quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Banik Ostrava: Cortar o mal... Pela raiz

Estes são os resultados na presente época desportiva do Banik Ostrava, clube da 1ª divisão da Rep.Checa:

25/07/15 Zbrojovka 2 - 1 Banik
01/08/15 Sparta Praga 3 - 1 Banik   

08/08/15 Banik 2 - 2 Mlada Boleslav   
15/08/15 Zlin 2 - 0 Banik   
22/08/15 Banik 1 - 3 Slavia   
27/08/15 Jiskra Rýmařov    4 - 3 Banik
<- este foi para a taça. Os outros são da 4ª divisão :)


Yep. São jogadores do Banik Ostrava a cortar ervas daninhas e mato nas imediações do estádio da equipa. Parece que o treinador se fartou de lhes dar palmadinhas nas costas e em vez de treinar tácticas de organização defensiva, passou a treinar tácticas de prevenção de incêndios não vão os sócios passarem-se dos carretos.

Por cá lembro-me assim de repente da SMS que um certo jogador do Benfica mandou ao Jorge Jesus

"mister, isto desde que saiu tem sido um descanso..."

Rui Vitória, se me estiveres a ler, eu sei que não há muito mato à volta do Estádio da Luz mas olha que no Monsanto...

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

FC Midtjylland 2015 - Matemática Brutal

FC Midtjylland
 ...Matemática brutal foi o caminho escolhido para esmagar o Brondby e o FC Copenhaga


Mas que raio se passa na Dinamarca? Que revolução é esta de Rasmus Ankersen? Um puto um nadinha mais velho que eu, com 32 anos, chega a Herning, cidade que alberga o FCM e que tem pouco mais de 40 mil habitantes, é nomeado presidente do clube e em ano de estreia faz do FCM campeão dinamarquês pela primeira vez na sua história. E fez isto sem precisar de nenhum Valentim Loureiro! O método? Reunir um Evereste de dados estatísticos e tomar as principais decisões com base na análise dos mesmos. A emoção fica para os humanos.

Mas como é que um puto de 32 anos chega a presidente dum clube? Matthew Benham é um milionário britânico que fez fortuna à pala das apostas. Lá os apostadores não são criminalizados como em Portugal e Benham era um gajo que sabia da poda. Aproveitava-se dos erros dos bookies para lucrar com o seu método que envolvia análise de dados dos jogos em que apostava e profundo conhecimento sobre os desportos. Benham ficou amigo de Ankersen depois de ler o seu livro "The Gold Mine Effect". Depois de adquirir o Brentford em 2012, Ankersen aconselhou Benham a investir no FC Midtjylland depois de lhe ter explicado que as pessoas deste clube estariam disponíveis para mudar e para abraçar um projecto diferente de tudo o resto. Benham não hesitou, comprou uma parte do FCM e nomeou Ankersen presidente do clube. Depois de ver que Ankersen levou sucesso ao FCM, Benham nomeou-o responsável pela contratação de jogadores e treinadores para o Brentford.

E a experiência começou assim...

Ankersen contratou uma data de analistas para se debruçarem sobre todos os dados em torno do clube. Estatísticas de jogadores do clube, estatísticas de jogadores alvo no mercado, estatísticas dos adversários - tudo e mais alguma coisa! Montou um laboratório para bolas paradas com reuniões mensais do plantel (incluindo treinadores e o próprio Ankersen) e grupos de trabalho para trabalharem em conjunto esta parte do jogo. Chegou a contratar um preparador especialista apenas na técnica do remate para aumentar a eficácia dos jogadores. Resultado? Média de quase 1 golo por jogo através de bolas paradas. Houve jogos em que chegaram a marcar 4 golos todos de bola parada... Isto é brutal mas a direcção do clube não embandeirou em arco e nunca excluiu que tudo aquilo poderia ser... Sorte.

"A nossa classificação na liga mente. Nós estamos em 1º lugar mas nós só nos podemos considerar bons quando o nosso modelo disser que somos bons"




E que modelo é este? Certamente que há uma filosofia para o jogo mas falando de gestão, Ankersen criou um modelo para o FCM inspirado no método com que Benham batia as casas de apostas. Benham sempre fez uma coisa que nós aqui no bujas também gostamos de fazer: imaginar equipas de outras ligas a jogar, por exemplo, na Premier League. E este ranking de clubes ajuda-os a contratar jogadores para o FCM, jogadores que na opinião deles poderiam jogar num nível superior ao da liga dinamarquesa sem problemas. Um exemplo? Tim Sparv, médio defensivo que alinhava no Greuther Furth da 2ª divisão alemã.

Sparv não tinha dados estatísticos que fundamentassem a sua contratação. Então... Porquê contratá-lo? Sparv alinhava no Greuther Furth, um clube que segundo o modelo de Ankersen podia disputar a Premier League Inglesa. O Greuther Furth tinha jogado na Taça contra clubes da 1ª divisão alemã e, estabelecendo a ponte entre clubes de topo alemães e as suas exibições contra equipas inglesas nas competições europeias, era possível chegar à conclusão que o Greuther Furth faria boa figura em Inglaterra. Se Sparv não fazia cortes espectaculares e não tinha estatística relevante em tackles, disputas de bola, então isto só podia significar que Sparv estava a chegar antes do adversário aos lances. A ausência de estatística, num médio defensivo, pode revelar excelente posicionamento e que as coisas estão a ser bem feitas. 

Se o FC Midtjylland tem menor orçamento que o Copenhaga ou que o Brondby, então acertar nas contratações torna-se fundamental para os superar. Os olheiros do FCM não vão ver jogos ao vivo dos jogadores que o clube quer contratar. A direcção em vez de compilar um relatório de 3 ou 4 jogos ao vivo de um atleta prefere observar dezenas de jogos em vídeo, numa posição em que é muito menos provável errar do que estando num estádio, com todo o ambiente a condicionar a avaliação do atleta. A função dos olheiros é apenas descobrir posteriormente, depois de se definir o alvo, se os jogadores estão aptos mentalmente para jogar no FCM e se o seu comportamento fora dos relvados é o que um atleta de topo deve ter.

Esta política de contratações e o laboratório de bolas paradas é apenas uma pontinha que Ankersen deixa revelar sobre o seu modelo para o Mitdjylland. Em 2015/16 o FCM, campeão em título, segue em 1º lugar com 7 pontos de avanço para o Brondby e 8 pontos para o Copenhaga. O maior feito da época, até agora, foi eliminar o Southampton (1-0, 1-1) no apuramento para a fase de grupos da Liga Europa.


quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Porque é que a Premier League não é a melhor liga do mundo?


Só um parvo ou um tolinho acreditaria que conseguiria jogar melhor à bola do que o Thierry Henry ou o Alessandro Nesta. Eles são simplesmente diferentes de qualquer pessoa normal. São atletas soberbos abençoados com técnica e atributos. Treinador é outra conversa: qualquer um se imagina como treinador. Aliás, todos nós poderíamos representar o papel de um já que os traços necessários são mentais e não físicos. A abilidade de um Gerard Houllier ou de um Alberto Zaccheroni está escondida da nossa vista, tal e qual como o trabalho que eles fazem. O trabalho de um treinador é uma vez revelado: nós só vemos o reflexo dele no campo e esse reflexo é canalizado através de 11 homens. 

Em Itália ser treinador é visto como uma profissão que necessita de estudo e aprendizagem. Em Inglaterra, por outro lado, parece que muitos encaram a abilidade para se gerir e treinar como algo inato, não como algo que necessite de ser aprendido, quer seja por uma experiência em clubes de ligas inferiores ou até por cursos de treinador. 

Nos últimos 10 anos estrangeiros têm gerido os 5 principais clubes ingleses (78% de treinadores estrangeiros). A Itália produz mais treinadores de topo que a Inglaterra. Porquê? Sempre pensei que fosse pelo caminho escolhido para se chegar ao lugar de treinador de futebol.

O background não é muito diferente. Normalmente os treinadores costumam ser antigos profissionais e alguns deles até antigos internacionais pelas suas selecções. Uma das grandes diferenças entre Inglaterra e Itália tem a ver com o momento em que se tornam treinadores de topo. Enquanto que em Itália, na maioria das vezes, têm que fazer uma longa aprendizagem, em Inglaterra chegam a essas posições muito novos e para quem vê de fora, chega a ser chocante a própria ideia do player-manager. 

Em média um treinador italiano tem que passar 7 anos em divisões inferiores enquanto que um treinador inglês, quanto muito, passa 3 ou 4 anos. Isto prova que os clubes em Inglaterra investem pouco na experiência dos seus treinadores.

