sexta-feira, 2 de maio de 2014

EUROPA Meia Final 2013/14 2ª Mão



Juventus 0-0 Benfica

Eu sofri no passado com a ansiedade e até o pânico. Este ano não vi o jogo com o Sporting na Luz até ao fim, tive que ir vê-lo para casa com um copinho de água a acompanhar. Não vi o jogo com o Porto no estádio pelos mesmos motivos. Estive lá meia horinha e depois fui ver a 2ª parte para casa. Apetece-me gritar a plenos pulmões: "ESTOU CURADO, OBRIGADO BENFICA!". Se eu não senti isso ontem ou no 3-1 ao FCP, do André Gomes, então se não estiver curado estou lá perto. Há truques. Claro que há truques. Ontem ao intervalo fui arrumar toda a loiça que estava lavada e dentro da máquina. Depois, não satisfeito, ainda lavei a loiça toda que estava por lavar. Acalmei. Fez-me bem. Demorei exactamente 15 minutos nesta tarefa. Cheguei ao sofá ainda o senhor Mark Clattenburg não tinha apitado para o início da 2ª parte.

Este jogo é muito difícil de analisar até porque para o analisar teria que o ir ver pelo menos mais umas 3 ou 4 vezes. Acho que mesmo à 4ª visualização iria sempre ficar com arrepios na espinha sempre que o Pirlo fosse pegar na bola para marcar um livre ou um canto. Isso tolda a razão a uma pessoa. O que retenho é que o Benfica foi praticamente perfeito na defesa. Demonstrou uma enorme raça. Pecou um pouco pela forma como decidiu no último terço, já que conseguiu chegar bem inúmeras vezes ao espaço defensivo dos italianos. Ficou-me a sensação, pelos 15 minutos iniciais em cada parte, que o Benfica poderia ter passado esta eliminatória de uma forma mais tranquila. Mas se fosse mais tranquilo não era à Benfica.

Esbocei dois sorrisos durante o jogo todo. O primeiro foi quando o Siqueira tentou um chapéu ao Buffon do meio campo. O segundo foi quando o árbitro apitou para o final. Apitou para o final e para a final... É inesquecível. Estamos lá duas vezes seguidas! Esta equipa merece tudo. Tudo. Não gosto de festejar contra ninguém, gosto sempre de festejar pelo Benfica, mas deu-me um gozo enorme ver o Conte na sala de imprensa, completamente aziado, a queixar-se das arbitragens. Um juventino a queixar-se de arbitragens. Isso mesmo e tudo o resto transformam este jogo num épico do futebol. 

A história escreve-se pelas vossas botas. Camões é Benfica. Escreve-me uns Lusíadas, Benfica! Escreve-me uns Lusíadas! 

Vereis amor da pátria, não movido
De prémio vil, mas alto e quasi eterno;
Que não é prémio vil ser conhecido
Por um pregão do ninho meu paterno.
Ouvi: vereis o nome engrandecido
Daqueles de quem sois senhor superno,
E julgareis qual é mais excelente,
Se ser do mundo Rei, se de tal gente.
                                                                  Canto I, 10, Os Lusíadas

Sem comentários:

Enviar um comentário