. Chelsea borrou a cueca para eliminar o PSG. Eliminados pelo Atletico nas meias.
2012/13 - Zero equipas nos QF da Champions
2011/12 - Chelsea campeão Europeu a praticar um futebol horrivel. Única equipa inglesa que consegue nesse ano passar aos QF
2010/11 - 3 Equipas nos QF e Man Utd na final. Man Utd vulgarizado por super Barça na final
2009/10 - 2 Equipas nos QF. Zero nas meias.

Liga Europa (não vale a desculpa dos clubes ingleses não se interessarem por esta competição... Os alemães, italianos, franceses e espanhois também rodam o plantel):
2014/15 - Zero equipas nos QF da LE. Everton goleado pelo.. Dinamo Kiev 5-2 nos oitavos
2013/14 - Zero equipas nos QF da LE. Benfica passeou frente ao Tottenham nos oitavos. Wigan ultimo num grupo com Zulte Waregem, Maribor e Rubin Kazan
2012/13 - 3 equipas nos QF. Benfica elimina facilmente Newcastle nos QF. Basileia elimina Tottenham nos QF. Chelsea ganha a final injustamente ao Benfica
2011/12 - Zero equipas nos QF. Man City eliminado pelo Sporting nos oitavos.
2010/11 - Zero equipas nos QF. Man City eliminado pelo Dinamo Kiev nos oitavos. Liverpool eliminado pelo Braga nos oitavos. Aston Villa eliminado pelo Rapid Viena no playoff
2009/10 - 2 equipas nos QF. Fulham perde a final para o Atletico. Benfica humilhou o Everton na fase de grupos (5-0 na Luz)

2 Titulos Europeus em 12 edições das 2 provas. Ambos conquistados pela mesma equipa: Chelsea. 


Vamos às selecções?

Mundial 2014 - ultimo lugar no grupo atrás de Costa Rica, Italia e Uruguai (1 ponto realizado... 0-0 com a Costa Rica)
Euro 2012 - Eliminados pela Italia nos QF
Mundial 2010 - Passaram à rasca em 2º lugar, com 5 pontos, num grupo com EUA, Eslovenia e Argelia. Vulgarizados pela Alemanha nos QF 4-1
Euro 2008 - Não passaram a fase de qualificação... Ficaram em 3º no grupo com os mesmos pontos de Israel e atrás da Russia e da Croácia
Mundial 2006 - Eliminados por Portugal nos QF
Euro 2004 - Eliminados por Portugal nos QF

E os jovens? Nao ganham um Euro sub-21 desde 1984. Nunca ganharam um Mundial sub-20

Mundial sub-20:
2015 - Não se qualificaram
2013 - ultimo lugar num grupo com Iraque, Chile e Egipto (épico)
2011 - Ficam em 3º lugar no grupo mas sao repescados para os oitavos. Perdem com a Nigeria nos oitavos
2009 - ultimo lugar num grupo com Gana, Uruguai e Uzbequistao
2007 - Não se qualificaram

Euro sub-21:
2015: ultimo lugar no grupo de portugal
2013: ultimo lugar no grupo da Italia, Noruega e Israel
2011: 3º lugar no grupo da Espanha, Rep.Checa e Ucrania
2009: Perdem a final com a Alemanha... 4-0
2007: Vão às meias finais mas são eliminados pela Holanda


Dá que pensar, não dá? 

Cada milhão gasto por um clube inglês é só mais uma flor no cemitério de talentos em que este país se tornou. 

terça-feira, 25 de agosto de 2015

Na Madeira moram 2 craques!

Enquanto não sai o Guia Ai Vale Bujas 2015/16 (como somos sérios só vai sair na semana de selecções, já com os mercados fechadinhos) deixamo-vos com um lamiré do que podem encontrar na selva que é a nossa 1ª Liga de Futebol.

Trazemo-vos duas pérolas que vão espalhar magia nos relvados deste nosso Portugal!

