quinta-feira, 24 de abril de 2014

EUROPA Meia Final 2013/14 1ª Mão


Benfica 2-1 Juventus
(Garay, Tevez, Lima)

A Juventus esqueceu-se dos equipamentos e teve que ser o pobre Arouca, que não tem água quente no seu estádio e por isso teve que se mudar para Aveiro, a emprestar os equipamentos para este jogo. Portanto, se eu confundir o Pirlo com o David Simão e o Buffon com o Cássio, a culpa não é minha, é da Juventus que se esqueceu do equipamento estilo zebra em Turim. Quem também parecia jogador do Arouca era o menino André Gomes. Nem precisou de vestir de amarelo para parecer o Bruno Amaro. Foi com cada paragem cerebral que enfim... Foi assim que a carreira do Hugo Leal também ficou a parecer uma pista de downhill. 
A 1ª parte começou frenética, com o Benfica a pressionar forte e com um golo de Garay, cabeçadazorra, a vibrar na laringe dos benfiquistas. Nem o Cássio a apanhou! A minha amigdalite agravou-se no momento do golo do Garay e a imagem do autor do blog a correr, de robe vestido e mãos no ar gritando golo, deslizando de joelhos no chão na cozinha, aposto que deve ter feito o meu pai - que liga zero a futebol - orgulhoso do seu filho. Depois do golo a Juventus equilibrou e o jogo transformou-se num tabuleiro de xadrez, ora avanças tu ora avanço eu, com o André Gomes e o Pogba enganados na modalidade de tabuleiro, parecendo duas damas a tentarem comer-se uma à outra. 
Na 2ª parte o Jesus achou piada manter o André Gomes em campo. Para piorar as coisas, André Gomes foi testado em quase todas as posições do meio campo neste jogo, jogando mal em todas e, nesta 2ª parte, com Rodrigo e Lima sozinhos na frente e com as macaquices de Gomes, a Juventus aproveitou para chegar ao empate sem grande esforço. Foi Tevez quem nos tramou, um rapaz que não marcava um golo em competições da UEFA desde que vocês se tinham registado no facebook. Só que entretanto, aos 80 e picos, Jesus resolveu brincar outra vez e meteu Ivan em campo tirando André Gomes. Resultado? Festival. O Benfica quase podia ter fechado a eliminatória nestes 10 minutos. Lima mandou uma bomba depois duma pequena simulação de Ivan que lhe entrega a bola. Golaço. Mais gargantas nas urgências amanhã. Benfica novamente na frente da eliminatória e a deixar a sensação no ar de que isto, com Gaitán, Fejsa, Salvio, Sílvio e companhia, tinha sido outra conversa e outro passeio que não foi.
O Benfica conseguiu o mesmo resultado que conseguiu frente ao Parma há 20 anos atrás... Ele há coisas do diabo. Espera-se um desfecho diferente do de Parma, mas a porcaria do golo do Sensini e daquela saída ridícula do Neno não me vão sair da cabeça na próxima semana. Vamos, Benfica!

11 Pé de Barrote Nº28


Pé de Barrote em honra à Juventus 1993/94. Uma das épocas mais tramadas para o clube transalpino. Espero que a recordação de uma época de boa memória para o Benfica e de má memória para a Juventus dê sorte para amanhã. A Juventus neste ano ficou em 2º lugar, atrás do colosso Milan que venceu campeonato e Liga dos Campeões (4-0 ao Barcelona na final). Para além de terem ficado em 2º no campeonato, na Taça UEFA foram despachados pelo Cagliari do Dely Valdes e do belga Luis Oliveira, nos 4ºs de final.
Esta Juventus jogava mais ou menos assim: Peruzzi / Fortunato, Kohler, Porrini, Torricelli / Conte, Dino Baggio, Andreas Mohler, Di Livio / Ravanelli, Roberto Baggio. Treinador? Giuseppe Trapattoni, claro está!

28ª Jornada 2013/14

Vitória de Guimarães 2-3 Arouca - Lembram-se do catenaccio destes meninos no início de época? Um feitiço espectacular do feiticeiro Rui Vitória, qual Gandalf, que fazia com que os meninos defendessem bem e tivessem um excelente aproveitamento no ataque. O feitiço virou-se agora contra o feiticeiro. Os defesas, outrora enfeitiçados, agora é vê-los a correr à frente do cajado do Rui Vitória, cajado esse que anda cheio de vontade de lhes malhar nas costas. O Arouca foi dominado neste jogo e o Vitória jogou melhor, controlou mais, teve mais oportunidades. Acontece que a dupla de centrais Paulo Oliveira e Moreno andou a construir um Aquaparque no Afonso Henriques, para ver se têm que fazer nas próximas semanas. Aquilo é que foi meter água escorrega abaixo! Tantos jogos amigáveis já aborrecem, a malta, para os lados de Guimarães, já está em modo férias. Daí o Aquaparque se justificar. Quem andou e bem no escorrega foi o Roberto, o ponta de lança do Arouca, que escorregou com o Arouca para fora da luta pela despromoção. Uma última palavra para Maazou, um jogador que já se tornou num ícone da nossa liga. Muitos podem achá-lo cepo, nós aqui no bujas acreditamos que se tornará num panini inesquecível. O Maazou ainda vai espetar muitos alfinetes no pâncreas de alguns adeptos de clubes grandes!

Marítimo 3-1 Académica - Em modo jogo amigável o menino Sérgio Conceição provou aqui que não gosta de perder nem a feijões. Eu, por acaso, quando é a feijões, estou-me a cagar e se for preciso vou all-in com um par de duques. Escusado será dizer que eu agora vou fazer uma piada com o Briguel, por falar em duques, etc, etc... O Briguel voltou à titularidade 20 jornadas depois e o Marítimo ganhou. Isto é a prova de que jogar à donk, muitas vezes, compensa. Que o diga o Pedro Martins que sai deste jogo com uma vitória por 3-1, com golos do Derley (golão), do Marakis e do Fransérgio. Ora, se ganhar com o Briguel a titular já é uma jogada à donk, então ganhar com golos do Marakis e do Fransérgio (golo isolado, aos 96', jogada de 4 vs 1, o qual mesmo assim ia falhando) é o cúmulo da donkisse. Quem não acha piada nenhuma a perder desta forma é quem joga a sério... O Sérgio Conceição revoltou-se com o árbitro e acabou expulso. Às vezes acontece-me o mesmo na pokerstars e também culpo sempre o software. 

Paços de Ferreira 0-5 Nacional - Este é daqueles jogos que ficam para a história deste campeonato. Épico do princípio ao fim. Até as conferências de imprensa foram épicas. O Jorge Costa a dizer que os treinadores que passaram pelo Paços são todos umas bestas e que os jogadores é que são bons. O Manuel Machado a dizer todo gabarolas que conseguiu mais de 50% de apuramentos de equipas suas para as competições europeias. Espectacular. O que é certo é que Manuel Machado provou, mais uma vez, ser um treinador de enorme categoria. Contra mim falo, que nunca acreditei que o Nacional conseguisse atingir um lugar europeu. Enganei-me rotundamente. Parabéns ao mister Machado, o mérito é grande parte dele. Quanto ao Paços, o que há a dizer? Esta equipa merece descer? Estas discussões são sempre complicadas. Neste jogo Ricardo e Flávio Boaventura esqueceram-se que são defesas centrais e inventaram uma nova posição, a posição dos defesas anais. Foram tantos paus no cu destes dois que agora de futuro vamos ter que começar a discutir os melhores e os piores defesas anais da liga. O lance do 5º golo do Nacional resume toda esta partida. Se tiverem curiosidade, abram um link qualquer do resumo e saltem directamente para o 5º golo. O Nacional parecia o Barcelona do Guardiola a jogar contra um Logroñes qualquer. 

