domingo, 15 de dezembro de 2013

O bem que faria um Benfica campeão

Não, este não é mais um texto onde o autor vai defender a importância de ver o Benfica campeão só porque é ‘bonito’ ter um Campeonato com diferentes vencedores, ano após ano, um Campeonato que possamos defender como competitivo. Na verdade, como Benfiquista que sou (e todos sabem disso, escusam de vir os comentários a chamar-me Benfiquista, como se isso me ofendesse), estou pouco interessado em quem ganha o Campeonato se não for o meu Clube. Emocionalmente, entre um FC Porto campeão e um Sporting campeão, venha o diabo e escolha...

«onde é que eu já li isto?»

Peço desculpa, caros leitores, estava só na palhaçada.

Deixem-me falar-vos sobre os benfiquistas antes de iniciar a viagem ao cerne da questão. O benfiquista é um adepto português - uau, a sério, de certeza que não é do Burkina Faso? Também há benfiquistas no Burkina Faso. Tenho a certeza. Somos para cima de 6 milhões e quase tre-zen-tos mil sócios. Infelizmente este recorde do guiness não chega para encher metade da Luz de 15 em 15 dias ou seja, praticamente nem 10% dos sócios vão à bola e, certamente, a percentagem de benfiquistas que vai à bola ronda os 0% . Sim, se somos para cima de 6 milhões façam as contas e vão chegar a essa estrondosa conclusão. Abram então os confetis, têm todos participado imenso na construção do Benfica que idealizam e acho que se justifica uma festa pelo que o Benfica, clube, conseguiu atingir nos seus quase 110 anos de história. Perdão. Reformulo. Faça-se a festa pelo estado em que o Benfica se encontra em 2013. É que a celebração do passado justifica-se, a do presente nem por isso. Mas há uma coisa que o benfiquista celebra e não é pouco. O benfiquista celebra a novidade. Por este motivo todos os dias abre o jornal desportivo como criança no Natal. O benfiquista abre o jornal não para saber se o Márcio Rozário ainda é titular no Marítimo, não para saber quem vai substituir o Seric a lateral no Olhanense, não para saber se o Estoril agora vai meter o Gerso a titular ou não. Abre o jornal para ver se há rumores novos de contratações e para saber de novas polémicas. Interessa o futebol do Benfica, saber os jogadores, ver vídeos do youtube do Leandro Damião, Bernardo Silva ou de outros potenciais elementos integrantes da equipa A. O campeonato português, do qual não gosta, é uma obrigação anual porque sim, porque há que ser campeão sempre, apesar de ser um campeonato com o qual a maioria dos benfiquistas não está minimamente identificado, conhecendo melhor a realidade do Tottenham do que a do Nacional (ainda por cima agora que passa na Benfica TV).

E por falar em realidade, qual será a realidade actual do Benfica?

Vieira. Não percebe nada de bola. Até aqui tudo bem - pode haver quem perceba na estrutura, não é? Fica é complicado quando se misturam negócios com bola. Aí começa o cócó. É que parece que não, mas por trás dum fundo investidor, por trás da construção do novo estádio do Atlético de Madrid, por trás dos paineis do estádio do Espanhol, por trás da Promovalor, vêm jogadores, saem jogadores, saem milhões, entram milhões e escarafuncha-se um clube. Imaginem que todos os milhões que investimos em jogadores que se encontram emprestados a outros clubes, estavam investidos em jogadores de classe superior a actuar na equipa principal. Imaginam? São nesta altura uma centena os jogadores com contrato. Imaginem 70, 25 na equipa principal e 25 na equipa B, 10 juniores mais valiosos e 10 jogadores emprestados. Chegava bem, não chegava? Imaginem, apenas com esses 30, o que se conseguia imprimir à equipa titular.