OVERATH BREITNER DA SILVA MEDINA


Overath Breitner nasceu em Barcelona, na Venezuela, uma cidade costeira a meio caminho entre o falecido Hugo Chavez (Caracas) e o craque Russel Latapy (Trinidad & Tobago). Muito antes do nascimento já os pais haviam sentenciado ao seu rebento uma vida na Via Láctea do futebol. O estrelato estava destinado a Overath Breitner e, dois anos mais tarde, nascia o seu irmão Roberto Prosinecki da Silva Medina. 
Podemos afirmar que os pais de Overath Breitner e de Roberto Prosinecki tinham bom gosto. Se o primeiro rebento tinha o nome dos craques alemães vencedores do Mundial '74, Wolfgang Overath e Paul Breitner, o segundo, Roberto Prosinecki, glorificava o astro dos balcãs Robert Prosinecki que representou as selecções da Jugoslávia, Croácia e espalhou magia em vários clubes de topo em Espanha. 

Que sejas bem vindo à 1ª Liga e ao histórico União da Madeira! Parabéns pelo golo na 1ª jornada no derby com o Marítimo!

PATRICK VIEIRA


Patrick de Oliveira Vieira nasceu em Machado, Minas Gerais. Se quiserem visitar esta linda cidade é muito fácil. Apanham um avião para Belo Horizonte, em Belo Horizonte alugam carro e saem da cidade. Apanham a estrada 381 como se fossem para Carmopólis, passam Santo Antônio do Amparo e a seguir a Perdões viram à direita para Cana Verde. Depois de Cana Verde é seguir por Campo Belo, Mococa, Capão, Boa Esperança e antes de Mota têm que virar à direita para a 369 rumo a Campos Gerais. Só Em Alfenas, depois do grande cruzamento com a 491, se vai apanhar a MG-179 para Machado. Como vêem é fácil ir lá passar férias! São só 5 horas a conduzir (se não apanharem camiões do gado) desde Belo Horioznte. O sítio mais próximo com hotel é Alfenas e aposto que se vão divertir muito com as gentes locais. Pão de queijo, canjica e muita Skol para matar a sede! 

O rapaz é lateral direito e chega para discutir a titularidade com o sobrinho do presidente Carlos Pereira... O Briguel. 
 
 

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Nós acreditamos no 15 a zero!

Quem acompanha este blog sabe da admiração que existia pelo trabalho de Jorge Jesus. Essa admiração esfumou-se no dia em que foi assassinado o contrato que ele mantinha com o Benfica. Treinando o rival, o nosso rival Sporting, essa admiração dava lugar a um reconhecimento pelo seu indiscutível valor, mas nunca admiração pelo seu trabalho. 


Na noite em que soube do assassinato do contrato não consegui dormir como um trabalhador contribuinte do estado deve dormir. Dormi mal. Virava-me para um lado, virava-me para o outro, pensava em nomes para o lugar de Jorge Jesus e vinha-me à cabeça o nome do Rui Vitória... O sono tardava em chegar. Será que o Vieira me surpreendia? Será que o Vieira, que tem um historial péssimo na escolha do treinador, ia acertar desta vez?

Chegou o Rui Vitória e eu já conseguia adormecer bem. Fui a correr comprar o livro do homem, li aquilo enquanto o diabo esfrega um olho, depois daquela maravilhosa apresentação vibrante de benfiquismo, com um mini cortejo de benfiquistas a segui-lo enquanto ele passava pelo nosso grandioso Museu Cosme Damião, gritando "Vitória! Vitória! Vitória!". Bastaram aqueles momentos para me render ao novo treinador. O homem até tinha feito um bom trabalho no Vitória de Guimarães... É deixá-lo trabalhar - pensava eu. 

Chegou a pré-época e desculpei-lhe tudo. Os milhões que entraram nos bolsos do Benfica e o prestígio que se ganhou por andar a carregar o nome do Benfica pelas américas foram mais importantes do que uma preparação pensada com o objectivo de preparar a equipa física e animicamente para uma nova realidade. A culpa disto não era do Vitória, raios! 

