terça-feira, 28 de julho de 2015

De Isaías para Lima



Como já devem ter reparado Isaías tem um cantinho especial no coração dos autores deste blog. Eu aprendi a ser tolerante com o Isaías. Sempre que o Pesaresi mandava um cruzamento para a bancada...

«Ó, deixem lá, o Isaías também se fartava de mandar bolas para a bancada e era um craque»

O encanto pelas bujas. O encanto por aquele gesto sublime que é puxar a perna atrás e PUM. Estoiro. Golo! Golaço! A buja! O patardo de força! A violência no encontro da bola com a rede! Isaías dava-nos essa esperança de que, a qualquer momento, lá surgia um torpedo. Não sabíamos onde ia cair, mas aprendemos a tolerá-los quer caíssem no fundo das redes quer ao colo da velhinha do tricot na bancada. 
E Isaías pulava com as mãos na cabeça a fazer corninhos, a fingir que gozava com um touro, a fingir que era um touro ou simplesmente para dizer às bancadas um enorme... 

«Caríssimo... Seja bem-vindo à tourada do Campo Grande»

E Isaías falava aos microfones para dizer que infelizmente havia pessoas extra-futebol que faziam do espectáculo uma grande porcaria. Isaías para sempre herói, mito, lenda.

Anos mais tarde, depois de outros tantos avançados brasileiros terem tentado escrever a sua história, chegou ao Benfica o nosso Lima. Paulo Nunes, Valdir, Donizeti, Marcelo, Anderson (o do Alverca, eu não me esqueço), Alan Kardec, Keirrison, Derley, Derlei, Eder Luiz, Marcel, Manduca... Enfim, a minha memória não estica mais. O que é certo é que estes todos se esqueceram da caneta para escrever na história do Benfica. Lima não. 

Não vou falar nas batatinhas do Dragão. Não vou falar sobre o golo ao Sporting depois do Gaitán ter andado a brincar com o comando da playstation com os defesas leoninos. Não vou falar das DEZENAS de golos cruciais mas lembro só aquela batatinha de livre a desbloquear o 1-1 em Vila do Conde em 2013/14. Sabem do que vou falar? Sabem que imagem carinhosa e maravilhosa vou guardar do Lima? A carroça com que este menino estava na festa do título 2013/14. Chapéu para trás à rebelde. Um enrolar maravilhoso de palavras só ao alcance do melhor ébrio. Um festim de Baco, uma festa linda, um quero lá saber e vivó Benfica em cada gesto do nosso Lima nessa noite.

Em Monte Alegre, no Pará, a vida corre devagar. Não há pressa. Entras num café, pedes pão de queijo, apontam-te o balcão da recepção e dizem «pega lá, deixe a grana lá». A vida corre sem pressa e as pessoas têm sempre gotinhas de suor à flor da pele; como Lima. A humidade, o calor abafador naquela região tropical faz com que as pessoas transpirem como Lima aqui transpirou. Lima deu-se bem porque nós, os 30 mil adeptos de sempre, lhe demos a estufa de que ele necessitava para crescer. E a planta carnívora, devoradora de animais, devorou e triturou leões, dragões entre outros bichos. 

Aumentem a estufa, amigos benfiquistas. Não há forma melhor de homenagear Lima. Não há forma melhor de homenagear quem faz e fez parte da história do Benfica. Transformem os habituais 30mil em habituais 60mil. Transformem a Luz num inferno tropical cheio de criaturas mitológicas capazes de devorar defesas em milésimos de segundo.

O Lima agradece. 



6 comentários:

  1. "«Caríssimo... Seja bem-vindo à tourada do Campo Grande»" <3
    És o maior, Bujas.

    ResponderEliminar
  2. "Não vou falar sobre o golo ao Sporting depois do Gaitán ter andado a brincar com o comando da playstation com os defesas leoninos."

    Estou quase a amar-te.

    ResponderEliminar
  3. não liguem ao POC sempre que ele vem aqui comentar eu meto-lhe uma nota de 5 euros no bolso da camisa

    ResponderEliminar
  4. copiado da net:
    FERNANDO GOMES-presidente da FPF-----portista
    VITOR PEREIRA-presidente da CA------------sportinguista
    LUIS DUQUE--presidente da LPFP-------------sportinguista
    HERCULANO LIMA-presidente do CD---------portista

    DONA AMÈLIA--auxiliar de limpeza------------benfiquista

    a culpa do colinho é da DONA AMÈLIA

    ResponderEliminar
  5. Bujas, és grande! Fez-te bem hibernar.

    Abraço

    ResponderEliminar