Gil Vicente 0-0 Estoril - E agora? E agora, meus meninos? Quem é que me vai devolver hora e meia da minha vida? O deus Gaitán está lesionado, em recuperação, não pode vir aqui a casa devolver-me o que estas duas equipas me tiraram. Lembram-se do Capitão Tsubasa? Eu lembro. Eram os meus desenhos animados favoritos. Pronto, o Tsubasa jogava na equipa dos bons, que equipavam de branco, Nankatsu era o nome da equipa. Nos maus, academia Toho, jogava o Kojiro Hyuga e um guarda-redes de cabelo comprido, o Ken Wakashimazu, que era o 2º melhor guarda-redes da série, a seguir ao Wakabayashi! O Ricardo Ribeiro, suplente do Vágner, é igual ao Wakashimazu! Grande exibição. O Gil Vicente é tão mau que tive pena que não perdessem contra um Estoril de 10 elementos. Jogo enfadonho. 

Belenenses 0-1 Sporting - O Sporting não quis estragar a festa ao Benfica e não quis ajudar o vizinho Belenenses na fuga à despromoção. Parece que o clube ganhou uma nova aversão ao azul. O Belenenses até fez pela vida, principalmente através do binómio Geraldes-Rojas, uma nova força pela direita para o que resta enfrentar até ao final da temporada, mas simplesmente não deu. O Sporting aplicou a fórmula do costume e venceu. Solidez defensiva, comando guardado no bolso e o Belenenses a passar o tempo todo vasculhando o sofá, sem nunca encontrar o comando para mudar de canal. Está na hora do Sporting começar a pensar na próxima época. Será que os milhões arrecadados vão servir para reforçar o plantel ou será que os credores levam tudo à primeira oportunidade? Esperar para ver.

Benfica 2-0 Olhanense - Muitas vezes me tenho lembrado da época 93-94. Nem acredito que já passaram 20 anos. Há 20 anos que o Benfica não ganhava um campeonato na antepenúltima jornada. Nesse ano foi um 3-0 contra o Gil do Mangonga e Cacioli. Em 2013/14 foi um 2-0 contra o Olhanense do Dionisi e do Belec. Há 20 anos houve um jogo épico, o 6-3 do João Pinto em Alvalade. Este ano houve outro jogo épico, um 3-1 na Luz, para a Taça, em que o Benfica jogou 10 contra 11 durante uma hora. Houve um 4-4 em Leverkusen e o Benfica disputou uma meia final contra o Parma, gigante italiano de Sensini, Brolin, Zola ou Asprilla. Em 2013/14 o Benfica está novamente numa meia-final contra um gigante italiano, agora a Juventus do Pirlo, Tevez, Chielini e Buffon. Há 20 anos atrás eu recebi uma VHS do jornal O Jogo com todos os resumos do campeonato 93/94 e com essa VHS aprendi a gostar de futebol. Foi em 1994 que vi o Salenko no Mundial e colei cromos numa caderneta da Panini. Foi em 1994 que fingi ser o Ravelli enquanto o meu avô rematava feito Eusébio às minhas mãos. Hoje o Eusébio já faleceu e o meu avô tem dias que já não se lembra de mim. No Verão vai haver mais um Mundial. Já comprei a caderneta da Panini e já me estou a preparar para esses míticos jogos. Só que no Verão já não vou ter o meu avô para treinar as minhas capacidades enquanto Guarda-redes. No Verão não me vai apetecer atirar uma bola de ténis contra uma parede, durante uma hora, fingindo que sou o Preud'Homme ou o Pagliuca. Mas neste Verão, tal como no Verão de 1994, o Benfica será o campeão. As memórias vão surgir como se eu tivesse 10 anos de idade. Vou sorrir como se tivesse 10 anos de idade quando me lembrar do piu-piu do Belec que dá o 2-0 ao Benfica. Vou sorrir como se tivesse 10 anos de idade e gritar "Benfica! Benfica! Benfica!", sem motivo aparente, enquanto atravesso a ponte para ir a um cliente qualquer na Margem Sul. Esta épica época de 2013/14... Essa épica época de 1993/94.

Vitória de Setúbal 1-1 Braga - Jogo animado e uma grande buja do Éder a inaugurar o marcador e a dizer "Estou aqui! Olha para mim!" ao Paulo Bento... E a nossa selecção bem precisa de um Éder em forma. O Braga jogou mais de 1 hora em desvantagem numérica e o Setúbal tratou de passar o jogo a desperdiçar oportunidade atrás de oportunidade. O Ricardo Horta até desperdiçou um penalty à Sergio Ramos. Sabem quem não desperdiçou nada? O Betinho. O Betinho é um ponta de lança tão matreiro, tão matreiro, tão matreiro, que neste jogo nem sequer saiu da toca. Esteve o tempo todo feito campista, à espera que uma bola qualquer caída do céu lhe chegasse aos pés. Muito mau. O Braga mereceu o empate. 

Porto 3-0 Rio Ave - A pré-época do Rio Ave começou no estádio do Dragão. A equipa de Vila do Conde tem agora duas finais para disputar e andou o resto da época, basicamente, a engonhar. A época do Rio Ave são as finais das Taças e nada melhor que um treino frente ao Porto, um dos possíveis adversários na final da Taça da Liga, para iniciar a pré-época. O Luís Castro até ofereceu um doce chamado Josué, a titular, e o Rio Ave lá foi aguentando o barco. Mas depois ao intervalo acho que um portista indignado furou os pneus do Saxo Cup do Josué e o rapaz teve que sair para ir com o macaco hidráulico resolver a situação. Entrou o Quintero e o Rio Ave panicou. Este jogo tem dois destaques. O primeiro é a enorme exibição de Herrera, jogador já várias vezes elogiado aqui pelo nosso blog. O segundo destaque é Ricardo no lugar do castigado Quaresma, um rapaz que sabe jogar para a equipa e que não precisa de fuçar nem rematar 9 em cada 10 remates para a bancada para dar nas vistas. Vitória fácil do Porto. O Rio Ave nem beliscou.

terça-feira, 22 de abril de 2014

Onde está o Bujas?!

Na imagem uma fotografia minha de há uns anos atrás, para tentativas futuras de localização do Bujas.


«Será que o Bujas era um sportinguista disfarçado, um portista camuflado ou será que o Bujas faleceu no meio dos festejos no Marquês de Pombal? Se calhar era um portista qualquer e agora não tem paciência para falar de bola com a malta» Assunção Esteves, Conselho de Ministros, Abril 2014

 «Que coño, cabron, todas las horas yo F5 refresh y nada. Nadie de nadie. Hijo de putana desapareció» Fito Rinaudo, balneário do Catania, Abril de 2014

«Jean Michel, vien ici, arrete!!!» Maria das Dores, Praia Fluvial da Fróia, Agosto de 2013

«I used to love google translator. Now AiValeBujas is gone and the translator is useless» Kevin Durant, OKC vs Grizzlies, Abril de 2014

«piri-pi-piri piripiri-gueti» Jorge Jesus, autocarro, Abril de 2014

Para acabar com todas as dúvidas, venho à internet esclarecer tudo o que aconteceu, por ordem cronológica e com frases que foram proferidas por mim. Então aqui vai:

5ª Feira 21:00 - O Porto vai levar 30 a zero. Trintá-zero.
5ª Feira 21:15 - Já fomos. Urso. Burro do caralho. Este Siqueira... Foda-se. Ainda querem 7 milhões por ele?! Osgaçe
5ª Feira 22:00 - É concentrar no campeonato. Tá bom equipa. Siga.
5ª Feira 22:10 - Acreditem! ACREDITEM! ACREDITEM! PARA CIMA DELES! NÃO JOGAM NADA!
5ªFeira 22:31 - JVBADKJCASBkjc saBÇWCAJkbcw çjWBjkwCAÇbc waÇKjbw aCjk çcwb wçkj bcWAJKC WABwackçj bCWAjkbkçjw CB WAC JKb wcajk çcwBÇK JCWA GOOOO OOOO OOOOAA AAAA AAAAAA HHHHH HHKLOOOOOOOOOOOOOOOO OOOOOOO OOO OOOOOOO GOOOOOOOOOOOOOAJ HIEOAKLNªCKN SAKLCNAK GOOLO!!!! BENFICA! BENFICA! BENFICA BENFICA!  BENFICA!  BENFICA!  BENFICA!  BENFICA!  BENFICA!  BENFICA!  BENFICA!  BENFICA!  BENFICA!  BENFICA!  BENFICA!  BENFICA!  BENFICA!  
6ª Feira 7:42 - Ai que bom... Ainda bem que não tenho que trabalhar. Merda do despertador tinha que tocar. 
Sábado - Mas nunca mais é Domingo? Vou ver o Hobbit para ver se o tempo passa mais rápido.
Domingo - Nunca mais são 18 horas. Eix estou cheio de calor, eix estou cheio de frio, eix vamos ver o autocarro, eix vamos ali só dar um abraço ao Ricardo ao Manelito, eix falta 1h45 para o jogo é melhor entrarmos que eu quero ver o aquecimento dos aspersores, eix vou só mijar, eix pipocas, coca-cola, doritos, eix o Oblak vai ser titular, olha pumba Markovic no banco, é o 11 esperado
Domingo 18:00 - *pokerface*
Domingo 18:05 - Acho que vou para casa. Não estou a aguentar isto.
Domingo18:45 - *Mão na cabeça. Desespero* Oh Helder não falas? Ana estás muito calada... Que se passsa? Também estou nervoso. Até já estive para ir embora do estádio
Domingo 19:00 - *o despertar da besta* PARA CIMA DELES. BENFICA! BENFICA! BENFICA!
Domingo 19:12 - GOOOOOOOOOOOOakl jdbjkdsçbjdskbçdskj dsljkbdsçjkdsbjdsk BENFICA! *subir para cima da cadeira* *rodar o cachecol* BENFICA! GOOOOOOOOOO AHAHAHAHAH GOOOOOOOOOOOOOOO BENFICA LAAAAAAAAAAAAAA LAAAAAA GOLO!Domingo 19:12:30 - *pumba cair da cadeira abaixo* *ai ui o meu tornozelo*
Domingo 19:15 - JÁ ESTÁ! BENFICA! BENFICA! BENFICA! CAMPEÕES! CAMPEÕES!
Domingo 19:15:30 - *pumba cair da cadeira abaixo* *ai ui o meu tornozelo*
Domingo 19:20 - Ok, isto ainda não acabou. Levamos 1 golo e isto pode mudar. Calma. Calma
Domingo 19:45 - Lindo. Lindo. Lindo! BENFICA! BENFICA BENFICA!
Domingo 20:00 - EIX CA FDP DE FESTA
Domingo 21:00 - Ok Marquês. Era gajo para comer LIXO. Estou cheio de fome. Pé coxinho, que se foda o tornozelo
Domingo 22:30 - Praça de Espanha. Restaurante Chinês. Eram 6 crepes chineses e 1 tiramisu e 1 garrafa de água e 1 sumol ananás. 
Domingo 23:00 - Que é isto? Que mundo é este? Que é isto? E as pessoas? Que é isto? Olá, Mundo. Alpinistas, gruas, música, pessoas a dançar, hino do Benfica, cachecois, tochas, flashes, turistas, etc
Domingo 00:00 - OLHA A EQUIPA! LINDO! Tochas e o caralho! Lindo!
Domingo 00:30 - Ok vamos embora.
2ª Feira 02:30 - Não consigo dormir 
2ª Feira 07:40 - Não consigo ir trabalhar mas que remédio. BENFICA! BENFICA! Lindo! Tão lindo!
2ª Feira 13:00 - Pior dia de trabalho de sempre. Benfica! Benfica! Benfica! LINDO! LINDO!
2ª Feira 17:30 - Acho que estou a ficar doente
3ª Feira 07:42 - Ok, estou doente
3ª Feira 12:00 - Achas que alguma vez eu estou doente, mãe? Não fico doente desde que o Mangonga marcou ao Benfica e deu a vitória ao Gil Vicente
3ª Feira 18:47 - Ok, estou doente. Amigdalite... 

VALEU A PENA


Post do campeonato e cenas para sair nos próximos dias... Vi os jogos todos, tenho tudo registadinho, mas não estou com forças nem imaginação para escrever. Aproveitei um pico do benuron para escrever este post para os meus amigos. Grande abraço, malta!

 



terça-feira, 15 de abril de 2014

11 Pé de Barrote Nº27



Estes defesas embelezam o espectáculo. Obrigado a eles! Roderick, por exemplo, deu de mão beijada a 1ª vitória fora ao Olhanense. Núrio fez caridade com Varela. Ivan Balliu seguiu muito bem com os olhos Gaitán. Gegé contribuiu activamente para um dos melhores espectáculos ofensivos da jornada (que infelizmente não se traduziu em golos). Já o mesmo não se pode dizer dos meninos deste ataque... Mau demais. Cuidado, meninos, olhem que há olheiros cipriotas à espreita. Não queremos perder-vos para Nicosia.

O equipamento é em honra ao Liverpool que se ganhar ao Chelsea no final de Abril, em princípio, sagra-se campeão! Mas acham que é por isso que estamos a honrar o Liverpool? Tenham juízo. Fiquem a saber, que ainda o Brendan Rodgers andava de colhão em colhão, já o Liverpool 2000/01 empatava jogos com o Southampton do Tahar. O marroquino defesa pau para toda a obra, mestre do universo, ainda marcou um golo neste mítico jogo! Mas pensam que o Liverpool 2000/01 se ficou por aqui? Não, meus amigos! Este Liverpool despachou com 3-0 em Anfield o Charlton do Martin Pringle, deixando o sueco a zeros, coisa nunca antes vista num jogo de futebol! Nesta equipa alinhavam jogadores como o Carragher e o Gerrard, facto que comprova que o Liverpool não tem grande imaginação para escolher jogadores. Ainda no fim de semana passado o Gerrard andava a fazer rodinhas de motivação em Anfield. Patético. Nesta equipa jogava também a épica dupla de avançados Fowler e Owen. Os ingleses excitavam-se com pouco. Fowler e Owen faziam uma dupla pior que o Montero e o Slimani fazem no Sporting.


27ª Jornada 2013/14

Académica 1-1 Vitória de Setúbal - O Ricardo é um guarda-redes de engate. Neste jogou claramente borrifou-se com o melhor Armani, foi ao facebook ver a página dos horrores da noite portuguesa, escolheu a discoteca onde teria mais hipóteses e engatou. O Vitória tentou de todas as formas, até de penalty, mas o Ricardo tinha engatado e, sem o bota fogo nas redes adversárias Rafael Martins em campo, deu um pontinho à sua Académica. Fernando Alexandre foi novamente enorme mas isso não é motivo para notícia, certo? Se o Scolari quiser ter alguma hipótese de vencer a Copa 2014 é muito simples: "Alô? Sérgio Conceição? chama pra mim no celular Fernando pastor alemão Alexandre, brigadu". Já do lado sadino, a grande vitória de Couceiro neste jogo, foi ter percebido que a lesão de Rafael Martins afinal não é assim tão grave quanto se pensava. O ponta de lança pode continuar a comprovar a boa forma e a subir na tabela dos goleadores até ao final. Foi um jogo bonito, descomplexado, entre equipas que praticam bom futebol.