                                                              Gianluca Vialli / Gabriele Marcotti - The Italian Job (2013)

Porque é que a Premier League, indubitavelmente a liga que melhor espectáculos nos oferece, não é a melhor liga do mundo? Porque é que as selecções inglesas, apesar dos seus jogadores jogarem ao lado dos melhores do mundo, não ganham nada? Porque é que os clubes ingleses na Europa são humilhados?

Liga dos Campeões:
2014/15 - Zero equipas nos QF da Champions
2013/14 - Chelsea nas meias. Man Utd eliminado facilmente pelo Bayern nos QF. Chelsea borrou a cueca para eliminar o PSG. Eliminados pelo Atletico nas meias.
2012/13 - Zero equipas nos QF da Champions
2011/12 - Chelsea campeão Europeu a praticar um futebol horrivel. Única equipa inglesa que consegue nesse ano passar aos QF
2010/11 - 3 Equipas nos QF e Man Utd na final. Man Utd vulgarizado por super Barça na final
2009/10 - 2 Equipas nos QF. Zero nas meias.

Liga Europa (não vale a desculpa dos clubes ingleses não se interessarem por esta competição... Os alemães, italianos, franceses e espanhois também rodam o plantel):
2014/15 - Zero equipas nos QF da LE. Everton goleado pelo.. Dinamo Kiev 5-2 nos oitavos
2013/14 - Zero equipas nos QF da LE. Benfica passeou frente ao Tottenham nos oitavos. Wigan ultimo num grupo com Zulte Waregem, Maribor e Rubin Kazan
2012/13 - 3 equipas nos QF. Benfica elimina facilmente Newcastle nos QF. Basileia elimina Tottenham nos QF. Chelsea ganha a final injustamente ao Benfica
2011/12 - Zero equipas nos QF. Man City eliminado pelo Sporting nos oitavos.
2010/11 - Zero equipas nos QF. Man City eliminado pelo Dinamo Kiev nos oitavos. Liverpool eliminado pelo Braga nos oitavos. Aston Villa eliminado pelo Rapid Viena no playoff
2009/10 - 2 equipas nos QF. Fulham perde a final para o Atletico. Benfica humilhou o Everton na fase de grupos (5-0 na Luz)

2 Titulos Europeus em 12 edições das 2 provas. Ambos conquistados pela mesma equipa: Chelsea. 


Vamos às selecções?

Mundial 2014 - ultimo lugar no grupo atrás de Costa Rica, Italia e Uruguai (1 ponto realizado... 0-0 com a Costa Rica)
Euro 2012 - Eliminados pela Italia nos QF
Mundial 2010 - Passaram à rasca em 2º lugar, com 5 pontos, num grupo com EUA, Eslovenia e Argelia. Vulgarizados pela Alemanha nos QF 4-1
Euro 2008 - Não passaram a fase de qualificação... Ficaram em 3º no grupo com os mesmos pontos de Israel e atrás da Russia e da Croácia
Mundial 2006 - Eliminados por Portugal nos QF
Euro 2004 - Eliminados por Portugal nos QF

E os jovens? Nao ganham um Euro sub-21 desde 1984. Nunca ganharam um Mundial sub-20

Mundial sub-20:
2015 - Não se qualificaram
2013 - ultimo lugar num grupo com Iraque, Chile e Egipto (épico)
2011 - Ficam em 3º lugar no grupo mas sao repescados para os oitavos. Perdem com a Nigeria nos oitavos
2009 - ultimo lugar num grupo com Gana, Uruguai e Uzbequistao
2007 - Não se qualificaram

Euro sub-21:
2015: ultimo lugar no grupo de portugal
2013: ultimo lugar no grupo da Italia, Noruega e Israel
2011: 3º lugar no grupo da Espanha, Rep.Checa e Ucrania
2009: Perdem a final com a Alemanha... 4-0
2007: Vão às meias finais mas são eliminados pela Holanda


Dá que pensar, não dá? 

Cada milhão gasto por um clube inglês é só mais uma flor no cemitério de talentos em que este país se tornou. 

terça-feira, 25 de agosto de 2015

Na Madeira moram 2 craques!

Enquanto não sai o Guia Ai Vale Bujas 2015/16 (como somos sérios só vai sair na semana de selecções, já com os mercados fechadinhos) deixamo-vos com um lamiré do que podem encontrar na selva que é a nossa 1ª Liga de Futebol.

Trazemo-vos duas pérolas que vão espalhar magia nos relvados deste nosso Portugal!

OVERATH BREITNER DA SILVA MEDINA


Overath Breitner nasceu em Barcelona, na Venezuela, uma cidade costeira a meio caminho entre o falecido Hugo Chavez (Caracas) e o craque Russel Latapy (Trinidad & Tobago). Muito antes do nascimento já os pais haviam sentenciado ao seu rebento uma vida na Via Láctea do futebol. O estrelato estava destinado a Overath Breitner e, dois anos mais tarde, nascia o seu irmão Roberto Prosinecki da Silva Medina. 
Podemos afirmar que os pais de Overath Breitner e de Roberto Prosinecki tinham bom gosto. Se o primeiro rebento tinha o nome dos craques alemães vencedores do Mundial '74, Wolfgang Overath e Paul Breitner, o segundo, Roberto Prosinecki, glorificava o astro dos balcãs Robert Prosinecki que representou as selecções da Jugoslávia, Croácia e espalhou magia em vários clubes de topo em Espanha. 

Que sejas bem vindo à 1ª Liga e ao histórico União da Madeira! Parabéns pelo golo na 1ª jornada no derby com o Marítimo!

PATRICK VIEIRA


Patrick de Oliveira Vieira nasceu em Machado, Minas Gerais. Se quiserem visitar esta linda cidade é muito fácil. Apanham um avião para Belo Horizonte, em Belo Horizonte alugam carro e saem da cidade. Apanham a estrada 381 como se fossem para Carmopólis, passam Santo Antônio do Amparo e a seguir a Perdões viram à direita para Cana Verde. Depois de Cana Verde é seguir por Campo Belo, Mococa, Capão, Boa Esperança e antes de Mota têm que virar à direita para a 369 rumo a Campos Gerais. Só Em Alfenas, depois do grande cruzamento com a 491, se vai apanhar a MG-179 para Machado. Como vêem é fácil ir lá passar férias! São só 5 horas a conduzir (se não apanharem camiões do gado) desde Belo Horioznte. O sítio mais próximo com hotel é Alfenas e aposto que se vão divertir muito com as gentes locais. Pão de queijo, canjica e muita Skol para matar a sede! 

O rapaz é lateral direito e chega para discutir a titularidade com o sobrinho do presidente Carlos Pereira... O Briguel. 
 
 

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Nós acreditamos no 15 a zero!

Quem acompanha este blog sabe da admiração que existia pelo trabalho de Jorge Jesus. Essa admiração esfumou-se no dia em que foi assassinado o contrato que ele mantinha com o Benfica. Treinando o rival, o nosso rival Sporting, essa admiração dava lugar a um reconhecimento pelo seu indiscutível valor, mas nunca admiração pelo seu trabalho. 


Na noite em que soube do assassinato do contrato não consegui dormir como um trabalhador contribuinte do estado deve dormir. Dormi mal. Virava-me para um lado, virava-me para o outro, pensava em nomes para o lugar de Jorge Jesus e vinha-me à cabeça o nome do Rui Vitória... O sono tardava em chegar. Será que o Vieira me surpreendia? Será que o Vieira, que tem um historial péssimo na escolha do treinador, ia acertar desta vez?

Chegou o Rui Vitória e eu já conseguia adormecer bem. Fui a correr comprar o livro do homem, li aquilo enquanto o diabo esfrega um olho, depois daquela maravilhosa apresentação vibrante de benfiquismo, com um mini cortejo de benfiquistas a segui-lo enquanto ele passava pelo nosso grandioso Museu Cosme Damião, gritando "Vitória! Vitória! Vitória!". Bastaram aqueles momentos para me render ao novo treinador. O homem até tinha feito um bom trabalho no Vitória de Guimarães... É deixá-lo trabalhar - pensava eu. 

Chegou a pré-época e desculpei-lhe tudo. Os milhões que entraram nos bolsos do Benfica e o prestígio que se ganhou por andar a carregar o nome do Benfica pelas américas foram mais importantes do que uma preparação pensada com o objectivo de preparar a equipa física e animicamente para uma nova realidade. A culpa disto não era do Vitória, raios! 