Falemos agora do caminho traçado pelo presidente no final da época passada. O folclore da renovação ou não renovação com Jorge Jesus. A ideia era anunciar a renovação depois de Jesus ter todos aqueles títulos na mão. Não teve nenhum e a Vieira saiu-lhe o tiro pela culatra; uma pena não lhe ter acertado. Falta dor a Vieira. Falta-lhe a dor que nós adeptos sentimos. É que se lhe doesse como a nós, já o homem tinha percebido que o Benfica é areia a mais para a camioneta dele. Esta camioneta tinha dois caminhos a seguir.
O primeiro caminho seria o rejeitar da renovação e iniciar um novo ciclo com novo treinador e com novos jogadores. Parecer-me-ia aceitável. Apesar de ter a convicção de que Vieira não sabe escolher treinadores, de certo que encontraria em Rui Costa um bom conselho. Haveria também mercado para vender Matic, Garay e outras jóias da coroa. Dinheiro não faltaria ao novo treinador, a coisa poderia ter-se encaminhado.  
O segundo caminho seria o de aguentar Jesus e o plantel, contratanto cirurgicamente para posições descompensadas no plantel. Parecer-me-ia aceitável também.
O que faz Vieira? Aguenta Jesus mas despeja uma quantidade anormal de jogadores no plantel. Surge a dúvida: mas será que este lunático está a fazer isto tudo só para aguentar o Matic? Todos os dias surge um sérvio novo no plantel. Como se não bastasse vêm também atrás irmãos. Surreal? Não. Toda a gente falava do fantástico que existia em cada um dos jogadores que chegavam. Um era o novo Messi, o outro o novo Aimar, o outro tinha tanta garra que o Wolverine ao pé dele era um menino. O benfiquista é assim, adora a novidade. Vieira parece que também.



Com ou sem a aprovação do seu treinador Jorge Jesus?

Esta pergunta é mais difícil de responder. Não acredito - e penso que a maioria de vocês também não  - que Jesus tenha pedido tantos jogadores. Jesus pediu laterais, isso parece-me óbvio. Que Jesus segurou Amorim, também me parece óbvio. O resto, sinceramente, não me parece tão óbvio. O resto, sinceramente, parecem-me jogadores colocados no Benfica com o intuito de serem desenvolvidos por Jesus para depois darem lucro ao clube. Não se pensou no equilibrio do plantel. Não se pensou que, se calhar, não era o momento ideal para introduzir tantas contratações num plantel destroçado.

Vieira não escolheu nenhum dos caminhos que tinha que escoher para o Benfica. Vieira confiou cegamente nas capacidades de Jesus e agora reza, diariamente, ao Aimar e a todos os santos que a coisa dê certo. Ou então, se calhar, está-se a cagar.

E o bem que faria um Benfica campeão?

Pois é. Faria. É que a maioria dos adeptos do Benfica não percebe nada de bola. É verdade, desculpem lá, não me quero armar aos pardais mas é verdade. Se vissem um homem chamado Jorge Jesus, um homem a qual todos os dias chamam de burro, ser campeão depois disto tudo, se calhar punham a mão na consciência e identificavam o principal tumor no Benfica: Vieira. Nem vou falar nas coisas que o Jesus já conseguiu fazer nas últimas épocas, contornando toda a porcaria que o senhor presidente lhe pôs às costas, porque a seguir vocês retorquem: e títulos?

Os argumentos Anti-Jesus

O primeiro argumento são os títulos. Jesus não ganhou o que devia no Benfica, têm toda a razão, mas terá isso acontecido por culpa dele? Sim e não. No ano passado, naquele minuto 92, há um lançamento lateral. Cardozo perde a bola, Garay na sequência da jogada entrega mal a bola, Aimar tenta pressionar mas não consegue, Moutinho solta a bola e Maxi fica impávido e sereno a assistir ao passe que dá origem ao golo. Roderick Miranda vem do cu de Judas tentar recuperar e não consegue. Este lance dá um título ao Porto. A culpa? É de Jesus. Hoje em dia fala-se na inconsistência táctica de Jesus, na teimosia do homem que não percebe que ao jogar em 4-4-2 dá o controlo do meio campo ao adversário. O Benfica neste jogo jogou com Matic, Enzo e Gaitan no meio campo, num esquema que no momento defensivo se desdobra num 4-5-1. Jesus, ao contrário da maioria dos treinadores banais com os quais vocês se babam todas as semanas, tem conhecimentos suficientes para preparar a equipa para um esquema diferente todas as semanas. Sabem, a malta que anda no futebol e que percebe um pouco da poda é unânime: a metodologia do treino do Jesus é fascinante e vai para alem dos desenhos de esquemas que vocês fazem na vossa cabeça. Ele consegue desenvolver como ninguém processos de treino relacionados com superioridades numéricas, algo que no treino ofensivo de uma equipa é essencial. Estes processos são difíceis de atingir, mais até do que o treino específico dos atacantes, coisa que Jesus, por acaso, também domina. O posicionamento é outro dos aspectos do treino onde Jesus é forte, conseguindo fazer com que os jogadores rapidamente se habituem às distâncias. Claro que, como qualquer treinador do mundo, está sujeito a falhas individuais no jogo, mas se há coisa com a qual o benfiquista pode estar tranquilo é com a qualidade do treino da sua equipa.