Nacional 2-0 Marítimo - Um dos melhores derbies da época. Parecia um filme de cowboys do Clint Eastwood. Gottardi e Salin foram autênticos índios Apache a defender as suas terras com unhas e dentes. Enquanto isso, os desdentados quartetos defensivos que se apresentavam à sua frente, envergonhavam Geronimo. No meio desta cowboyada Derley tinha escolhido como arma Jack Daniels em vez de uma espingarda. A visão turvou, o corpo cambaleou, a bola não entrou. Derley teve um dia mau e também tem direito a tê-los. Do outro lado Djaniny que, apesar de pontaria desafinada, corria atrás dos índios como se não houvesse amanhã. No céu, lá no alto, o sol da Liga Europa desvanecia-se para o Marítimo, desaparecia no horizonte, com João Diogo a deslindá-lo para uma última morada, sepultando a esperança e abrindo as portas da noite. Foi Djaniny quem, uma por uma, apagou todas as 12 estrelas da bandeira europeia. Foi um épico do futebol, se tiverem sorte e apanharem a repetição do jogo na Esportêvê, não percam.

Belenenses 3-1 Vitória de Guimarães - Este foi o jogo ideal para assistir num final de tarde de sábado, depois de se ter saído para o Bairro Alto até às 7 da manhã no dia anterior. O jogo foi às 18h, precisamente a hora em que a ressaca começa a desvanecer, mas enquanto ainda não apetece mexer uma palha. Se o jogo fosse bom e cérebro ressacado tivesse que ligar engrenagens, a cabeça doeria e o estômago ribombaria. Assim? Tranquilo! O futebol mau que dói, o humor de ai não me toques, agressões patetinhas aqui e ali e no final um resultado que poderia ter sido outro qualquer, já que o Belenenses pouco ou nada fez, mesmo em superioridade numérica, para justificar esta vantagem. O Belenenses do Lito Vidigal tem 7 pontos conquistados, apenas menos 1 do que os pontos que Rui Vitória alcançou em toda a 2ª volta do campeonato. Com esta vitória os azuis do Restelo relançam um final de época que pode ser épico na luta pela manutenção. O Vitória jogará para cumprir calendário mas tem que ser sublinhado que, caso o Vitória tivesse feito uma 1ª volta igual a esta 2ª, estaria neste momento a travar a mesma luta do Belenenses.


Rio Ave 1-2 Olhanense - Com uma meia-final na 4ª feira o Rio Ave subiu ao relvado com alguns júniores e dando a titularidade a Roderick, numa de poupanças. E quem melhor que Roderick para entregar a vitória a uma equipa que não tinha vencido nenhum jogo fora esta época? Pois é! Vitória dos galácticos de Olhão, com um erro de Roderick à mistura, e o acender de uma luzinha na fuga à despromoção. A bem dizer, foi mais ou menos o acender dum fósforo numa gruta bem escurinha, já que o Olhanense ainda tem que jogar com Benfica, Porto e Vitória de Setúbal no calendário que lhe resta. Dionisi foi a estrela e Lucas Souza o foguetão do lado dos galácticos. Do lado do Rio Ave sublinhe-se o 1º golo do internacional esloveno Velikonja no campeonato. Já não falta muito para apanhar o Hassan na lista dos goleadores.

Sporting 2-0 Gil Vicente - Olá e adeus. Um à chegada e outro à despedida. Pelo meio um alentejo a separar Lisboa de Barcelos. Debaixo da azinheira, fios de baba de Capel e de Adrien caíam na camisola leonina enquanto, por vezes, grandes roncos de William ou Rojo faziam estremecer Adriano Fachini. Foi um jogo pobre, muito por culpa do Gil Vicente que tem em Leandro Pimenta e em Luís Silva jogadores incapazes de produzir o que quer que seja. O Sporting limitou-se a domar um galo que nem cantar sabe. Um galo que é o saco de pancada na capoeira. O único ponto positivo foi a exibição de Carrillo que apareceu muito bem no 11 titular e que mereceu jogar os 90 minutos. No lado oposto, Capel, mochila às costas, olhinhos na bola e aí vai ele para a escola. Muito correr e pouco saber. Fraquinho.

Arouca 0-2 Benfica - Eu logo vi que tanto petardo a rebentar tinha que resultar num traumatismo ucraniano em qualquer lado. Aconteceu Crimeia no Oblak. As melhoras, puto! O Pedro Emanuel foi mais uma vez de autocarro contra o Benfica e olhem que a táctica, enquanto o autocarro teve gasóleo, foi funcionando. O problema é que tanta curva e contra curva, tanta subida e descida, tanto ponto de embraiagem na primeira parte do jogo, tinha que resultar num valente ponto morto na segunda parte. O jovem treinador do Arouca tentou compensar as carências tácticas e posicionais dos seus rapazes com corrida, muita corrida, mas infelizmente para eles as famosas bombadas dos 80's e dos 90's hoje em dia são proíbidas. David Simão, Rui Sampaio e Ceballos foram elementos muito apagados, perdidos em tarefas demasiado defensivas para as suas características, enquanto que Pintassilgo, um dos meus ídolos em 2013/14, dava água pelas barbas às camisolas berrantes. Foi dos pés do Bruno Amaro que surgiu a única hipótese leonina de ainda recuperar esperanças na luta pelo título, mas Super Maxi, vindo directamente da arca frigorífica do café do Ti Zé Espanhol, um gelado com prazo de validade terminado em 1994, congelou toda e qualquer esperança - um fenomenal corte sobre a linha de golo. Markovic, Gaitán e Rodrigo assinaram a arte que aconteceu sobre a relva. Uma assinatura assinada rapidamente, a pincel, com muitas curvas, muitas ondas, sem tempo para acentuação e sem tinta desperdiçada. Grande exibição do Benfica.

Braga 1-3 Porto - Sempre fui fã de championship e football manager. Não sei se sabem, mas quando a nossa equipa não tem jogadores suficientes aparecem uns a cinzento para um gajo poder ir a jogo com 11 elementos. Foi isso que aconteceu neste jogo. Apareceram aqui uns jogadores engraçados e um deles, o Victor Garcia, até é lateral. Por falar em laterais... É pá, e o Núrio? Caros departamentos de scouting de Porto e Sporting, acreditem no que eu vos digo: o Núrio vai ser o próximo Fábio Coentrão. Despachem-se a contratá-lo. É um poço de força e velocidade. Tem uma entrega ao jogo incomparável e não passa nada por ele. Ganha fisicamente ao Maazou e nem o prodígio Varela o conseguiu fintar. É o melhor lateral do campeonato! Só não faço vídeos a mostrar os melhores momentos nem crio clube de fãs no facebook porque tenho medo que o Vieira o contrate. Mas falando em futebol, o que é que acontece quando o Quaresma não é titular? O Porto ganha 3 a 1. E quando o Quaresma é titular? O Porto perde 15 pontos para o Benfica! Pois é. E o que é que acontece quando o Rafa está isolado à frente do Fabiano, com o jogo em 1-1 e com o Eder ao lado também ele isolado? Remata-se à figura do Fabiano, claro! Enfim... Com tanta poupança para a Taça o Porto deve ir golear o Benfica à Luz e o Rio Ave e o Braga devem empatar para aí 7 a 7. Acho que nem vou ver o jogo na 4ª feira, nem vale a pena...