Chegaram os primeiros jogos oficiais e o que pudemos vislumbrar do trabalho do Vitória? 
- A defesa desaprendeu. Péssima transição defensiva, péssima organização defensiva. Isto é treino, amigos, o que me leva a crer que o trabalho que está a ser desenvolvido a este nível é duma qualidade muito suspeita. 
- O ataque desaprendeu. Para Rui Vitória importa ter muita intensidade! Foram feitos quase 60 cruzamentos no jogo contra o Arouca e cerca de 30 remates. Isto é, sem dúvida, intensidade. Mas ao mesmo tempo é muito mau sinal. É sinal que agora o que importa não é o jogador decidir bem mas sim visar a baliza nem que a probabilidade de fazer golo seja 2%. 
- Em 2015, fazer quase 60 cruzamentos num jogo é sinal de que:
a) a equipa deu tudo o que tinha animicamente e correu que se fartou
b) foi fácil chegar ao último terço
c) não se soube o que fazer com a bola no último terço
d) quando se têm 3 jogadores numa ala, em inferioridade numérica, e 3 jogadores plantados, estáticos, na área, também eles em inferioridade numérica, a única solução é mesmo cruzar
- Júlio César está a ser o que Preud'Homme já foi
- Nelson Semedo e Lisandro mostram potencial mas só vamos saber se o cérebro consegue corrigir as debilidades posicionais se o cérebro de Rui Vitória também for capaz de corrigir debilidades posicionais da equipa



Eu acreditei que o Benfica podia dar a volta à eliminatória de Vigo. Eu acreditei que o Benfica podia ser campeão com o Artur Jorge, com o Autuori, com o Souness, com o Camacho, com o Quique, com o Koeman e com outros que tais. Eu acreditei que o Peixe, o George Jardel e o Anderson Luís eram os reforços de que o Benfica precisava naquele ano. Eu acreditei que o Glen Helder vinha para se assumir como a principal estrela do futebol nacional. 

Eu acredito no Benfica do Rui Vitória. A razão para acreditar é o último parágrafo antes deste.


quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Tutoriais para Totós Nº8 - Os milhões do Vieira

Parece que o Vieira anda com algumas dificuldades para dar as mesmas condições ao Rui Vitória que deu ao Jorge Jesus. Nós aqui no Bujas não queremos que falte nada ao novo treinador do SLB e por isso avançamos com um tutorial para a estrutura do Benfica aproveitar se quiser. 

Vamos aos números! Quanto dinheiro temos para gastar? Ora bem... Vamos lá a ver as vendas que já realizámos à pala do Seixal: Cancelo + Bernardo Silva + André Gomes + Ivan Cavaleiro = 60 milhões de euros. Ora o câmbio actual diz-nos que 1 milhão do Vieira vale mais ou menos 20mil contos moeda antiga. Para os mais pequeninos eu explico. 20 mil contos são 100mil euros, noves fora, temos portanto 6 milhões de euros para gastar. Estamos entendidos? 

Baliza - O Rui Vitória é um cagão e continua a apostar no Velhinho da Paragem. Nós aqui no bujas achamos que os gordos têm que ir à baliza e que no futebol moderno não há espaço para Guarda-Redes à antiga - daqueles que se for preciso metem bonés na cabeça em tardes solarengas da nossa Primeira Liga. A solução passa por apostar na prata da casa, claro está! Adel Taarabt. É gordo e joga bem com os pés. Tem tudo para ser um excelente GR/Líbero. Só precisamos de gastar dinheiro num bom treinador de GR que o ensine a de vez em quando defender um patardo de longe ou a apanhar uma bola num cruzamento, se bem que as oportunidades contra a nossa equipa vão ser tão escassas que se calhar mais valia poupar o dinheiro.
Solução: Grátis! Contratar o Peter Rufai para ensinar o Taarabt a defender minimamente. O Peter Rufai foi colega do Hajry e do Hassan no mítico Farense do Paco Fortes portanto ele deve dar-se bem com marroquinos.



Lateral Direito - Fartei-me de pensar num gajo que sirva para secar o Brahimi e o Bryan Ruiz. Só me vem à cabeça o nome do antigo Papa Ratzinger. O gajo sempre que começava a falar no Vaticano dava-me uma moleza do caraças. A solução passa por metê-lo encostado à linha a falar sobre a vida com os extremos esquerdos adversários. Acho que é remédio... Santo. Temos é que ter cuidado com a falta de mobilidade do homem, não vá o menino esquecer-se de subir para meter o resto da malta em fora de jogo. Temos portanto que contratar um bom preparador físico que faça com que este velhinho de 88 anos consiga fazer 1 ou 2 sprints por jogo... Ou então contrata-se uma cadeira de rodas eléctrica, só não sei se a liga autoriza.
Solução: Baratuxa! Se a liga autorizar: Ratzinger mais cadeira de rodas eléctrica. Se a liga não autorizar vai-se buscar o Carlos Lopes ao atletismo do Sporting para treinar o Ratzinger. 



Lateral Esquerdo - Tem que ser um jogador insuspeito. Um gajo que chegue e toda a gente aplauda. Uma contratação na mouche. Aquele gajo que chega e um gajo diga "é mesmo isto!". Um lateral com bom toque de bola, com margem de progressão para termos o problema resolvido para muitos anos, se possível um gajo que ja tenha até sido extremo ou que tenha pisado terrenos mais ofensivos. É pá que dizem do Nii Plange?
Solução: Nii Plange. 



Defesas Centrais - A defesa de betão. Não é fácil encontrar hoje em dia centrais bons a sair com bola no pé. Bons no primeiro passe, com visão para descobrir uma solução entre linhas que parta ao meio a equipa adversária. Eu acho que aquela ideia de central alto e espadaúdo, à Tonel, está completamente ultrapassada. Sugiro dois centrais que sejam capazes de se for preciso jogarem à rabia com os avançados adversários. Que joguem à rabia sob pressão adversária! O João Vieira Pinto já pendurou as botas portanto eu acho que os melhores jogadores para centrais do Benfica seriam o Matias Fernandez (que é tipo Aimar, mas mais rato...) e o Valdivia. Ainda por cima são os 2 chilenos e iam trazer bom ambiente ao balneário. Ainda por cima, chilenos assim de repente, só me lembro do Uribe e do Escalona e estes gajos são muito melhores que o Uribe e que o Escalona logo, no tribunal da Luz, estariam logo aprovados à partida.
Solução: Valdivia e Matias Fernandez. Temos 6 milhões para gastar... Fácil.



E diz o Forum SCP:








Médio Defensivo - O melhor jogador do mundo aka Fernando Alexandre.



Médios Box-to-box - Os carregadores de piano. Se são carregadores de piano têm que ter aspecto de homens das mudanças. Musculados, boa preparação física para subir e descer escadas o dia todo, para mandar uma cotovelada bem assente de vez em quando, para ganhar os duelos individuais... É pá podia ser o Marco do Big Brother, mas isso não seria dar ao Rui Vitória as mesmas condições que se deram ao Jesus. Eu digo sem medos: José Aldo e Connor McGregor. Seriam uns valentes médios... Boxe to boxe. Get it? Boxe... Box to box. Porrada. Hehehehe
Solução: contratar o José Aldo e o Connor McGregor.



Extremos - Toda a gente sabe que são os extremos que ganham os campeonatos. Dois nomes sonantes para esta posição e o tri-campeonato estaria no bolso. Vamos lá a pensar num gajo rápido, criativo, boa finalização, capacidade para brilhar a um nível internacional, bom no mergulho. Estão a pensar no mesmo que eu não estão? Zezé! Zezé Camarinha, foda-se! E o outro? Não têm aí nenhum amigo que esteja com um rendimento em Erasmus bastante acima da média? Será que o Renato do Bruno Aleixo se safa?
Solução: Zezé Camarinha e um amigo vosso de Erasmus



Ponta de Lança -  Não sei se já repararam... Mas a minha equipa é simétrica. Ora bem, se é simétrica, precisei de pensar num ponta de lança gordo como o nosso guarda-redes. Não foi difícil chegar ao nome do nigeriano Adebayo Akinfenwa. É um velho conhecido aqui do blog e toda a gente, no mundo inteiro, anseia por ver este menino disputar a Champions League. Um craque na arte de mandar abaixo hamburgas (só os maricas é que escrevem hamburguer)
Solução: Contratar o Akinfenwa ao Wimbledon



terça-feira, 28 de julho de 2015

De Isaías para Lima



Como já devem ter reparado Isaías tem um cantinho especial no coração dos autores deste blog. Eu aprendi a ser tolerante com o Isaías. Sempre que o Pesaresi mandava um cruzamento para a bancada...