O segundo argumento é a comunicação e a relação que tem com o plantel. Grita muito, chateia muito, insulta muito. Se Jesus não conquista o seu plantel pela comunicação ou pelo coração, conquista-o de certeza pelos métodos de treino. Se podia melhorar ou não a parte humana eu não sei, não o conheço pessoalmente, mas pelo que vejo até concordo que o homem parece ser um gajo lixado de se aturar. Mas aqui, quando falamos no lado humano da coisa, meus amigos, com uma estrutura decente isto era tão fácil de contornar. Tão fácil. Bastava existir um elemento que criasse esse elo entre o treinador e o jogador. Um elemento que dissesse ao jogador, depois dum raspanete mais agressivo "ele está a fazer isto pelo teu bem e o da equipa, não ligues às palavras que ele usou, ele gosta muito de ti e vê em ti muito valor, por isso é que se preocupa em corrigir-te". Será que este elemento não existe? Não sei, até pode ser que exista e nós não saibamos.

O terceiro argumento é "ele é burro". O Jesus pode ser muita coisa, amigos, burro é que ele não é de certeza. E se realmente ele é burro no futebol, então deve ter arranjado uma esperteza dos diabos fora das 4 linhas não sei onde, para conseguir dar a volta ao Vieira e conseguir o contrato que conseguiu. Pensem bem, amigos, se o Jesus é burro e não percebe nada de futebol, se vocês e as vossas tácticas e teorias é que estão certos, então se calhar está na hora de levantar o cu do sofá e irem tentar a vossa sorte na vida de treinador. Eu, por experiência própria, digo-vos: não é fácil tentar. Mas estão sempre a tempo quer sejam velhos, novos, aleijados, espertos, burros, etc. 

Pede-se Marco Silva. Pede-se Rui Vitória. São bons treinadores. Melhores que Jesus neste momento? Nem pensar. Ambos, Marco Silva e Rui Vitória, têm características muito diferentes entre si. Marco Silva é muito bom com o ataque, Rui Vitória muito bom com a defesa. Comum a ambas as equipas é o claudicar sistemático quando têm que assumir o jogo. A falta de criatividade ofensiva do Vitória é gritante e ou os jogadores não sabem mais que aquilo, ou Rui Vitória não sabe mesmo imprimir o bocadinho que falta à equipa dele lá na frente. Já Marco Silva parece-me diferente. Para já, parece-me na minha opinião um treinador pior que Rui Vitória. Beneficiou da gestão de Tiago Ribeiro e dos jogadores que este presidente lhe colocou nas mãos enquanto que Rui Vitória agarrou num plantel recheado de cepos e fez uma equipa. Marco Silva potenciou os seus jogadores (até o Balboa!), principalmente no processo ofensivo, conseguiu construir aquele que é provavelmente o melhor Estoril de sempre mas agora, observando o escoar das principais estrelas da equipa é que vai começar a prova dos 9. Espero sinceramente que o Marco Silva tenha sucesso porque o estilo dele faz-me querer ver todos os jogos do Estoril. Não o acho, por enquanto, treinador capaz de assumir o Benfica e de fazer melhor que Jorge Jesus.

E que bem fazia aos benfiquistas a realidade do futebol. Mas o futebol não é como o pensamos, é como lhe apetece. É o vento, é o tufo de relva, é o poste. O Marco Silva pode chegar e ser campeão. O Jesus pode ficar e ser campeão. O Rui Vitória pode chegar e não ser campeão. O Jesus pode ficar e ser despedido. Quem sabe? O que eu gostava era de ver o Benfica campeão. Nunca quis tanto. Continuarei a defender os treinadores que dão bom futebol aos espectadores. Defenderei a moda italiana de Rui Vitória. Defenderei o samba de Marco Silva. Defenderei o rolo compressor de Jesus. Defenderei o bonito futebol do Sporting 2013/14. Defenderei que Paulo Fonseca não é um problema no FC Porto. Defenderei que Paulo Alves está a destruir os galácticos de Olhão. Sabem com o que me enganei? Com o Vitória do Couceiro. O futebol às vezes também destas coisas. Mas o José Mota terá sempre o seu lugar no meu coração.

Força, Jorge Jesus.