Estoril 1-0 Paços de Ferreira - Vitória do Special One da Amoreira frente ao Special Twenty Three do FCP. Uma exibição absolutamente miserável da equipa do Paços de Ferreira que nunca chegou a beliscar a supremacia do Estoril. Este jogo poderia facilmente ter acabado em goleada, não fosse o Degra e alguns falhanços surreais da linha atacante estorilista. A pior exibição da equipa do Jorge Costa tem duas justificações: a ausência do Seri e a desinspiração do Bebé. São os 2 jogadores mais influentes da equipa. A equipa cai no lugar do playoff de despromoção mas tem um campeonato mais fácil (Nacional, Rio Ave e Académica) do que o do Belenenses (Sporting, Estoril e Arouca). O Estoril carimba o 4º lugar do campeonato e pode concentrar-se na preparação da próxima época. Época espectacular, com futebol muito bonito e com grandes jogadores e um grande treinador em evidência.

sexta-feira, 11 de abril de 2014

EUROPA 4ºs Final 2013/14 2ª Mão

Benfica 2-0 AZ - A pergunta que muitos devem ter feito: como é possível o AZ ter chegado aos 4ºs de final desta competição? A resposta é simples: sorte. Desde o playoff de acesso contra o Atromitos da Grécia, passando pela fase de grupos com PAOK (empatou ambos os jogos), Shakhter Karangady (Cazaquistão) e Maccabi Haifa , dezasseis avos onde suaram contra o Slovan Liberec e oitavos onde apanharam um Anzhi longe do que era no ano passado, um Anzhi que desinvestiu e mandou todos os craques à fava. A verdade é que esta eliminatória foi um autêntico passeio para o Benfica. Numa fase crucial da época, onde importava não sofrer fisicamente e manter a equipa forte animicamente, o Benfica apanhar esta equipa do AZ foi uma autêntica dádiva divina. E passeou. Mesmo assim, há factos importantes a reter e a mencionar sobre estes 4ºs de final tão sem sal. Primeiro que tudo o Benfica perdeu o Sílvio, um lateral que pelas exibições que vinha fazendo, começava a justificar uma presença no Mundial (pela polivalência que Cedric, por exemplo, não tem). É triste. Gosto imenso do Sílvio e espero que recupere - não rapidamente, mas bem. Espero que o Benfica o compre, o que ele fez merece o investimento, se é que lhe podemos chamar um investimento. Caridade não será certamente porque o Sílvio poderá ser útil no futuro. O Sílvio tem pernas de vidro mas há janelas que duram uma vida toda. Abram uma janela para este homem. Outra coisa que há a salientar é o regresso de Salvio. Um golo e duas assistências nestes quartos e, acima de tudo, o regresso da alegria e o espantar do medo que o assolava depois da lesão. O Salvio é um jogador brutal e tê-lo no banco diz muito sobre o plantel do Benfica. Por último há a salientar também as exibições de Sulejmani e André Gomes... Pela negativa. São corpos estranhos num Benfica que vai precisar de todos os watts para rebentar com a Juventus na meia-final. Uma última palavra para Artur. Por tudo o que já fez merece disputar esta competição até ao final. Parece-me que está menos pressionado e menos nervoso. Força, Benfica! Rumo à final. 

PS: Se tiver tempo - que não abunda ultimamente - faço uma análise fixolas à Juventus, para vocês saberem como acho que estes marialvas jogam à bola. 

Sevilha 4-1 Porto - A campanha europeia do Porto poderia ter saldo positivo não fosse esta goleada na hora da saída. Não é vergonha ser-se eliminado nos quartos de final da Liga Europa, depois de terem eliminado Napoli nos 8ºs, toda a gente sabia que o Porto nunca iria passear classe até à final. Na Champions calharam num grupo com Atlético (com orçamento superior e que já está nas meias), Zenit (que tem um orçamento muito superior) e Austria de Viena. O 3º lugar acaba por ser injusto pelo que o Porto jogou, mas não é um fracasso rotundo não terem passado este grupo. Na Liga Europa o Porto fez o que lhe competiu fazer até ontem. Mas o jogo de ontem tem muito que se lhe diga. Sem Fernando e Jackson a equipa perde quase tudo. Sim, tudo. A primeira implicação destas ausências é o regresso de Quaresma à titularidade com Ghilas no lugar de Jackson. Qualquer ponta de lança do mundo sofreria com a forma de jogar de Quaresma. O Porto é melhor quando encosta Ghilas numa ala e tem Jackson para a encostar lá para dentro. Até com Quintero jogando a extremo provavelmente um ponta de lança teria mais sucesso. Mas não foi por Quaresma que o Porto não ganhou... O rapaz até foi dos que mais lutou contra a maré e marcou um golão. Sem Fernando o Porto perdeu intensidade no meio campo, perdeu um excelente distribuidor e organizador na primeira fase de construção, perdeu um recuperador de bolas brutal num perímetro maior do que a maioria dos médios defensivos consegue cobrir, perde, portanto, um meio campo. Fernando vale quase por um meio campo. Quantas vezes não vimos já o Porto a atacar em desespero com o Fernando sozinho, feito farol, lá atrás, a recuperar e lançar ataques atrás de ataques? Ontem não houve farol e Danilo e Reyes andaram à deriva. A ausência do Fernando também significou ausência de experiência competitiva naquele meio-campo. A entrada do Sevilha cortou todas as esperanças aos azuis e brancos e o resultado, não fosse a expulsão, poderia ter sido até bem mais expressivo. Com experiência, provavelmente o Porto teria reagido doutra forma ao penalty do Rakitic. Esta eliminatória deixou bem patente o principal problema do Porto 2013/14: a falta de banco, a falta de alternativas. Uma equipa que apostou demasiado em Josué e escondeu o seu maior talento para nº10, Quintero. Uma direcção que não soube contratar extremos, que não soube resguardar os seus laterais, tendo que adaptar o extremo Ricardo à posição, uma direcção que contratou um jogador que envenou a equipa - Quaresma - e que manipulou o futuro de jogadores do seu plantel, contra a sua vontade, tendo com isso deitado abaixo muita da força mental que um tri-campeão nacional deveria ter.

quinta-feira, 10 de abril de 2014

11 Pé de Barrote Nº26




Não abram a pestana, meus meninos. O Márcio Rozário já foi uma das vítimas deste blog. Querem mesmo ir pelo mesmo caminho? Metam o Ai Vale Bujas na selva dos barrotes, de metralhadora na mão. O Ai Vale Bujas salva a gaja, regressa com os plantéis do Mundial 94 num braço e com a metralhadora no outro, com uma bala ainda para meter na cabeça do mauzão (Pint'dá Costa)! Ficávamos com um campeonato ainda melhor do que o que já temos...

Já que anda toda a gente no onanismo pelo Diego Simeone resolvi honrar o Atlético 97/98 do Radomir Antic, que espetou 5 bujas nas ventas do Vítor Baía e do Fernando Couto, era o Barcelona treinado na altura pelo Van Gaal. Do lado do Atlético alinhavam craques como Juninho (Paulista, o que jogou no Middlesbrough), Christian Vieri e Caminero. No Barcelona jogava o De La Peña, Rivaldo, Luis Enrique, Sonny Anderson ou Pizzi (o que depois veio para o Porto).