«Ó, deixem lá, o Isaías também se fartava de mandar bolas para a bancada e era um craque»

O encanto pelas bujas. O encanto por aquele gesto sublime que é puxar a perna atrás e PUM. Estoiro. Golo! Golaço! A buja! O patardo de força! A violência no encontro da bola com a rede! Isaías dava-nos essa esperança de que, a qualquer momento, lá surgia um torpedo. Não sabíamos onde ia cair, mas aprendemos a tolerá-los quer caíssem no fundo das redes quer ao colo da velhinha do tricot na bancada. 
E Isaías pulava com as mãos na cabeça a fazer corninhos, a fingir que gozava com um touro, a fingir que era um touro ou simplesmente para dizer às bancadas um enorme... 

«Caríssimo... Seja bem-vindo à tourada do Campo Grande»

E Isaías falava aos microfones para dizer que infelizmente havia pessoas extra-futebol que faziam do espectáculo uma grande porcaria. Isaías para sempre herói, mito, lenda.

Anos mais tarde, depois de outros tantos avançados brasileiros terem tentado escrever a sua história, chegou ao Benfica o nosso Lima. Paulo Nunes, Valdir, Donizeti, Marcelo, Anderson (o do Alverca, eu não me esqueço), Alan Kardec, Keirrison, Derley, Derlei, Eder Luiz, Marcel, Manduca... Enfim, a minha memória não estica mais. O que é certo é que estes todos se esqueceram da caneta para escrever na história do Benfica. Lima não. 

Não vou falar nas batatinhas do Dragão. Não vou falar sobre o golo ao Sporting depois do Gaitán ter andado a brincar com o comando da playstation com os defesas leoninos. Não vou falar das DEZENAS de golos cruciais mas lembro só aquela batatinha de livre a desbloquear o 1-1 em Vila do Conde em 2013/14. Sabem do que vou falar? Sabem que imagem carinhosa e maravilhosa vou guardar do Lima? A carroça com que este menino estava na festa do título 2013/14. Chapéu para trás à rebelde. Um enrolar maravilhoso de palavras só ao alcance do melhor ébrio. Um festim de Baco, uma festa linda, um quero lá saber e vivó Benfica em cada gesto do nosso Lima nessa noite.

Em Monte Alegre, no Pará, a vida corre devagar. Não há pressa. Entras num café, pedes pão de queijo, apontam-te o balcão da recepção e dizem «pega lá, deixe a grana lá». A vida corre sem pressa e as pessoas têm sempre gotinhas de suor à flor da pele; como Lima. A humidade, o calor abafador naquela região tropical faz com que as pessoas transpirem como Lima aqui transpirou. Lima deu-se bem porque nós, os 30 mil adeptos de sempre, lhe demos a estufa de que ele necessitava para crescer. E a planta carnívora, devoradora de animais, devorou e triturou leões, dragões entre outros bichos. 

Aumentem a estufa, amigos benfiquistas. Não há forma melhor de homenagear Lima. Não há forma melhor de homenagear quem faz e fez parte da história do Benfica. Transformem os habituais 30mil em habituais 60mil. Transformem a Luz num inferno tropical cheio de criaturas mitológicas capazes de devorar defesas em milésimos de segundo.

O Lima agradece. 



segunda-feira, 27 de julho de 2015

Hajduk e Benfica no mesmo trilho

Igor Tudor, mítico defesa croata da Juventus assumiu o comando técnico do Hajduk Split (clube onde é um símbolo) em 2012/13, conquistando logo na época inicial uma Taça da Croácia ao Lokomotiva de Zagreb de Tomislav Ivkovic. Tudor aprendeu com Edoardo Reja (treinador do qual Tudor foi assistente no Hajduk) e com Antonio Conte (fez um estágio na Juventus ao mesmo tempo que em 2013 orientava os sub-17 do Hajduk) a metodologia que queria implementar no treino. O 3-1-4-2 de Tudor era visto como cativante por parte dos adeptos e dava resultados. Mas como tudo na vida não pode ser perfeito, este Hajduk de 2013 a 2015 tinha um problema, um problema de filosofia. O dinheiro não abunda em Split e a direcção não deu a Tudor o defesa que ele queria no mercado de inverno. Existia talento na academia, talento com o qual Tudor inclusive tinha trabalhado em 2013, mas Tudor continuava a preferir a experiência e continuava a exigir a contratação de jogadores formados, ao invés de os formar. Tudor até apostava neles de quando em vez, mas a falta de estaleca táctica dos miúdos punha o seu sistema de 3 centrais em risco. A direcção do Hajduk, a desesperar por dinheiro e com os diamantes por lapidar na academia, tentava colocar pressão em Tudor. A pressão não resultou, Tudor saiu e para o seu lugar vem um treinador croata com escola alemã. Damir Buric foi adjunto de Sascha Lewandowski (Leverkusen) e de Robin Dutt (Werder Bremen) e chega com outro tipo de ideias ao Hajduk... Mas também com outro tipo de resultados. O Hajduk iniciou de forma horrível o campeonato, tendo sido goleado no último fim de semana, 4-1, pelo Istra de Igor Pamic. 

Esta história não está muito longe daquela que se vive na Luz. Jorge Jesus sempre falou nas etapas da vida dum atleta e sempre foi contra "queimar etapas", nunca forçando a titularidade de jovens e preferindo esperar pelo que o tempo ou pelo que Luís Filipe Vieira lhe traziam. Tudor pensava da mesma maneira. Os problemas financeiros no Benfica não são tão graves quanto os do Hajduk, mas o investimento feito no Seixal, as promessas eleitorais de Vieira e uma nova geração cheia de talento no futebol português a despontar, fizeram com que Jesus saísse pela porta pequena dum clube onde tinha atingido um sucesso estrondoso enquanto treinador. Curiosamente, mal chega a Alcochete, saca Gelson Martins que parece capaz de revolucionar todo o futebol ofensivo dos leões. O futebol não é linear e se a mira de Jesus provavelmente falhou o alvo Bernardo Silva, parece agora ter acertado completamente no alvo Gelson. Isto para dizer que Jesus ou Tudor podem perfeitamente funcionar num clube com o objectivo "formação" bem patente. Tal como Jesus sacou e lançou na equipa principal André Gomes, Ivan Cavaleiro ou Gonçalo Guedes, Tudor lançou Maloku, Basic e outros tantos. Claro que as realidades são bastante díspares mas o certo é que ambos, Tudor e Jesus, saíram por terem filosofias ou ideias diferentes das dos dirigentes de Benfica e Hajduk, apenas e só por acharem que o sucesso desportivo a curto prazo não pode ser hipotecado pela aposta em jovens às cegas. Tenho a certeza que existirão outros motivos para a saída de Tudor e Jesus, mas este tema fracturante, o tema da aposta na formação e no retorno financeiro que esses jovens trazem ao clube, foi sem dúvida o principal motor para essas mudanças na equipa técnica.  

Voltando ao Hajduk, convido-vos para assistir da primeira fila ao desfile de talentos que podem trazer um futuro bastante risonho ao clube de Split a médio/longo prazo. Jogam na 5ª feira para o playoff da Liga Europa contra o Stromsgodset da Noruega. Prevê-se um grande espectáculo.


Andrija Balic, 17 anos, Médio defensivo. Gosta de organizar o jogo, tem recorte técnico da escola do Modric e Rakitic, gosta de se aproximar da área adversária para experimentar a sua buja. Do que tenho visto parece-me o maior talento de todos. É impressionante como aos 17 anos joga com tanto à vontade e com tanta classe. Craque da cabeça aos pés.

Josip Basic, 19 anos, Ala direita. Parece-me que terá mais futuro como lateral do que como médio ou extremo direito. Forte fisicamente e com boas qualidades técnicas no passe, peca a nível de recepção e no 1 contra 1. Precisa de evoluir muito mas parece-me que o talento está lá

Nikola Vlasic, 17 anos, médio ofensivo. Este, tal como Balic, não engana... Rápido a reagir, frio à frente da baliza, técnica fina, recepção, buja, joga em espaços curtos, enfim, o que é que se pode querer mais? Dá gosto vê-lo jogar.