Chegaram os primeiros jogos oficiais e o que pudemos vislumbrar do trabalho do Vitória? 
- A defesa desaprendeu. Péssima transição defensiva, péssima organização defensiva. Isto é treino, amigos, o que me leva a crer que o trabalho que está a ser desenvolvido a este nível é duma qualidade muito suspeita. 
- O ataque desaprendeu. Para Rui Vitória importa ter muita intensidade! Foram feitos quase 60 cruzamentos no jogo contra o Arouca e cerca de 30 remates. Isto é, sem dúvida, intensidade. Mas ao mesmo tempo é muito mau sinal. É sinal que agora o que importa não é o jogador decidir bem mas sim visar a baliza nem que a probabilidade de fazer golo seja 2%. 
- Em 2015, fazer quase 60 cruzamentos num jogo é sinal de que:
a) a equipa deu tudo o que tinha animicamente e correu que se fartou
b) foi fácil chegar ao último terço
c) não se soube o que fazer com a bola no último terço
d) quando se têm 3 jogadores numa ala, em inferioridade numérica, e 3 jogadores plantados, estáticos, na área, também eles em inferioridade numérica, a única solução é mesmo cruzar
- Júlio César está a ser o que Preud'Homme já foi
- Nelson Semedo e Lisandro mostram potencial mas só vamos saber se o cérebro consegue corrigir as debilidades posicionais se o cérebro de Rui Vitória também for capaz de corrigir debilidades posicionais da equipa



Eu acreditei que o Benfica podia dar a volta à eliminatória de Vigo. Eu acreditei que o Benfica podia ser campeão com o Artur Jorge, com o Autuori, com o Souness, com o Camacho, com o Quique, com o Koeman e com outros que tais. Eu acreditei que o Peixe, o George Jardel e o Anderson Luís eram os reforços de que o Benfica precisava naquele ano. Eu acreditei que o Glen Helder vinha para se assumir como a principal estrela do futebol nacional. 

Eu acredito no Benfica do Rui Vitória. A razão para acreditar é o último parágrafo antes deste.


quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Tutoriais para Totós Nº8 - Os milhões do Vieira

Parece que o Vieira anda com algumas dificuldades para dar as mesmas condições ao Rui Vitória que deu ao Jorge Jesus. Nós aqui no Bujas não queremos que falte nada ao novo treinador do SLB e por isso avançamos com um tutorial para a estrutura do Benfica aproveitar se quiser. 

Vamos aos números! Quanto dinheiro temos para gastar? Ora bem... Vamos lá a ver as vendas que já realizámos à pala do Seixal: Cancelo + Bernardo Silva + André Gomes + Ivan Cavaleiro = 60 milhões de euros. Ora o câmbio actual diz-nos que 1 milhão do Vieira vale mais ou menos 20mil contos moeda antiga. Para os mais pequeninos eu explico. 20 mil contos são 100mil euros, noves fora, temos portanto 6 milhões de euros para gastar. Estamos entendidos? 

Baliza - O Rui Vitória é um cagão e continua a apostar no Velhinho da Paragem. Nós aqui no bujas achamos que os gordos têm que ir à baliza e que no futebol moderno não há espaço para Guarda-Redes à antiga - daqueles que se for preciso metem bonés na cabeça em tardes solarengas da nossa Primeira Liga. A solução passa por apostar na prata da casa, claro está! Adel Taarabt. É gordo e joga bem com os pés. Tem tudo para ser um excelente GR/Líbero. Só precisamos de gastar dinheiro num bom treinador de GR que o ensine a de vez em quando defender um patardo de longe ou a apanhar uma bola num cruzamento, se bem que as oportunidades contra a nossa equipa vão ser tão escassas que se calhar mais valia poupar o dinheiro.
Solução: Grátis! Contratar o Peter Rufai para ensinar o Taarabt a defender minimamente. O Peter Rufai foi colega do Hajry e do Hassan no mítico Farense do Paco Fortes portanto ele deve dar-se bem com marroquinos.