PS: o famoso golo do Rivaldo é ao 1:30 do vídeo.

terça-feira, 8 de abril de 2014

26ª Jornada 2013/14

Vitoria de Guimarães 1-3 Estoril - Lembram-se do Mundial sub-20 na Colômbia? 2011? Mundial onde Mika, Nelson Oliveira ou Caetano brilharam? Lembram-se do extremo promissor Alex (Santa Clara na altura)? Bem, eu lembro, aí está ele aos 22 anos a fazer a sua estreia na primeira liga e logo com um bonito golo nos instantes iniciais. Seja bem aparecido menino Alex! Infelizmente os holofotes não ficaram muito tempo virados para o nascimento de mais uma estrela no nosso campeonato... Tens que compreender, Alex, é difícil lutar contra o circo que se instalou na defesa da tua equipa. Hienas, koalas, ursos e anões - tudo menos jogadores de futebol. Lá no meio da bicharada toda, Paulo Oliveira, coitado, de chicote na mão, vai fazendo o que pode. Armadilhas de fora de jogo para o ataque estorilista? Quando são ursos a armar armadilhas fica difícil... Exibição de classe dum Estoril de outro planeta. Jogam bonito. Dá gosto ver o Estoril. Bruno Lopes aproveitou a oportunidade e foi melhor do que Carlitos tinha vindo a ser.

Olhanense 0-2 Braga - O Márcio Rozário foi despedido por ser cepo e cometer penaltis patetas. Então que dizer do Jander, que no mesmo jogo comete dois penaltis patetas e ainda é expulso? Prémio Nobel do Barrote? Não é fácil cometer tamanha proeza e olhem que ele nem sequer tem o apelido "El Khalej" no nome. Outro Prémio Nobel deveria ir para o Belec. Este homem merecia o Prémio Nobel da Paciência. Decorriam 46 minutos de jogo e eu vejo três defesas do Olhanense a fazer pinturas gouache com a boca enquanto o Belec faz uma enorme defesa a remate do Pardo, Jander a olhar para o lance enquanto o seu cérebro processa 4 +2, Rusescu junta-se ao grupo das pinturas com a boca e Battaglia remata à trave enquanto Jander chega à conclusão: 7. Coragem, Belec, a época está quase a terminar. Enquanto o clube se afunda o italiano Galderisi descobriu que adora karaoke em dia de derrota. Os sócios do Olhanense andam indignados... Eu também ficava! Levar um golo do Piqueti, onde já se viu? A melhor parte do golo do Piqueti foi o Luís Filipe agarrado aos rins a pedir fora de jogo. Muito bom. Braga reentra na luta pelo acesso à Liga Europa via campeonato.

Paços de Ferreira 1-3 Sporting - O Sporting ganhar na Mata Real só podia ter uma explicação extra-futebol. Como sempre o blog Ai Vale Bujas vem desvendar todo o mistério: afinal, como é possível o Sporting ter ganho na Mata Real? Meus amigos... Josué. Claro. Há dúvidas? Vocês viram a fumarada na 2ª parte? O menino Josué foi para a rotunda ao lado do estádio mandar rateres com o seu Saxo Cup. Resultado? Borracha queimada e monóxido de carbono por todo o lado. Não se via nada e até parecia nevoeiro! Já se sabe que com o fumo os meninos da cidade dão-se muito melhor do que os da aldeia e foi por isso que o Sporting ganhou ao Paços de Ferreira. Apesar de ter sido um jogo pachorrento e mal jogado, houve golos bonitos e bons momentos. Acho que o momento do jogo é uma defesa brutal do Patrício, a remate do Bebé, depois deste ter partido os rins ao Maurício. Esta bola não ter entrado fez com que o Sporting construísse uma exibição segura, quase sempre no comando das operações. O Paços tem agora o Belenenses à espreita. Será que a luta pela manutenção ainda vai animar?

Porto 3-1 Académica - Coitado do Manuel Mota, tudo lhe acontece. Vandalizam-lhe o talho, é atropelado pelo Fernando Alexandre, qualquer dia descobre que tem chatos... Vocês têm noção do que significa ser atropelado pelo Fernando Alexandre? Imaginem que o vosso despertador era a música que nos vai representar no festival da Eurovisão 2014 ("Eu quero ser tua ó-ó-óóó"). É quase pior que isso. Deve doer tanto ser atropelado pelo melhor trinco da liga. Quanto ao jogo, meus amigos, quando têm o Quaresma no banco e o Ghilas e Quintero como titulares, até podiam jogar com o Lula e o Tanta a centrais que ganhavam o jogo na mesma. Viram a diferença entre ter um jogador que saiba levantar a cabeça e outro que fuça de forma a desenterrar todas as toupeiras do passado no estádio? 3-0 ao intervalo, sem Quaresma. Pois é. O Reyes foi eleito pelos adeptos portistas como melhor jogador em campo e acho que isto diz tudo sobre a inteligência das pessoas que votaram. Quando é que fazem um programa Novas Oportunidades para adeptos de futebol? Já vem tarde. A Académica só não escavacou mais o Ricardo e o Reyes porque o jogador que surgia naquele flanco era a jovem promessa de 28 anos Ivanildo. Fabiano fez a diferença numa noite em que a Académica conseguiu equilibrar após entrada muito forte da equipa portista.

Gil Vicente 0-1 Belenenses - No derby do caso Mateus tive que enviar uma enviada especial ao Estádio Cidade de Barcelos, a mãe dum amigo meu. Então o relato que tive do jogo foi "a mulher do Fiusa já repete o mesmo vestido há 3 jogos. Badalhoca. Isto nunca mais acaba para eu ir ao cinema com as minhas vizinhas ver o Sei Lá que é inspirado num livro da Margarida Rebelo Pinto. Estes lanches que vendem no bar já devem ter sido feitos há uma semana." No meio de tanta coisa interessante que se passou, o Miguel Rosa, "Migs" para os amigos, apontou o seu 5º golo no campeonato e acendeu uma velinha na luta pela manutenção. O jogo foi uma seca mas ainda teve sitcom. Não se esperava outra coisa entre duas das piores equipas do campeonato. O Tiago Caeiro, depois de falhar um golo de baliza aberta, tentou um pontapé de calcanhar artístico para dentro da baliza, tendo-se lesionado no movimento. Isto equivale a ir a uma máquina de sumos, ter crédito grátis, não sair lata, meter moeda, não sair lata, tentar tirar com a mão e ficar com a mão presa na máquina. Parabéns, Tiago Caeiro.

Marítimo 1-0 Arouca - Depois do despedimento do Márcio Rozário, acende-se uma luz ao fundo do túnel para a Europa. Vão ter que batalhar muito e rezar a todos os santinhos. Ir para campo com o Olim e o Bauer a titulares é como fazer um raise pre-flop com um par de duques na mão. O efeito é o mesmo. A sorte é que o Arouca não deu call à jogada. Bastava terem metido o Pintassilgo e o Serginho a titulares e aquela defesa insular ia-se afundar que nem titaniques. Pelo que fez na 2ª parte, precisamente altura em que estes dois meninos entraram, o Arouca não merecia ter saído derrotado. Mas a frieza de Derley desequilibrou os pratos da balança. Derley aproveitou uma chouriçada de João Diogo e, na cara de Cássio, foi frio e não deu hipóteses. Já leva 14 golos e está em 2º na lista dos melhores marcadores. É craque.