Elvir Maloku, 19 anos, extremo esquerdo. Foi lançado muito novo no Hajduk por Igor Tudor e tem vindo a perder espaço. Não deixa de ser visto como um dos maiores talentos mas precisa de se motivar para poder comprovar o potencial que tem. Rápido, bom drible, bom remate, falta-lhe acima de tudo intensidade.






domingo, 5 de julho de 2015

Crimes na Copa America


CRIMINOSOS

Alexis Sanchez fez o que tinha que ser feito. Um golpe sem dó nem piedade. Crueldade servida à temperatura do topo dos Andes. Gelou o corpo de Messi. Podia ter também gelado o cérebro do Tata Martino... Mas Tata não tem cérebro para congelar.

Nos últimos 3 campeonatos do Mundo só o do ano passado no Brasil contou com uma equipa sul-americana na final. A Argentina de Sabella jogava um futebol patético e só marcou presença na final por sorte e por Messi. Apanhou nos oitavos a Suiça e suou para a ultrapassar no prolongamento. Apanhou a Bélgica nos quartos e quem viu o jogo deve-se lembrar do azar do De Bruyne onde a bola batia em todo o lado menos no fundo das redes. Nas meias-finais, contra a Holanda, só carimbou a passagem nos penaltis. Na final a raça sul-americana dos jogadores fez com que não sofressem uma humilhação à conta da melhor selecção do mundo: a Alemanha. O trabalho de Sabella? Estar no banco ou não estar ia dar ao mesmo.

Tata Martino é como Sabella e como Dunga e como outros tantos. São péssimos no que fazem e escolheram a profissão errada porque fazem mal ao futebol de que gostamos. Mas para eles está tudo 5 estrelas porque estão com o cu cheio de dinheiro. Agradeçam aos engravatados que vos contrataram e a todos os santinhos porque se as vossas federações percebessem de futebol estavam todos a lavar escadas no Maracanã. Treinadores como Tata Martino ou Dunga fazem figura de corpo presente.

Nem Argentina nem Brasil sabem defender. Os jogadores sabem. Muitos trabalham todos os princípios de que precisam para saber defender nos seus clubes europeus. Mas Tata Martino e Dunga não sabem montar uma equipa que possa usufruir do talento dos seus defesas. Então o que fazem? Enchem a equipa com jogadores de características defensivas. Ainda pensam em 2015 que podem dominar um jogo e demonstrar o favoritismo que possuem desta forma. Não podiam estar mais enganados.

Mas vamos aos 11 base brasileiro e argentino. Confesso que já estava cheio de saudades da famosa táctica do pirilau. Uma táctica que ficou famosa em Portugal com o Paulo Autuori e que pelos vistos ainda se aguenta até 2015. Isto falando do Brasil... Já a Argentina do Tata Martino é igual a tudo, é enfadonha, é um atentado a quem gosta de futebol ainda por cima com génios como Messi, Di Maria ou Aguero na convocatória.


Eu imagino estas selecções orientadas por um técnico espanhol como Unai Emery, Marcelino Toral ou Paco Jemez. Eu imagino estas selecções orientadas por um técnico da escola alemã como Roger Schmidt, Dieter Hecking ou o suiço Lucien Favre. O que têm todos em comum? Ideias. As suas equipas atacam, marcam golos e dá gosto ver os seus jogos. Lembram-se quando ver o Brasil ou a Argentina era bom? Eu não. Nunca vi isso acontecer. Nem quando havia Ronaldo, Rivaldo e Ronaldinho. Lembro-me de bons golos mas não me lembro de bom futebol. Nem em 1994 me lembro do Brasil a praticar bom futebol. 

Os dois países que melhores futebolistas produzem, ano após ano, envergonham o universo do futebol com as suas selecções. Já chega. Está na hora de mandar estes criminosos para a prisão. 

Parabéns, Chile. Foi espectacular e especial. A Argentina merece esta dor. 

Por fim... Querem rir-se? Leiam isto: Vanderlei Luxemburgo experimenta LSD pela 1ª vez e dá uma entrevista




sábado, 4 de julho de 2015

Uma ideia errada que tinha...

Sempre pensei que o Benfica de Jesus fazia melhores 2ªs voltas que 1ªs.

Estava enganado. Na coluna da esquerda os pontos conseguidos na 1ª volta e na da direita na 2ª volta. Só em 2013/14 e 2009/10 as 2ªs voltas foram melhores que as primeiras.

No entanto, uma ideia nunca me abandonou enquanto Jesus esteve no Benfica: sempre vi o Benfica a praticar melhor futebol na segunda metade do campeonato.

Será que isto significa que as equipas dele normalmente estão menos preparadas do ponto de vista psicológico para aguentar a pressão? Será que significa que fisicamente as equipas não são bem preparadas para a 2ª metade da época? Será apenas uma estatística bacoca?

Não procuro com isto chegar a nenhuma conclusão para já.

Ultimamente li o livro do Rui Vitória e estive hoje atento ao primeiro treino do Benfica que passou na Benfica TV. Rui Vitória preocupa-se muito com os aspectos mentais do jogo. Do físico, não me recordo de ter lido nada relevante a não ser o perfil dos médios centro, posições para as quais RV pretende jogadores que consigam dotar a equipa de resistência, velocidade e agressividade que, aliadas a uma forte preparação mental, permitam que a equipa controle o miolo nos jogos. Não sei se ele vai continuar a optar por este perfil estando no Benfica. Cá estaremos para ver...

Mas voltando a Jesus e tendo em conta o que ele exige à sua equipa do ponto de vista físico, será possível uma equipa ter um desempenho semelhante ao que o Benfica apresentou nos últimos anos, sem ter infrastruturas como o Benfica Lab capazes de controlar ao milímetro todos os peidos que os jogadores dão? E quais serão as consequências da exigência extrema de Jesus quando o físico e o mental falham? É claro que o Sporting tem meios e infrastruturas muito boas para o desenvolvimento dos seus atletas, mas será que chega?

São muitas perguntas para as quais estou ansioso por respostas. Não tenho nenhuma conclusão. Tenho muitas dúvidas.

sexta-feira, 3 de julho de 2015

Meanwhile in... San Marino!

MEANWHILE IN... SAN MARINO
Uma história fantástica ou a máfia da Arménia em acção?!

Parece que nem as investigações do FBI perturbam algumas actividades estranhas nas competições da UEFA. É só um gajo estar atento para ver autênticas sitcom nas pré-eliminatórias da Champions e da Liga Europa.


Em 2013-14 o Shirak, campeão armeno, deslocou-se a San Marino para oferecer - literalmente - a primeira vitória de sempre a uma equipa de San Marino.

«Ah mas ó bujas, isso aconteceu porque equipas de San Marino nunca jogam contra equipas de Andorra ou de Malta... Caso contrário já tinham ganho mais vezes!»

É o ganhas, belhote... Quando o Tre Fiori de San Marino calhou com o Sant Julià de Andorra (2009/10), empataram os dois jogos e depois perderam nos penaltis: qualificaram-se os de Andorra. A mesma equipa de San Marino já calhou com o La Valeta de Malta e adivinhem? Duas derrotas. Mas o La Fiorita de San Marino não teve sorte diferente quando defrontou o La Valeta e açambarcou mais duas belas derrotas.

Este ano, mais uma vez, o início da época está a ser um espectáculo para quem é sádico o suficiente para ver jogos de equipas de San Marino, Gibraltar, Andorra, etc...

Vamos lá aos resultados que não fogem da normalidade:
Brondby 9-0 Juvenes-Dogana (San Marino)
La Fiorita (San Marino) 0-5 FC Vaduz

Então e o actual campeão de San Marino?

Estava a ver que nunca mais perguntavam pelo enorme Folgore-Falciano! Calhou-lhes em sorteio o Pyunik, campeão armeno e que conta com 8 habituais internacionais armenos mais Cesar Romero, um ponta de lança americano que foram buscar ao Chivas e que marcou 26 golos em 30 jogos na época passada. Tarefa complicada para o Folgore-Falciano ainda por cima tendo em conta que estavam excluídos da convocatória os jogadores Proli, Sartori, Genestreti, Nucci, Righi e Loiodice - certamente todos cepos, mas certamente fazem falta num clube com poucos recursos. Nem vou comentar a pergunta que estão a fazer na vossa cabeça e respondo já, antes que a atirem para o ar - é óbvio que conheço estes jogadores todos como à palma da minha mão!
Mas a aventura do Folgore na Europa é mais épica do que vocês pensam. Imaginem só que têm que fazer uma viagem de San Marino até Yerevan. Vão de autocarro até Milão mas apanham uma fila de trânsito em Bolonha que quase vos faz perder o avião para... Atenas. Em Atenas esperam mais umas quantas horinhas, ainda vão dar um aperto de mão ao Machairidis e ao Varoufakis e finalmente apanham mais um avião para Yerevan.

