quarta-feira, 26 de março de 2014

Prémio Carreira Nº4 - Ahmed Ouattara



Quem viu ontem o Man Utd 0-3 Man City não ficou de certeza indiferente à magia de Yaya Toure. O 3º golo é classe pura.

E se eu vos dissesse que há um (mítico) ex-jogador do Sporting que partilhou balneário com o Yaya Toure? Nada de especial? Ok, talvez não. Mas ele também partilhou balneário com o Kolo Toure, Emannuel Eboue, Romaric, Siaka Tiene e Salomon Kalou! Posso até arriscar que ele praticamente ensinou esta malta a jogar à bola...



Por esta altura, quem conhecer Ahmed Ouattara, já se escangalhou a rir. Pois, de facto, ele não deve ter ensinado muita gente a jogar à bola, dou a mão à palmatória, mas fez uma carreira engraçada para um gajo que hoje em dia podia ser uma espécie de Moussa Gueye ou de Moussa Maazou.

Vamos lá observar a carreira do Ouattara à lupa:




Como já devem ter percebido pela 1ª imagem que coloquei, o Ouattara trabalha nos dias que correm com a federação da Costa do Marfim. Nada mal... Nada mal...

5 comentários:

  1. A parte do Queiroz deixou-me a chorar e a bater nas paredes! Lembrei-me do Sousa Cintra e de como é que ele foi capaz de despedir um Senhor do futebol para ir buscar aquele merdas que com a melhor equipa do Sporting dos ultimos 20 anos conseguiu apenas e só duas taças

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. a reputação do Queiroz fez-se às custas da conquista do Mundial sub-20 e de ter sido adjunto do Alex Ferguson durante muitos anos. Nos clubes falhou sempre rotundamente. Lembro-me da hilariante época dele no Real Madrid, com Peseiro a adjunto, onde conseguiu a proeza de ficar em 4º lugar numa equipa com Figo, Zidane, Beckham, Raul e Ronaldo.

      No Sporting, na época depois do título 93-94 do Benfica, o Sousa Cintra apostou forte no futebol (assim como o Damásio) e o Queiroz falhou com aquele que na minha opinião foi o melhor plantel que já vi na minha vida para os lados de alvalade. Tirando a baliza onde só tinham trambolhos, o Sporting tinha na defesa o Naybet, Valckx e Paulo Torres. No meio campo tinham o Oceano, Peixe, Figo, Dani, Capucho e Carlos Xavier. No ataque tinham o Juskowiak, o Cadete, Amuneke e o Iordanov que era pau para toda a obra. Falhou com um plantel destes. Ok que o apito dourado estava no auge da sua força, mas mesmo assim, este plantel era muito mais forte que o do Porto e só o do Benfica poderia rivalizar (também muito forte neste ano). Dois mononeurónios, Queiroz e Artur Jorge (foi mais o Filipovic nesta época), lixaram por completo a época aos clubes de Lisboa.

      Na época 95-96 o Sporting deixou sair o Figo, Juskowiak, Balakov, Dani, Cadete (em litígio com o Queiroz), Pacheco, Capucho e Paulo Torres. Skuhravy, Ouattara e Paulo Alves eram os substitutos para o lugar de ponta de lança. Assis vinha para fazer de Balakov. Dominguez para fazer de Figo. O Santana Lopes tinha o Nial Quinn, ponta de lança da selecção irlandesa que tinha feito o Italia 90 (golo à Holanda) e que só falhou o USA 94 por lesão. O Queiroz rejeitou-o... Foram tiros atrás de tiros no leão até que o Santana Lopes se fartou.

      Pobre Ouattara que teve que gramar com o Queiroz e com o Octávio Machado enquanto cá esteve...

      Eliminar
    2. No Real Madrid nem se fala, foi uma triste figura que foi para lá fazer. A unica coisa de jeito que fez, foi ganhar ao futuro campeão europeu dessa época, o Porto. Mas mais triste do que isso, a forma como foi a correr com o rabinho no meio das pernas para o Ferguson, diz muito sobre o caracter dessa pessoa.

      No Sporting com aquela equipa, o quarda-redes era o menor dos problemas. Fazer uma equipa com a quantidade de matéria prima que havia, isso sim, era um problema! Ainda te faltou meter ai Paulo Sousa, Cherbakov e Balakov em 93/94. Até dói ver esta equipa.

      Apito dourado ou não, o Robson gozou à grande com o Sousa Cintra e o Queiroz, um bem haja a esse gentleman que não merecia o tratamento que teve. Aliás o Sporting não mereceu te-lo. Tivesse ele um BdC por trás e a Europa era nossa.

      Eliminar
  2. Comecei acompanhar o blogue religiosamente recentemente, até hoje por muita piada que os teus posts metam(e olha que metem) não senti necessidade de comentar.

    Mas quando se toca no "Monstro Sagrado" Quattara todo o universo para, e a vénia surge por trás de este ecrã de computador.

    Interessante o prémio carreira faz-me lembrar um pequeno jogo que tinha com o meu irmão quando era mais catraio, em que puxávamos pela memória e falávamos de grandes "craques" que passaram pelos 3 grandes do nosso futebol.

    Quattara era sempre a minha primeira escolha, e depois de ver esse vídeo onde ele mostra toda a sua magia africana fiquei com uma nostalgia imensa.

    Obrigado AVB um bem haja!

    ResponderEliminar
  3. Eu é que agradeço por leres o que se escreve neste humilde espaço!

    Se quiseres sugerir jogadores estás à vontade. Tinha todo o gosto em preparar prémios carreira sugeridos pela malta

    ResponderEliminar