17 comentários:

  1. mais grave que os argumentos anti-jesus que expuseste, para mim, é que parece que o gajo tem medo de assumir jogos chave do campeonato - os contra o porto. O benfica é uma equipa acostumada a assumir e pegar no jogo, avançar no terreno com um futebol dominador e esmagar os adversários com o famoso "rolo compressor". e contra o porto? vejo uma equipa encolhida e a tentar jogar no erro do adversario, Principalmente nas antas. Eu acho que isto é um erro, uma equipa rotinada para tomar iniciativa vai ser muito mais falivel se nao o fizer. mas eu nao percebo muito de futebol lol, admito a serio, portanto posso perfeitamente estar enganado

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. esse é outro argumento de que me esqueci e que realmente é mais difícil de desmontar porque concordo em parte com ele. O Porto é uma equipa que historicamente assenta o seu modelo de jogo no 4-3-3 e que no ano passado, com Fernando, Moutinho e Lucho, fazia posses de bola esmagadoras contra os seus adversários. Este ano, sem o Moutinho, não o faz com tanta qualidade mas vejam por exemplo os jogos do Porto contra o Atlético. Quem dominou e quem foi dominado? Sejamos sérios, quantas equipas na Europa é que chegam ao Dragão e dominam o Porto? O Porto não é uma equipa que só vence pelos árbitros, está ali o melhor quarteto defensivo de Portugal, com 2 laterais brutais que o Pinto da Costa conseguiu roubar ao Vieira. No entanto acho que o Jesus não se tem, de facto, portado bem contra o Porto. Apesar de uns azares como a exibição do Artur no ano passado na Luz, o Benfica podia ter feito mais. Curiosamente, a exibição da equipa no 2-1 fatídico, até foi das melhores que vi o Benfica fazer lá nos últimos tempos. De qualquer forma, concordo que o Jesus tem que fazer melhor contra o Porto, é o calcanhar de Aquiles dele.

      Eliminar
    2. Sim, é verdade que não é qualquer um que lá vai dominar, mas somos Benfica porra (claro que isto é julgar com o coração e o treinador tem de julgar com a cabeça, mas mesmo assim...)! Os laterais são brutais de facto, mas não acho os centrais nada de outro mundo, o Benfica tem melhores centrais. O jogo de posse de bola que o VP (aka Moutinho) fazia protegia muito esse sector penso, agora sem Moutinho e com um futebol mais lançado para a frente do Fonseca, acho mesmo que se tem de apostar no Cilindro

      Eliminar
  2. Grande artigo, parabéns.
    Amanhã comento.
    (Já percebeste que não o quero, mas já só me apanhaste nesta fase. Óbvio que o principal responsável é Vieira.)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado, POC e eu sei, já leio o Simão escuta há muito tempo.

      Eliminar
  3. Estava ontem na cama a ler o artigo, não consegui desenvolver no telemóvel. Foda-se, tinhas ido para a noite, chegaste a casa inspirado e rebentaste com tudo às 5h da manhã.

    Sobre o estado geral do nosso clube, quero só dizer (já disse no passado, apesar da recente "carta" ao JJ poder denunciar o contrário) que o grande responsável é Luís Filipe Vieira. Que não haja dúvidas.

    A respeito de Jesus, considero-o um predestinado como treinador. Será raro encontrar alguém com determinadas características. E eu não sou, de maneira alguma, especialista nestas coisas.
    O problema de Jesus, em minha opinião, é não ter uma estrutura (algo que falaste por alto no teu texto). Uma verdadeira estrutura. Mas...o que me deixa mais fodido, e diz-me se achas o contrário, é que ele também não permite a tal "estrutura".
    Não tenho grande opinião sobre Raúl José. E a que tenho não é boa. Posso estar enganado sobre ele, assim espero, mas o adjunto que o Benfica precisa é alguém do Benfica, uma glória. Alguém que consiga ajudar a gerir o ego de Jesus, que aperte com os jogadores, mas que, fundamentalmente, os ajude na difícil relação com o seu treinador. Que seja também um amigo. Calculo que realmente Jesus marque um jogador, porque muito dificilmente irão encontrar outro assim na vertente técnico-táctica. Mas...

    Jesus quer estar sozinho. Quer ser ele a mandar, quer que a estrutura seja ele. E o problema é esse. Num clube desta dimensão, é preciso ter uma máquina a trabalhar por trás. E a nossa, é uma merda. Por culpa própria e por culpa dele, que não permite que a máquina funcione.

    Jesus tem qualidade, reconheço, mas esgotou-se. Por culpa do Clube, por culpa própria. Queimou-se, como se costuma dizer. Já não correm por ele. Ninguém lhe dedica um golo, ninguém festeja nada, não se vê uma equipa unida dentro de campo. E isto são factores não tão importantes, mas que também reparo.

    Há algum tempo, Jesus confidenciou a um colega meu de trabalho (por outra circunstâncias), que tinha errado (nunca o vi assumir nada na televisão, acho isso um dos piores defeitos) e que estava preparado para corrigir e voltar ao trilho do sucesso. O cabrão do azar ele não controla, mas não me parece que ele esteja apenas a ser perseguido pelo azar.