Ora bem... Chegados a Yerevan e com jogo no dia a seguir, toca de ir dar um pulinho até ao estádio para ver as condições do relvado e preparar a mega táctica Folgoriana para parar o campeão armeno. Sabem quem é que parou? Foi o autocarro do Folgore! À saída do estádio, no regresso ao hotel, mediu mal a altura duma ponte e toca de embater com toda a violência com o topo do autocarro na ponte. Imaginem o cagaço que os jogadores apanharam. É o chamado dia em cheio! Horas no trânsito em Bolonha, um dia inteiro em aeroportos e - cereja no topo do bolo - batem com o autocarro quando já só pensavam nas caminhas do hotel. Os jogadores não vão de modas, agarram nas malinhas e fazem-se à estrada rumo ao hotel. (se quiserem mais pormenores sobre este conto de fadas visitem o facebook oficial do Folgore: https://www.facebook.com/FolgoreFalcianoCalcio E TOCA A DAR LIKE NA PÁGINA DOS HOMENS)



Resultado normal disto tudo? Bem, eu diria uma goleada do género da que o Brondby espetou ontem no Juvenes-Dogana... Enganei-me. Os armenos não jogaram a ponta dum corno e o Folgore-Falciano, mesmo a perder 2-0 e a jogar em inferioridade numérica ainda conseguiu reduzir para 2-1 na sequência de um canto.



Para a 2ª mão somos todos Folgore-Falciano! Força Folgore! Vence por nós!




terça-feira, 30 de junho de 2015

Cocós, Ranhetas e Facadas

Maxi Pereira. 8 anos de Benfica. Possibilidade de terminar a carreira no clube com mais de 12 milhões de euros limpos no bolso, ganhos ao longo de 11 anos de carreira, com estatuto de imortal na história do Benfica. Um jogador tricampeão, que sempre pautou pela raça e pela total entrega ao jogo. Manda a história às urtigas por causa de dinheiro... Por pensar na família primeiro... Excelente exemplo dado aos filhos. O transformar de uma carreira gloriosa de águia ao peito numa mão cheia de nada. Daqui a 10 anos como será recordado Maxi se este tiver optado pelo Porto?


Godinho Lopes e outros que tais. A caça às bruxas em Alvalade era fundamental e veio no timing certo. Bruno de Carvalho está a reunir o clube, está a aglomerar os sócios à sua volta e a eliminar oposição para tentar minimizar os danos caso Jesus não traga sucesso a curto prazo. O famoso gang do croquete de Alvalade é encostado à parede e um novo Sporting parece nascer. No passado o Sporting era vítima de bullying. No presente o Sporting pratica bullying. Mas atenção, sportinguistas, normalmente são os cábulas quem pratica o bullying. É bom que tenham sempre um olho em Belém e outro no Cais do Sodré... À Jefferson.

O Pânico de Junho. Eu quando tinha 15 anos ia de férias com a minha família. Naquela altura não havia internet no telemóvel e nem tinha a sorte de ter uma barraquinha com jornais para ler as gordas à entrada da praia. A solução passava por ir 10 vezes por dia ao teletexto ver se já tinha aparecido mais alguma cenourinha no Benfica. Entretanto cresci, fiz-me homem e caguei para os jornais. É só tretas atrás de tretas. Sofrer por antecipação? Onanismos despropositados? Não, obrigado. Façam como eu, instalem o Football Manager, metam o Benfica com 2 biliões (com o FMRTE dá) e divirtam-se a contratar um plantel novo. Depois joguem 1 mês o savegame, empatem com o Rio Ave no estádio dos Arcos, saiam do jogo e repitam o processo das contratações outra vez. É o melhor remédio para a ansiedade da pré-época.

Ai ui facadinhas. Nem de propósito, caraças! Veio mesmo a calhar esta campanha de Portugal sub-21. Os Benfiquistas que andavam caladinhos com as conquistas sucessivas do Jorge Jesus podem agora clamar pelo Bernardo Silva e chorar todos os horrores que o tirano Jesus cometeu no Benfica. Vejam lá que o malandro nem deixava ver os treinos! A sério, pessoal, é tão feio agora virem com essa conversa de que nos tempos do Jesus isto era mau e que agora é que vai ser bom porque vamos apostar na formação. Nem faz sentido aproveitarem todas as ocasiões para lançar uma farpa ao Jesus (e isso tem-se visto muito na Benfica TV, infelizmente). Adoptem a postura do Vieira... Agradeçam ao homem e calem-se com o Jesus, caso contrário ou muito me engano ou vamos ter um fantasminha brincalhão na figura do Jorge Jesus. E os sportinguistas da facadinha? Aqueles que dizem que o Jesus não vai para o Sporting ganhar mundos e fundos e que a única garantia que ele quis foi a de que ia treinar o clube do coração!? Esses mesmo! Então o Jesus reduziu o ordenado para metade para ir treinar o clube do coração? Então o Jesus vai ganhar o mesmo que ganhava no Benfica? Então... Então mas... Querem ver... O Jesus vai ganhar mais no Sporting do que no Benfica e o Sporting é que é o clube do coração?! Vá-se lá entender o futebol!

sexta-feira, 26 de junho de 2015

Isto é uma vergonha de estilo!


Apresentamos ao estimado leitor duas análises possíveis a esta foto. Escolha qual delas a melhor:

a) Isto é uma vergonha. Vê-se claramente pelo bronze que o Rui Vitória esteve o tempo todo de papo para o ar na praia em vez de ter estado a ver vídeos do youtube a cada jogador que saía na comunicação social como reforço garantido do Benfica! Inadmissível! A forma como ele coloca a mão esquerda por cima do bolso só pode querer dizer que se esqueceu das chaves de casa e que agora está a ligar à mulher a dizer que mais logo ela vai ter que lhe abrir a porta! Só prova a falta de cérebro que este animal tem! 

b) Classe. Numa palavra: classe. Barba exemplar. Cabelo irrepreensível. Se não fosse o treinador do Benfica podia passar por executivo de Wall Street. Viu-se que cumpriu todos os objectivos a que se propôs na semana das Caraíbas: bronze invejável. Aquilo que ele tem ao ouvido não é um telemóvel mas sim uma arma letal com a qual ele está a matar melros. Matar melros? Arrancar cenouras da terra! Vamos ter um 11 jovem e cheio de novos Robbens, novos Enzos e novos sonhos! Reparem no pormenor de Rui Vitória parecer que está a repousar a cabeça sobre o lema do Sport Lisboa e Benfica. Isto sim é sentir a mística. O homem até se encosta ao glorioso lema E Pluribus Unum.

terça-feira, 23 de junho de 2015

Ai Vale Olheiros?

Estou a denotar alguns problemas na construção dos plantéis 2015/16 dos clubes da Primeira Liga. Como não queremos que falte nada a ninguém, avançamos com um extenso trabalho de pesquisa que nos permitiu trazer as trutas mais frescas ao mercado. 

Autênticas pérolas que só precisam de uma oportunidade para brilhar às ordens do Quim Machado no Estádio João Cardoso ou às ordens do Petit no novo relvado do Bessa.

ISAAC PUPO

Posição: Médio Esquerdo alienado do jogo
Idade: 29 primaveras
País: Libéria (23 internacionalizações... Mais do que o Theo Weeks)
Depois de passagens pelo Karabakh, Panionios e Hammarby, foi despedido do Kelantan (Libéria) devido a uma má exibição... Imaginem se o Porfírio tivesse sido despedido dos clubes por onde passou a cada má exibição. Tinha acabado a carreira com 342 clubes no currículo. Coitado do Isaac... Injustiça. Vejam só esta maravilha de vídeo do Isaac Pupo. Pode não dar para perceber se é grande jogador, mas aquele jardineiro que trata das palmeiras já merecia uma oportunidade com o relvado de Alvalade.


HARRY PANAYIOTOU

 
Posição: Avançado preto daqueles rápidos
Idade: 20 verões
País: São Cristovão & Neves (5 internacionalizações 4 golos... Pauleta? Quem?)

Este é provavelmente o maior talento por descobrir. Uma verdadeira pérola. Desde 2011 até 2015 fez 1 jogo e marcou 1 golo ao serviço do Leicester. Na época passada, no Port Vale, zero jogos. Na selecção em 5 jogos marcou 4 golos. Mesmo que só tenha feito 6 jogos em toda a carreira nos seniores, tem um rácio de golos por jogo superior ao do Jackson Martinez que também é avançado, preto e dum país tropical. No vídeo, o Harry marca o 2-3, 2-4 e 2-5. Vejam por favor a partir dos 3 minutos. Pressão alta, tiki taka, finalização siberiana!