Vitória de Setúbal 3-0 Nacional - Que buja linda do Rafael Martins. Fez à bola o que eu fazia com aquelas bolas de praia no Algarve. Chutão, bola aos "s" e depois discussão de meia hora para saber se a bola passou na zona à esquerda ou à direita do chinelo. Só que aqui não houve discussão, foi buja veraneante para dentro da baliza do Gottardi. Merecias um Epá como recompensa, Rafael, grande golo. Grande golo e grande jogo de futebol. Frenético. Foi o melhor jogo da jornada, resultado enganador, vitória justa. Djaniny teve uma tarde desinspirada enquanto o ataque sadino demonstrava classe.  Mesmo apesar do extraordinário trabalho do Couceiro, tenho saudades do Mota e do Ramon Cardozo. Não serão esquecidos! O Manuel Machado vê a sua equipa com o 5º lugar ameaçado mas tem todos os motivos para encarar com esperança o futuro próximo. A equipa pratica bom futebol, apenas teve uma tarde desinspirada na frente.

Benfica 4-0 Rio Ave - Osvaldo Nicolás Fabián Gaitán. Até o nome parece que é escrito em fintas. Fabián Gaitán. Digam alto Fabián Gaitán e sintam o vento a sair das vossas bocas em direcção à baliza. Digam Nicolás, digam Nico, digam Gaitán e sintam o arrepio. É nesse arrepio que vocês percebem que futebol é arte e que as leis da física muitas vezes são esticadas ao máximo para que tudo possa acontecer. Esse arrepio só é provocado por alguns. Digam Gaitán. Digam Rodrigo. Rodrigo Moreno Machado, brasileiro, espanhol, benfiquista a bater com a mão no peito e de sorriso nos lábios. Digam Sílvio e, por favor, que não vos venha à cabeça o Carlos Dias da Silva. É Sílvio. Uma serpente no flanco esquerdo. Serpente amiga de benfiquismo intravenoso. Digam André. André Almeida, uma torre de Magnus Carlsen em cheque-mate sobre russos dos maus. Digam Jorge. Jesus. Com a equipa a roçar a perfeição encontra motivos para esbracejar que nem louco na Casa Amarela. Louco por futebol. Fanático como nós. Benfica, Benfica, na Terra e no Mar! Digam Maxi Pereira, Cantiflas, Super Maxi, Yngwie Maxi-lmsteen na ala direita, poço de raça, frenesim. Digam capitão. Digam Luisão. Está há séculos a envergar a camisola mais pesada, a braçadeira mais pesada, os calções mais pesados, as meias mais pesadas. Oooooobeeeeliiiiix. Digam Ezequiel Garay. Ele responde-vos, se disserem. Ele vive lá no cume mais alto do que de onde a águia parte, numa espécie de zénite por cima das estrelas e dos astros, portanto se não ouvirem é porque o som ainda não percorreu todos os ano-luz que nos separam. Digam Jan Oblak. Ele acena-vos da baliza, sem direito a sorrisos, para não perder a concentração. Digam Lazar Markovic e digam-lhe para deixar crescer a barba. Imaginem só se um defesa visse o Markovic chegar de barba, feito bárbaro, se possível ainda com pedaços de frango da última refeição pendurados, e a fingir que segura num machado enquanto corre. Machado cima, machado baixo, menos uma cabeça no mundo, golo do Benfica. Digam Rodrigo José Lima dos Santos e sentem-se com ele no sofá a ver o Rei do Gado. Digam-lhe que ele é melhor futebolista do que o António Fagundes actor. Digam Óscar René Cardozo Marin. Cada nome é um tiro de chumbo, tungsténio, ouro, a bola cai pesada no chão depois do golo. Digam Enzo Nicolás Pérez. Perguntem-lhe se ele via os Andes da janela do quarto dele. Perguntem-lhe onde é que ele aprendeu a subir, descer, virar e correr. Só pode ter sido nos Andes. Os olhos do Enzo percorrem o horizonte andino a 7 mil km de altitude. Os nossos olhos estão nos Andes. O Estádio da Luz é os Andes. 


sexta-feira, 4 de abril de 2014

EUROPA 4ºs Final 2013/14 1ª Mão

 
AZ Alkmaar 0-1 Benfica - No dia 5 de Outubro de 2013 o Benfica tinha acabado de fazer umas das piores exibições da época, em Paris, frente ao PSG, estava a 5 pontos do Porto e era inconcebível para a maioria dos adeptos imaginar o futuro do Benfica com Jorge Jesus ao leme. Nesta noite de 3 de Abril de 2014, o Benfica está a um passo de se sagrar campeão nacional e conseguiu neste jogo o primeiro triunfo em terras holandesas desde 1969, época em que bateu por 3-1 o Ajax em Amesterdão, nos 4ºs de final da Liga dos Campeões. Não serviu de muito essa vitória já que o Sr Cruyff na Luz tratou de nos arrumar com 3-1, tendo no jogo de desempate depois o Benfica perdido por 3-0 novamente com Cruyff em destaque. Que essa eliminatória de 1969 sirva de lição. Ganhar fora só não chega, há que cumprir e ser responsável também dentro de portas.  
E que bom é ver o grande Benfica europeu de volta. Infelizmente para nós, adeptos benfiquistas, o futebol moderno fez com que os grandes clubes praticamente não possam disputar a Liga dos Campeões e hoje temos que gramar com clubes como o Chelsea, PSG ou Manchester City a passear nos palcos que deveriam ser os do Benfica, Ajax ou Milão. Contentemo-nos com a Liga Europa, façamos a festa europeia na mesma, à Benfica, com alegria e bom apoio como o que se viu ontem na Holanda. Um dia a Liga dos Campeões voltará para os nossos braços e o caneco será levantado novamente. Não como Águas. Águas só há um, o José e mais nenhum
Neste jogo o Benfica entrou estudante e relaxado na cadeira da sala de aula. Estamos na Holanda, terra onde ervas se transformam em fumo que entra pelas narinas e pela boca, embrulhando o cérebro como prenda de Natal. O AZ entrou furioso, com estrica, ecstasy a mil, e mostrou a toda a gente que a eliminatória não é passeio. Eles jogam à bola. Têm o Beerens que é um extremo espectacular e têm o Johansson, ponta de lança irrequieto e que já leva 16 golos no campeonato holandês. O Benfica aguentou a entrada inicial e estudava. A erva, cerebral, começava a ganhar terreno ao ecstasy mais físico. Há uma altura na noite, com o ecstasy, em que a euforia e fibra dão lugar ao amor. Assim foi. O AZ apaixonou-se pelo Benfica e viu-o jogar, embevecido pelos pés de André Gomes. André Gomes é, aliás, a chave para descodificar todo este encontro. Uma primeira parte desastrada: recebia a bola, parava o processo ofensivo da equipa, quando jogava rápido era para devolver a bola e nunca para avançar, as decisões eram desastradas e a pressão inexistente. Uma segunda parte de transformação: com André Almeida combinou bem, decidiu melhor, apareceu mais solto e descomplexado. Acabou por ser um passeio para André Gomes, para o Benfica e, quando o passeio tinha calçada fora do lugar, o Rei Artur tratava de recolocar as peças no lugar. Grande exibição do guardião do Benfica que salvou a equipa um bom punhado de vezes. Quero também enaltecer as exibições de Cardozo e Salvio. Cardozo porque foi melhor, lutou mais e esteve muito perto de um golo que merecia. Salvio porque, apesar de desastrado e inconsequente na maior parte do jogo, com o golo, voltou a sorrir. Quem viu Salvio na flash interview percebeu a importância deste golo. Quem viu Salvio em campo, depois do golo, ajudando com genica Maxi e tentando agitar todo o flanco no ataque, percebeu a importância do golo. A mancha nesta noite é a lesão de Ruben Amorim... Eu já andava a estranhar tantos jogos seguidos sem uma lesão mas, enfim, o rapaz não tem mesmo sorte e partiu outra vez a porcelana. Força, Ruben! Volta rápido.
É uma grande vitória do Benfica. Nada está resolvido... Mas quase.
Nesta noite em Alkmaar lembrei-me do Miguel Garcia, como é óbvio. Fui pesquisar e o rapaz está no Maiorca, na 2ª divisão espanhola, com a sua equipa perto da zona de playoff que poderá levá-los de regresso à Liga BBVA. 