    Continuamos a jogar bastante mal e não vejo melhorias. Continuo a achar que podemos chegar ao fim e sermos campeões. Tenho sempre esperança. Com 7-0 em Vigo, achava que ainda era possível.

    Podia discutir saudavelmente várias opções de Jesus, algumas até para compreender o meu provável erro. Mas deixa-me fazer-te uma pergunta directamente: o que achaste da aposta em David Luiz (mais que uma vez) a lateral esquerdo? Os 5-0 no Ladrão passaram muito por aí, tal como os 4-1 em Liverpool com esse título na mão (não havia melhor que nós na Liga Europa). Julgo que Luiz deixou claro que não conseguia cumprir aquela posição, no entanto...foi lá colocado várias vezes.

    Antes de terminar, dizer que respeito muito o teu conhecimento. Tenho inveja, mas hoje já não consigo. Até há uns anos, amigos e família faziam-me perguntas sobre o lateral esquerdo de qualquer equipa, do seu suplente. E eu sabia, dentro do possível, responder. Ou ter uma opinião. Hoje...bom, hoje talvez conheça melhor o 11 do Tottenham do que o do Arouca. Talvez seja triste. Ou fruto de nunca ter tido amigos que fomentassem isto. Ou a idade. Ou o caralho. Mas é a realidade.
    O pouco futebol (ou mediano) que sei, também teve a ajuda de ter jogado uns anos em miúdo. Tempos que guardo com grande saudade.

    Fazes aqui um grande trabalho e mostras alguns conhecimentos. Não sei se és um craque, mas sei que podemos discutir futebol com inteligência, não deixando o vernáculo de lado. Nem as bujas.

    Esta merda parece um artigo. Foda-se. Chega.

    ResponderEliminar
  4. POC, obrigadão pelos elogios, a sério. Sobre o principal responsável estamos mais que conversados e sim, Jesus na mão de uma estrutura que perceba de futebol é um arma incrível num campeonato que cada vez mais vai estar nivelado por baixo (Os clubes pouco a pouco vão acordando para a realidade e já vês o Belenenses, Vitória de Setúbal, Vitória de Guimarães a apostar imenso na formação e a não contratar Reiner's Ferreira, Djavans e Leo Kanus). A forma como o Jesus quer estar no Benfica é diferente da forma como o Jesus tem que estar no Benfica. O Jesus é um empregado do clube, tem contrato, a direcção tem que lhe apresentar as condições de trabalho e se ele não as aceitar procurar outro. Não foi o Jesus que assinou contrato com 100 jogadores, o Jesus tem, como qualquer treinador, uma lista de jogadores observados e que lhe interessam, o director desportivo ou director para o futebol pergunta ao treinador quantos jogadores quer no plantel principal no inicio da epoca e as posições mais carenciadas, a partir daqui mete-lhe o plantel na mão e pede bom futebol ou, no caso do Benfica, titulos. O que tem acontecido é que tenho visto um treinador sem jeito nenhum para comunicar com os jogadores a ter que lidar, ano após ano, com planteis de 30 jogadores e este ano a juntar um gang de sérvios. Isto é surreal na minha maneira de ver as coisas. Não sei se a equipa técnica faz um bom trabalho a unir a equipa e a empregar-lhe espirito de grupo e coesão. O que eu tenho visto na ultima dezena de jogos é que não, não faz um bom trabalho neste momento. E quando o espirito do jogador não está calmo, quando a cabeça não está limpa, todo o bom trabalho no treino é deitado abaixo e tudo sai mal quando importa, que é no jogo.
    Quanto a algumas opções do Jesus ao longo destes anos, em particular essa do David Luiz a lateral esquerdo... Dois jogos onde tudo nos correu mal. Se calhar começou precisamente por essa alteração o descalabro. Por outro lado, jogar com Coentrao ou Peixoto + Di Maria contra Glen Johnson e Dirk Kuyt se calhar seria suicidio. Acontece que tudo saiu mal e agora toda a gente vai falar nessa mudança. Quando o Benfica ganha com mudanças, ninguem se lembra. É ingrato. Eu por exemplo, na minha maneira de ver as coisas, acho estupido estarmos a usar sistematicamente 2 pontas de lança fora de forma em vez de aproveitarmos o Gaitan a 10 como fizemos na 2ª parte contra o Olhanense, mas como por enquanto se ganha...
    Quanto ao ver futebol inglês em vez do português ou vice-versa, não vou ser hipócrita: também conheço melhor os jogadores do Tottenham do que os do Arouca. Vejo por jornada 4 ou 5 jogos da Liga Zon Sagres, mais o maisfutebol na TVI. Liga Inglesa devo ver uns 3 ou 4 por jornada. Liga Espanhola vejo 1 ou 2. Liga italiana vejo 1 ou 2. Liga alemã 1 ou 2. Liga francesa zero ou 1. Isto ou é bom ou é triste. Quando precisas, como eu, de diariamente estar a discutir futebol com amigos é bom. Quando fazes as contas ao tempo perdido é assustador. Lá em casa é uma questão de dividir bem o tempo entre o TLC/FOx Life da minha namorada e os meus Benfica TV/Sport TV. Não sou craque nenhum por ver muito futebol, sei o mesmo que tu e que toda a gente. O futebol não é dificil de entender nem de discutir, com bom senso e coerência. O máximo que fiz para entender melhor o jogo foi ser treinador estagiário em 2 escolas geração Benfica. Ajudou-me bastante mas não tenho nem 1/10 do conhecimento dos técnicos principais dessas escolas. Imagino só a distância de conhecimentos que tenho para um treinador qualquer de 1ª Liga, com décadas de experiência. Sinto-me pequenino e ao mesmo tempo fascinado. Se a AF Lisboa não fosse uma esterqueira, estava também por esta altura a prosseguir a minha formação de treinador, mas infelizmente não foi possível. Ficará para outras nupcias.
    Grande abraço, POC, mais uma vez obrigado pelos comentários