FENEDY MASAUVAKALO

Posição: avançado mágico
Idade: 30 invernos
País: Vanuatu

Se nunca ouviram falar no Masauvakalo não sei o que andam a fazer da vossa vida. Este gajo está provavelmente, ao que eu consegui apurar, no Top 10 de melhores jogadores de sempre do Vanuatu. Em princípio é uma contratação acessível mas vão ter que fazer umas montagens para os nossos estádios parecerem menos boring em comparação com os estádios lá do Vanuatu. Parecendo que não jogar para uma plateia de canibais cobertos de cinza de carne humana é muito mais interessante do que os 40 velhos que estão na central do Estádio do Restelo. 




RIDER MELGAR


Posição: múmia 
Idade: 24 outonos
País: Bolívia

Rider Melgar só precisa duma oportunidade. Rider Melgar é um excelente guarda-redes, a culpa é da defesa. Rider Melgar joga bem sob pressão. Rider Melgar tem nome de craque. Rider Melgar é da terra do Erwin Sanchez e do Ronald Garcia. Rider Melgar joga no Universitario Pando, um clube que em 22 jogos sofreu 64 golos. Rider Melgar dava um bom nome para uma série da Fox. Rider Melgar podia ser o próximo projecto de lateral esquerdo do Jorge Jesus.

 

MISIWANI NAIRUBE

Posição: Ele não tem muito bem a certeza
Idade: 19 anos
País: Ilhas Fiji

Este rapaz tornou o Mundial Sub-20 muito mais interessante. Depois de ter sofrido 8 golos da Alemanha, recuperou animicamente e ajudou as Fiji a garantir uma vitória épica de 3-0 frente às Honduras (o resumo do jogo é dos vídeos futebolísticos mais hilariantes do ano). Não se foi embora para casa sem antes borrar toda a pintura frente ao Uzbequistão numa churrascada à Botende! Vale a pena ver para crer...








segunda-feira, 22 de junho de 2015

Bloggers Camp

(Se acham que o Pinto da Costa foi um mestre na arte da coacção a árbitros nos tempos do Apito Dourado precisavam de conhecer a minha namorada )

Ora, portanto, estava eu muito entretido a ver resumos do brasileirão para enviar compilações de jogadores ao Rui Vitória, quando a minha namorada me interrompe e diz que ou eu faço um post a publicitar o Bloggers Camp ou:

- Ela não lava mais a loiça este mês
- Na cama é só para dormir
- Não me arranja a roupa que é para eu vestir no dia a seguir
- No carro não posso por blackmetal
- Nunca mais me compra tabaco no regresso a casa
- Não vai repor mais papel higiénico no WC
- Nunca mais me vai dizer, numa base diária, o quão bonito sou

Foi precisamente este último ponto que me fez repensar a minha vida. Um gajo sem blackmetal no carro ainda pode passar. Chega a casa e mete blackmetal no portátil. Mas passar um dia sem que nos digam que somos bonitos... Isso é ultrapassar já os limites do razoável.

O Bloggers Camp é um arraial para bloggers. Acho que vai ter música ao vivo, comes e bebes e umas raparigas a dar palestras. Ainda me ofereci para explicar posicionamento defensivo zonal mas elas são todas adeptas da marcação homem a homem HUAHUHUEHUEHUEHUEHUEHUEHEUHEU...

Ok...

As palestras incluem os temas: fotografia, moda, lifestyle, beleza e culinária...AHAHAHHA.. Pá, eu sei, calma, eu também me estou a rir... MAS SE NÃO SOUBERES O QUE OFERECER À TUA NAMORADA, PRIMA, IRMÃ OU TIA neste Verão, podes ter a certeza que ela vai adorar ir ao Bloggers Camp. JÁ TE SAFEI DO DILEMA DE NÃO SABERES O QUE OFERECER.

... Mas calma. Se estás solteiro e queres uma oportunidade para conhecer pessoas do sexo oposto. Pensa só... Tu sozinho + um monte de raparigas em ambiente descontraído. Queres melhor? I rest my case...


VISITEM O SITE DO BLOGGERS CAMP PARA MAIS INFORMAÇÕES: LINK

segunda-feira, 8 de junho de 2015

O Gambito Letão




Gambito Letão, também conhecido como Contragambito Greco, é uma abertura de xadrez que se produz após os movimentos: 1.e4 e5  2.Cf3 f5
O movimento caracteriza-se pela oferta do peão em f5 ao adversário. As brancas, como norma geral, não aceitam este peão, e sim o peão de e5. O gambito letão é jogado pelas pretas por jogadores agressivos que procuram um ataque directo, apesar desta abertura raramente ser utilizada em jogos de alto nível.
                                                                                                                      Senhora Dona Wikipedia


Nestes últimos dias as notícias a saírem cá para fora sobre a ida de Jesus para o Sporting parecem pipocas a saltar numa panela ao lume cheia de milho. Há 3 coisas de que já ninguém tem dúvidas: Vieira foi anjinho, Jesus traiu quem o levou ao topo e Bruno de Carvalho mostrou a todos os sportinguistas que é feito da mesma fibra que Vieira ou Pinto da Costa.

O Sporting precisava de Bruno de Carvalho. Há quem diga que ele é um Vale e Azevedo mas sinceramente não me parece que seja. O Sporting precisava de um presidente assim, mais agressivo, mais lutador e, porque não, mais polémico e populista. O futebol português, que já está cheio de personagens destas, não precisava de mais uma, claro que não, mas o Sporting, para não continuar a ser comido pelo Benfica e Porto, precisava. 

Normalmente em Junho os adeptos de futebol em Portugal começam a entrar no imaginário Football Manager. As contratações, os treinadores, as conversas são todas sobre futurologia futebolística. Na praia, no Algarve, quem não tem internet chega ao ponto de ir ao teletexto só para ler as gordas, enquanto enfia o pequeno almoço à pressa goela abaixo. É este o único motivo pelo qual existe o teletexto, não é? O teletexto existe para vermos que jogadores chegarão ao nosso clube. E ficamos o dia todo na praia, com os nossos amigos, a falar naquele defesa central russo do PSV, o Nikiforov, que se vier vai sem dúvida ser o patrão da defesa de que necessitamos para levantar o caneco.

Mas antes de começarmos a falar sobre reforços, nesta altura, falamos já sobre dinheiro, presidentes, treinadores e probabilidades de conquista do próximo título.

Começando pelo Sporting. O Sporting vai ter o melhor treinador da Liga e, ao que tudo indica, dinheiro para gastar. O Bruno de Carvalho escusa de vir com tretas. O Sporting não encontrou nenhuma árvore das patacas em Alvalade... Encontrou-a em África. Álvaro Sobrinho, um trafulha de primeira e a Guiné Equatorial, um país especialista em violar direitos humanos. Toda a gente sabe que a fórmula Jesus + dinheiro normalmente resulta em títulos. Os sportinguistas que ano após ano seguiam com a conversa do "clube diferente, com valores, com o diabo a sete e uma academia que faz Figos e Ronaldos" provavelmente vão ter que meter a viola no saco e ir festejar algumas vezes para o Marquês títulos à... Benfica e Porto. Voltando ao título do post, neste Gambito Le(t)ão, parece-me que Bruno de Carvalho optou por comer ao Benfica o peão f5. É um movimento pouco ortodoxo que acarreta riscos para a sua cor. Se o Sporting não for campeão em 2016 ou 2017, o céu pode cair em forma de trovoada em cima de Jesus e de Bruno de Carvalho. Jesus corre o risco de se tornar num treinador mal amado em todo o lado. Bruno de Carvalho corre o risco de deixar o Sporting em pior estado do que o estado em que o encontrou. 

Passando para o Porto. O Porto era mesmo disto que precisava. Depois do drama, do horror e do caos que foram estas últimas duas épocas, uma tempestade tropical em cima da 2ª Circular veio mesmo a calhar. Pinto da Costa foi buscar umas quantas brasileiras, agarrou no panamá, toalha de praia,  havaianas e aí foram eles todos malucos para o Brasil, para ver se o BMG faz umas macacadas e consegue colocar em Portugal uns quantos meninos para substituir Casemiro, Danilo, Oliver e Jackson. A tarefa não se avizinha fácil porque parece que a capacidade de investimento do clube se esgotou bastante na época passada... Mas as bases continuam lá. O trabalho de Lopetegui é bom e para consumo interno pode chegar. O Porto está na bancada a observar o jogo de Xadrez, esperando que Benfica e Sporting comam todas as peças até ficarem apenas Rei vs Rei. É nesse empate infinito entre os dois clubes de Lisboa que o Porto se ergue e regressa vencedor. Foi esse empate infinito que começou com Bobby Robson e durou até... Jesus. Mas atenção! Parece-me que um hipotético sucesso do Porto em 2016 vai passar muito pela incompetência dos rivais de Lisboa. O Porto é neste momento, em Junho, sem sabermos que plantéis existirão, quem parte atrás, em termos probabilísticos, à conquista do título.