Lateral Direito - Fartei-me de pensar num gajo que sirva para secar o Brahimi e o Bryan Ruiz. Só me vem à cabeça o nome do antigo Papa Ratzinger. O gajo sempre que começava a falar no Vaticano dava-me uma moleza do caraças. A solução passa por metê-lo encostado à linha a falar sobre a vida com os extremos esquerdos adversários. Acho que é remédio... Santo. Temos é que ter cuidado com a falta de mobilidade do homem, não vá o menino esquecer-se de subir para meter o resto da malta em fora de jogo. Temos portanto que contratar um bom preparador físico que faça com que este velhinho de 88 anos consiga fazer 1 ou 2 sprints por jogo... Ou então contrata-se uma cadeira de rodas eléctrica, só não sei se a liga autoriza.
Solução: Baratuxa! Se a liga autorizar: Ratzinger mais cadeira de rodas eléctrica. Se a liga não autorizar vai-se buscar o Carlos Lopes ao atletismo do Sporting para treinar o Ratzinger. 



Lateral Esquerdo - Tem que ser um jogador insuspeito. Um gajo que chegue e toda a gente aplauda. Uma contratação na mouche. Aquele gajo que chega e um gajo diga "é mesmo isto!". Um lateral com bom toque de bola, com margem de progressão para termos o problema resolvido para muitos anos, se possível um gajo que ja tenha até sido extremo ou que tenha pisado terrenos mais ofensivos. É pá que dizem do Nii Plange?
Solução: Nii Plange. 



Defesas Centrais - A defesa de betão. Não é fácil encontrar hoje em dia centrais bons a sair com bola no pé. Bons no primeiro passe, com visão para descobrir uma solução entre linhas que parta ao meio a equipa adversária. Eu acho que aquela ideia de central alto e espadaúdo, à Tonel, está completamente ultrapassada. Sugiro dois centrais que sejam capazes de se for preciso jogarem à rabia com os avançados adversários. Que joguem à rabia sob pressão adversária! O João Vieira Pinto já pendurou as botas portanto eu acho que os melhores jogadores para centrais do Benfica seriam o Matias Fernandez (que é tipo Aimar, mas mais rato...) e o Valdivia. Ainda por cima são os 2 chilenos e iam trazer bom ambiente ao balneário. Ainda por cima, chilenos assim de repente, só me lembro do Uribe e do Escalona e estes gajos são muito melhores que o Uribe e que o Escalona logo, no tribunal da Luz, estariam logo aprovados à partida.
Solução: Valdivia e Matias Fernandez. Temos 6 milhões para gastar... Fácil.



E diz o Forum SCP:








Médio Defensivo - O melhor jogador do mundo aka Fernando Alexandre.



Médios Box-to-box - Os carregadores de piano. Se são carregadores de piano têm que ter aspecto de homens das mudanças. Musculados, boa preparação física para subir e descer escadas o dia todo, para mandar uma cotovelada bem assente de vez em quando, para ganhar os duelos individuais... É pá podia ser o Marco do Big Brother, mas isso não seria dar ao Rui Vitória as mesmas condições que se deram ao Jesus. Eu digo sem medos: José Aldo e Connor McGregor. Seriam uns valentes médios... Boxe to boxe. Get it? Boxe... Box to box. Porrada. Hehehehe
Solução: contratar o José Aldo e o Connor McGregor.



Extremos - Toda a gente sabe que são os extremos que ganham os campeonatos. Dois nomes sonantes para esta posição e o tri-campeonato estaria no bolso. Vamos lá a pensar num gajo rápido, criativo, boa finalização, capacidade para brilhar a um nível internacional, bom no mergulho. Estão a pensar no mesmo que eu não estão? Zezé! Zezé Camarinha, foda-se! E o outro? Não têm aí nenhum amigo que esteja com um rendimento em Erasmus bastante acima da média? Será que o Renato do Bruno Aleixo se safa?
Solução: Zezé Camarinha e um amigo vosso de Erasmus



Ponta de Lança -  Não sei se já repararam... Mas a minha equipa é simétrica. Ora bem, se é simétrica, precisei de pensar num ponta de lança gordo como o nosso guarda-redes. Não foi difícil chegar ao nome do nigeriano Adebayo Akinfenwa. É um velho conhecido aqui do blog e toda a gente, no mundo inteiro, anseia por ver este menino disputar a Champions League. Um craque na arte de mandar abaixo hamburgas (só os maricas é que escrevem hamburguer)
Solução: Contratar o Akinfenwa ao Wimbledon