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São elogios justos. Adiante.

      Parece-me estarmos, no geral, bastante de acordo.

      Dizer apenas que, César Peixoto teria sido, para mim, a melhor opção. Era um patinho feio algo injustiçado. Muito bom tacticamente. E honestamente, melhor que Luiz na esquerda (apesar de ser no meio-campo que o Peixoto joga melhor).

      Olha...melhor que nós está o AVB. Abraço.

      Eliminar
  5. Última hora:

    Totenham tenta contratar o nosso excelentíssimo catedrático mas desiste por ser um treinador caro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. confirmo que o Tottenham me contactou mas desistiu quando lhes pedi 1 prato de caracois para acompanhar o acto da assinatura de contrato. Ah e pedi o Fernando Alexandre.

      Eliminar
    2. Tiveste muito bem, caro Bujas. Abraço.

      PS: A sério que vês 10 ou mais jogos por semana? Não sei se o mestre da Reboleira consegue bater esse feito.

      Eliminar
    3. vejo mais do que 10 jogos por semana. Fim de semana passado: Académica vs Maritimo / Braga vs Setubal / Sporting vs Belenenses / Olhanense vs Benfica / Rio Ave vs Porto / Estoril vs Gil Vicente / Man City vs Arsenal / Chelsea vs Crystal Palace / Hull vs Stoke / Tottenham vs Liverpool / Osasuna vs Real (só o fim do jogo) / Valladolid vs Celta (só o fim do jogo) / Milan 2-2 Roma (só o inicio do jogo) / Newells vs Lanus e Velez vs San Lorenzo / Raja Casablanca vs Monterrey

      Eliminar
  6. Ponto prévio: Jorge Jesus está longe, bem longe de ser o único e maior problema do Benfica. O real problema está mais acima, o real problema está no presidente e só com a sua saída se poderá pensar num Benfica com cabeça, tronco e membros. Vieira não está no Benfica para servir o clube, mas sim para se servir do clube. Quem tiver dúvidas disto, não está a ver a floresta ou a “parte de trás da árvore” :D

    No entanto, discordo em absoluto com desresponsabilização de Jorge Jesus nos falhanços sucessivos e na parca qualidade de jogo que apresentamos este ano.

    Não contesto as qualidades técnicas de Jorge Jesus, é notório que as tem e são também notórias as suas provas que já deu nesse aspecto. Porém, não acredito num treinador que dê treinos fantásticos, mas não saiba ser aquilo que também é: Um líder. Jorge Jesus não é um líder. Desde os vários falhanços em momentos decisivos às declarações que produz a cada conferência de imprensa, é impossível para mim achar que Jorge Jesus seja um líder. E quanto a mim, reside aqui o grande problema de Jorge Jesus. É um homem que sabe e entende do que faz, mas isso não chega.

    É verdade, considero que o 4-4-2 de JJ é obsoleto, desde o momento em que o Benfica perdeu um médio como Ramires, um homem que nos fazia parecer que jogávamos com 12, que jogávamos com 3 médios, quando apenas jogávamos com 2. Um homem que ajudava nas tarefas defensivas interiores com Javi e Aimar, mas também ajudava o seu lateral (Maxi). Um homem que dava profundidade ao flanco direito, mas também superioridade numérica em zonas interiores. Sem Ramires não vejo como este sistema pode dar certo, ou melhor, é um sistema indicado para muitos jogos da nossa liga, sobretudo os jogos caseiros, mas péssimo para os jogos com equipas de nível superior. Não sou, nunca fui ou hei-de ser treinador, mas se me é permitido, considero que os jogos se ganham e perdem no meio-campo, sendo esta a zona do terreno onde o Benfica de JJ é mais débil.