Por fim o Benfica. O Benfica ficou sem um importante peão no tabuleiro mas... Terá ganho mais ou perdido mais com isso? A meu ver perdeu mais. Perdeu o melhor treinador da liga. Mas o jogo não está perdido e Bruno de Carvalho ignorou um factor importante no seu movimento. Atrás deste peão vem Jorge Mendes. Jorge Mendes, ao que parece, não ficou contente com a ida de Jesus para o Sporting. A relação do empresário com Bruno de Carvalho nunca foi a melhor e o sucesso do Sporting vai ser provavelmente algum do insucesso do empresário no futuro. Vieira sabe que estes dois anos serão decisivos para o Sporting e será bastante natural que, por isso, o investimento no plantel seja agora maior do que seria com Jesus ao leme, em caso de renovação. Que papel terá Jorge Mendes no reforço do plantel benfiquista? Veremos. O que se sabe é que o Benfica mantém uma estrutura organizada, mantém referências no plantel (Luisão, um autêntico 2º treinador dentro de campo, veremos se Maxi também) que facilitam a integração de novos reforços e sabe-se também que a direcção do Benfica está sedenta por demonstrar que o sucesso dos últimos 6 anos não se deveu apenas a Jesus. Eu acredito que o sucesso se deveu mais a Jesus do que a Vieira e só com muitas macacadas poderei mudar de opinião. Enquanto adepto deposito agora toda a minha confiança no próximo treinador que chegará, qualquer um que seja, mesmo apesar de saber que nenhuma das mais fortes possibilidades para o lugar me agrada particularmente. Desejo também que este não seja um projecto para apenas uma época e que ao novo treinador seja dado tempo para evoluir - tal como Jesus evoluiu - dentro do Benfica.

Voltando ao Xadrez. Voltando ao tabuleiro. Parece-me sinceramente que o futebol português está repleto de péssimos dirigentes. O Porto na época passada fez um investimento brutal, não ganhou nada, há relatos de incumprimentos salariais e de desinvestimento. Pinto da Costa é conhecido por ter conseguido elevar o clube à custa de sofisticados esquemas de corrupção, como todos sabemos e ouvimos nas escutas no magnífico processo do Apito Dourado. Luís Filipe Vieira transformou-se num dos homens mais ricos de Portugal à custa da credibilidade que conseguiu no Benfica. A promiscuidade entre o futebol e os seus negócios ligados à construção civil é evidente. É um dirigente com tiques perigosos de ditador e que muitas vezes ignora a democracia que sempre vigorou no Benfica. De futebol não lhe reconheço grande conhecimento. Bruno de Carvalho não olha a meios para atingir os fins. Foi nojento o que ele fez e está a fazer a Marco Silva. Ignorou o passado do seu clube e atacou as velhas glórias, parasitas que para ele não merecem o mínimo de respeito. Quer construir um novo Sporting ganhador e sabe que para isso precisa de se movimentar no mesmo lodo que Pinto da Costa e Vieira se movimentam.

É este o xadrez. É este o futebol que temos.

sexta-feira, 5 de junho de 2015

Sobre Vieira e Jorge Jesus

Será possível defender Luís Filipe Vieira em todo este processo? Será possível defender Jorge Jesus?

O Bujas tem estado calado mas hoje saltou-lhe a tampa.

Hoje Jorge Jesus é o melhor treinador português. Jorge Jesus mudou o paradigma do futebol português e transformou o Benfica, um clube perdedor nos últimos 20 anos, num clube vencedor. Não foi Vieira que o fez, foi Jorge Jesus. Antes de Jesus já havia Vieira e com Vieira o Benfica tinha ganho 4 títulos (1 campeonato, 1 taça de Portugal, 1 taça da Liga e 1 Supertaça). Com Jesus e em apenas 6 anos, 10 títulos. Estamos conversados sobre os resultados? É preciso falar no futebol praticado ou serão por demais evidentes as melhorias?

Recuando no tempo e observando o passado de Jorge Jesus sabemos que ele é sportinguista de criação. Recuando no tempo e ao dia 26 de Maio de 2013, no Jamor, recordamos Jesus em lágrimas nos descontos, a confusão com os jogadores no final e as cuspidelas (literais) de adeptos benfiquistas nas bancadas enquanto o homem, abatido, subia aquelas infinitas escadas. Recuando no tempo, observamos o presidente Vieira a estender a mão a este homem abatido, a levantá-lo e a iniciarem naqueles dias de Verão um percurso triunfal rumo ao bicampeonato. Vieira, em grande estilo, fazia orelhas moucas aos já habituais burros adeptos benfiquistas e segurava o melhor treinador português. O mérito de Vieira na gestão desportiva nos últimos anos no Benfica, as conquistas, o futebol praticado e o futuro risonho estão à vista de todos os adeptos (ou quase todos, vá...). O que começa a falhar? Vieira. Tal como no passado, Vieira de novo. Vieira pretende mudar uma filosofia vencedora no clube e apontar baterias à formação, desinvestindo no futebol e ignorando as ideias de Jorge Jesus para o futebol. Ao que parece, o pacote de jogadores do Rio Ave e do Belenenses e o Marçal, são contratados sem consultar Jesus. Vieira, que através de DSO e outros, sempre vinha afirmando que o Benfica se destacava dos rivais nas questões financeiras, com a Benfica TV, os patrocínios sonantes e as receitas ao nível dos melhores 20 clubes da Europa, agora dizia que era para desinvestir no futebol e apostar na formação. Vieira, que tinha agarrado na mão de Jorge Jesus em 2013, achava que podia fazer isto tudo e pensar na renovação com o treinador bicampeão só no final do contrato, confiando numa suposta relação de amizade existente entre os dois. 

A isto eu chamo ser-se anjinho. Vieira foi anjinho e foi comido pelo seu homólogo da 2ª circular. 

Jorge Jesus cresceu no Benfica. O Benfica deu-lhe dimensão internacional. O Benfica deu-lhe matéria prima para Jesus poder alcançar títulos para a sua carreira. O Benfica deu-lhe a mão quando ele mais precisou. O Benfica deu-lhe infrastruturas ao nível do treino que ele nunca sonhou ter quando andou perdido por Felgueiras. O Benfica deu-lhe um ordenado colossal. O Benfica deu-lhe o reconhecimento, ano após ano, com condecorações nas galas, com o carinho da maioria dos adeptos e com, claro, o tal ordenado colossal. O que faz Jorge Jesus? Não informa Vieira da aproximação do Sporting. Não dá qualquer chance aos que acreditaram nele, de continuarem a acreditar. Provou uma enorme falta de carácter. Provou ter uma personalidade de merda. Provou ser um fraco sem coragem para, frente a frente, transmitir a sua ideia para o futuro. Vai trabalhar com alguém da mesma estirpe, não que Vieira seja muito melhor, não que Vieira seja flor que se cheire, mas pelo menos do ponto de vista do litígio desportivo e de barracadas com funcionários do clube, Vieira aí parece ser um bocadinho mais honesto do que o seu homólogo. O que fizeram ao Marco Silva, tanto Jorge Jesus - colega de profissão - quanto Bruno de Carvalho, seu presidente, não se faz. 

Acredito que Jesus continuará a ganhar títulos. Tem no Sporting matéria prima para trabalhar e para lhe proporcionar isso. Não tenho dúvidas de que continuarei a admirar o futebol das equipas do Jorge Jesus só que agora a torcer para que percam os jogos. Mas também não tenho dúvida nenhuma de que, num cenário de nenhum título de campeão em 2016 ou 2017, a bomba vai explodir bem na cara de Jesus e de Bruno de Carvalho e o Sporting pode cair numa crise bem mais complicada do que aquela em que se encontrava com Godinho Lopes.

Jesus podia ter sido um herói no Benfica. Agora será para sempre recordado como um ingrato, um cretino, um sem carácter, um cabrãozinho. Os títulos? Esses já cá cantam. Obrigado pelos títulos, Jesus, agora fode-te e vai para o caralho. Quanto a ti, Vieira, abre a pestana que ainda vais a tempo...