    Aliás, o próprio JJ admite isto de certa forma, quando esta época decide apostar de forma mais ou menos “encapotada” no 4x3x3, sendo esses os melhores jogos desta época, mas de longe. O 4x4x2 exige dos jogadores uma dinâmica muito forte, algo que este ano não temos, e algo que contra os melhores é mais difícil de exprimir. Mas este aspecto é a caricatura perfeita daquilo que é JJ, ou seja, alguém tão competente que consegue colocar a equipa a jogar bom futebol em mais que um sistema de jogo ao mesmo tempo, mas que vive agarrado às suas convicções e à primeira oportunidade tenta provar a todo o mundo, e talvez a ele também, que ele sim é o génio da táctica.

    Outro dos problemas de JJ é achar-se mais do que realmente é, ou seja, JJ é treinador de futebol, mas quer, e ele é o próprio a dize-lo e alto e bom som, ser também o líder de toda a estrutura de futebol do clube onde se insere. Quanto a mim, isto para além de impraticável, é inconcebível. Porque a ideia geral sobre todo o futebol do clube que deve emanar de uma estrutura deve estar umbilicalmente ligada ao clube e assente numa pessoa que não esteja exposta a resultados e a bolas no poste, que ao primeiro revés pode ir embora e assim deixar o clube órfão de todo o know how que era suposto ter.


    ResponderEliminar
  7. (continuação)

    Jorge Jesus sem os seus problemas de ego e teimosia seria um treinador top? Não tenho a mínima dúvida, mas já demonstrou de forma reiterada que não está para isso, que não abdica do seu umbigo em favor do bem comum, pois quer os louros das vitórias e encaminhar as responsabilidades nas derrotas. Por outras palavras, Jorge Jesus na estrutura do FCP seria campeão? Não tenho a mais pequena dúvida. O problema é que a estrutura do FCP não admite um treinador assim, nem JJ admite uma estrutura assim.

    Jorge Jesus é ainda um homem sem caracter, pois se o tivesse jamais expunha o Benfica ao salário pornográfico que aufere. Podes dizer que faz ele muito bem, pois é um profissional e deve fazer por valorizar as suas qualidades enquanto tal. É uma verdade, respondo. No entanto, uma coisa é fazer-se valer das suas qualidades para aumentar os seus rendimentos, é mais que legitimo, é justo, outra coisa bem diferente é “chantagear” o clube com o possível interesse do seu maior rival (interesse que quanto a mim não passa de folclore, pela razão da tal estrutura que já referi). Um homem digno e com caracter, jamais aceitaria ver o seu nome envolvido numa novela dessas. Das duas uma, ou acha que é mal pago e pede aumento pelo que vale, ou então não usa a chantagem para aumentar aquilo que a sua competência exclusiva não foi capaz.

    Mas lá está, todas estas questões só demonstram que a incompetência verdadeira está no topo da hierarquia. Jamais um presidente digno dessa função, deixaria de perceber que o balneário estaria em causa depois do péssimo final de época passado; Nunca um presidente poderia deixar que o seu treinador perdesse sucessivamente e ainda o deixasse fazer exigências para uma renovação; É impossível que um presidente que se queira competente, possa deixar que um só homem controle a seu belo prazer tudo o que rodeia a sua equipa de futebol, as suas jóias da coroa; É inadmissível que um presidente renove com um treinador por medo de o ver no grande rival, sendo esta a sua admissão de incompetência, por saber que com a saída de JJ iria embora também a pouca competência que existe no futebol do clube; Jamais um presidente de um clube que se queira vencedor e ambicioso pode renovar por 2 (!!!) anos com um treinador que em 4 perde 3, sendo 2 da mesma maneira.

    Conclusão, Vieira é o grande podre do Benfica? É, nem podem existir duvidas. Mas ainda assim, Jorge Jesus deveria ter feito mais e melhor.

    Abraço e desculpa tanta letra ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigado por este comentário, José Moreira. Isto assim dá gosto. É que tu és daqueles adeptos que justificam muito bem a opinião que têm sobre o Jesus.

      Quanto à preferência sobre o sistema táctico, eu acho que todos eles funcionam em teoria. Falaste aí num factor importante chamado Ramires. As características dos médios que se usam na direita ou na esquerda são fundamentais para o equilibrio defesivo da equipa. O Benfica 2013/14, na minha opinião, só com o Salvio conseguiria esse equilibrio. Não acho que seja um plantel pensado para jogar em 4-4-2, acho, isso sim, um plantel perfeito para se jogar em 4-2-3-1 ou 4-3-3, com um número 10 ou mais no apoio ao ponta de lança ou mais no apoio ao meio campo. Nisso concordo contigo. Agora, que se use um 4-4-2 contra equipas como o Arouca ou o Olhanense, aqui desculpa lá mas não me parece nada mal pensado e mostra até trabalho de casa de Jesus. Podes argumentar "mas tu viste bem estas exibições?". Vi, o nosso 11 não tem união nenhuma. Eles correm, é verdade, mas sem nexo. A culpa disto a meu ver é do disparate que foi despejar um camião de novas contratações numa equipa destroçada e não da opção táctica. Qualquer equipa motivada, com esta qualidade de jogadores e com minimos de responsabilidade e concentraçao defensiva, goleia o Arouca ou o Olhanense.

      Quanto à estrutura... Subscrevo a 100%. Mas isso, sempre disse, a direcção do Benfica tinha mais é que apresentar as condições de trabalho ao Jesus no acto da renovação. Quer? Quer. Não quer? Adeus. Nem o Jesus nem outro treinador assinam contratos com jogadores. Participam activamente na construção do plantel, isso sim, mas tu acreditas que o Jesus tenha escolhido planteis de 30 jogadores época após época? Eu não! É a desorganização na estrutura do Benfica que permite que estas coisas surreais aconteçam! Isto depois tem consequencias graves na equipa principal.

      Quanto a avaliações de caracter pessoal sobre o Jesus, isso não faço. Acho que o ordenado também não é culpa dele, é culpa da direcção. Não percebo como andam sempre a dizer "um treinador que ganha isto tem que fazer isto...". O Benfica tem orçamentos definidos. O orçamento para o treinador, felizmente, é grande. Espero que se mantenha grande na altura de contratar o proximo, para nao sermos obrigados a apostar num Marco Silva. Prefiro um treinador de créditos firmados e com vontade de agarrar num projecto para o Benfica. Não sou muito favoravel a aventuras. O que está mal são os milhões que andam a pairar em jogadores emprestados. Sidnei, Lisandro, Pizzi = Nem 1 unico destes jogadores é titular na liga espanhola. O unico emprestimo que está a ter algum sucesso é o do Nelson Oliveira. E se estes milhoes estivessem investidos no 11 titular? Que equipa teriamos?

      Mais uma vez obrigado pelo teu comentário, abraço!

      Eliminar
  8. Será sempre um gosto passar por cá... Foi a primeira vez e pelo que vejo, serão muitas daqui pra futuro.

    Mas que se utilize o 4-4-2 com Aroucas, Olhanenses, Beleneneses desta vida, eu concordo. O que já não concordo é que seja este o sistema preferencial, muito menos em jogos de nivel competitivo superior.

    Quanto ao salário, ainda que o ahce pornográfico, não é pelos numeros que me sinto "indignado", antes pela forma como JJ conduziu todo o processo, entendes? Não tolero este tipo de comportamento, não acho que seja o mais digno nem o mais ético. E isto é apenas um dos exemplos. Agora, não é por ganhar 4M que tem de ganhar istou ou aquilo, não! Tem de ganhar, porque no Benfica só pode ganhar. Tem de ganhar, porque o Benfica assim o exige, ganhe ele 4M ou 4€ por mês.

    Sobre o plantel, obviamente que não foi ele quem contratou os jogadores, isso é obra das negociatas "à lá Vieira", certo? Ainda assim, há jogadores que aparentam de uma forma muito forte, terem sido apontados por ele que são uma lástima. Mas atenção, concordo que ele ou qualquer outro não devem contratar ou indicar jogadores.

    Numa estrutura competente, contratamos um treinador cujo passado nos garanta que nos irá dar aquilo que pretendemos dele, como seja o modelo de jogo, o sistema tático, a aposta ou não na juventude, a capacidade para ser ou não lider, em fim. Depois ele ha-de olhar para o plantel e detectar lacunas para aquilo que foi acordado, o que fazer? Indicar jogadores que ele ache ideais? Não. Elencar um determinado numero de caracteristicas que ele considerem ser necessárias ao jogador da posição que quer contratar e deixar o resto com o departamento de scauting e diretor desportivo, simples. Mas isto numa estrutura que funcione, coisa que sabemos não se passar no Benfica.

    ResponderEliminar