Porto 1-0 Sevilha - Mais uma grande resposta do Porto. Fibra, vontade e concentração. Mais uma vez - e depois do sucedido na meia final da Taça de Portugal -, o Porto volta a ter azar, tendo neste jogo enviado mais duas bolas ao ferro, bolas que seriam suficientes para sentenciar a eliminatória. Bacca, Reyes, Marin e Rakitic foram completamente sufocados pelos tentáculos do polvo Fernando. Foi um Fernando sindicalista, piquete CGTP de gema, a impor a greve a estes 4 meninos do ataque do Sevilha e ainda a mandar o governo do árbitro ir pastar. O megafone de Fernando, no entanto, pode custar caro ao Porto, que vai a Sevilha com um meio campo composto por Defour, Herrera e Carlos Eduardo, sem Jackson na frente, também ele suspenso. Quem também melhorou - pasmem-se! - foi Quaresma. Eu juro que vi, com estes olhos que a terra há de comer, o Quaresma a ajudar o Danilo na defesa. Juro que vi o Quaresma a passar a bola ao Herrera em vez de fuçar 2 defesas e chutar para a bancada! Juro que vi trivelas a funcionar e a caírem redondinhas - ou quase - em colegas de equipa. Um das trivelas deu origem a um golaço! Toda a jogada é bonita, desde a trivela de Quaresma até à cabeçada agressiva de Mangala que agride a bola para dentro da baliza.
O Sevilha jogou muito pouco. Para quem tinha ainda há uma semana visto esta equipa jogar contra o Real Madrid, de certeza não esperaria exibição tão pálida frente ao Porto. No entanto não se deixem enganar por esta exibição. O jogo no Ramon Sanchez Pizjuan vai ser complicadíssimo para o Porto.

terça-feira, 1 de abril de 2014

Possíveis Potes da Champions League 2014/15

No fim de semana passado ficaram definidos os lugares de acesso à Liga dos Campeões na Liga Portuguesa. Ninguém se sagrou campeão, ninguém garantiu nada matematicamente, mas acho que já não há portistas que acreditem no 2º lugar do campeonato, logo, as posições de acesso à mais importante prova de clubes do mundo, estão já definidas no final do mês de Março.  Parece-me que para o Estoril o 3º lugar nunca foi mais que um sonho.

Fomos meter mãos à obra para perceber que grupos se poderão desenhar em 2014/15 na Liga dos Campeões. Sabemos que os nossos amigos sportinguistas estão cheios de saudades de a jogar e sabemos que toda a gente vai já imaginando, por esta altura do campeonato, como poderá ser a próxima época. Isto acontece, naturalmente, pelo esgotamento dos objectivos da presente época. Quando se esgotam objectivos presentes, pensa-se nos objectivos futuros. Vai ser interessante ver como os clubes portugueses se vão aguentar contra gigantes com bolsos a transbordar dinheiro. Até ver, têm-se portado muito bem, veremos como será para o ano!

Previsão Ai Vale Bujas 
Potes 2014/15 da Liga dos Campeões:



Barcelona (155.656) - Actual 2º classificado da Liga Espanhola (entrada directa)
Real Madrid (150.656) - Actual 3º classificado da Liga Espanhola (entrada directa)
Bayern Munique (150.156) - Já campeão alemão (entrada directa)
Chelsea (136.806) - Actual 2º classificado da Liga Inglesa (entrada directa)
Benfica (119.059) - Actual 1º classificado da Liga Portuguesa (entrada directa)
Arsenal (112.806) - Actual 4º classificado da Liga Inglesa (entrada via playoff)
Atlético Madrid (110.656) - Actual 1º classificado da Liga Espanhola (entrada directa)
Porto (103.059) - Actual 3º classificado da Liga Portuguesa (entrada via playoff)


Schalke 04 (95.156) - Actual 3º classificado da Liga Alemã (entrada directa)
Borussia Dortmund (80.156) - Actual 2º classificado da Liga Alemã (entrada directa)
PSG (78.233) - Actual 1º classificado da Liga Francesa (entrada directa)
Shakhtar Donetsk (78.193) - Actual 1º classificado da Liga Ucraniana (entrada directa)
Juventus (74.187) - Actual 1º classificado da Liga Italiana (entrada directa)
Zenit (73.899) - Actual 2º classificado da Liga Russa (entrada via playoff)
Basel (73.565) - Actual 1º classificado da Liga Suiça (entrada via playoff)
Manchester City (72.806) - Actual 3º classificado da Liga Inglesa (entrada directa)


Bayer Leverkusen (70.156) - Actual 4º classificado da Liga Alemã (entrada via playoff)
Olympiakos (67.720) - Campeão Grego (entrada directa)
Ajax (61.862) - Actual 1º classificado da Liga Holandesa (entrada directa)
Napoli (61.187) - Actual 3º classificado da Liga Italiana (entrada via playoff)
Liverpool (58.806) - Actual 1º classificado da Liga Inglesa (entrada directa)
Sporting (58.059) - Actual 2º classificado da Liga Portuguesa (entrada directa)
Galatasaray (55.340) - Actual 2º classificado da Liga Turca (entrada via playoff)
Athletic Bilbao (53.656) - Actual 4º classificado da Liga Espanhola (entrada via playoff)



Lille (45.233) - Actual 3º classificado da Liga Francesa (entrada via playoff)
Fenerbahce (41.340) - Actual 1º classificado da Liga Turca (entrada directa)
Roma (39.687) - Actual 2º classificado da Liga Italiana (entrada directa)
Standard Liege (38.260) - Actual 1º classificado da Liga Belga (entrada directa)
FC Dnipro (32.193) - Actual 2º classificado da Liga Ucraniana (entrada via playoff)
Lokomotiv Moscovo (20.899) - Actual 1º classificado da Liga Russa (entrada directa)
Feyenoord (13.362) - Actual 2º classificado da Liga Holandesa (entrada via playoff)
Monaco (?) - Actual 2º classificado da Liga Francesa (entrada directa)

Outros possíveis clubes para o pote 4, que vão participar no playoff de acesso:
Redbull Salzburgo, Sparta de Praga, Club Brugges, Besiktas (ainda a discutir o 2º lugar com o Galatasaray), Wolfsburg (ainda a discutir o 4º lugar com o Bayer Leverkusen), Steaua Bucareste, Celtic Glasgow, PAOK, Malmö, Dinamo Zagreb, entre outros com menos probabilidades de conseguir ultrapassar os playoffs.


Digam-me, caros amigos benfiquistas, sportinguistas e portistas: qual o sorteio que mais desejam para a vossa equipa?

11 Pé de Barrote Nº25


Equipamento em homenagem à Zemanlandia. Foggia 93/94 de Zdenek Zeman, a fase final da transformação de um clube que foi da Serie C à Serie A em 3 anos, às custas de jogadores como Giuseppe Signori e Francesco Baiano. Igor Kolyvanov, Giovanni Stroppa ou José Antonio Chamot figuravam nesta equipa, há 20 anos atrás. Época mítica para todos os Benfiquistas, época na qual muitos de nós nos apaixonámos pelo Calcio às custas do Parma de Zola, Brolin e Asprilla. A Serie A era, sem qualquer dúvida, o melhor campeonato do mundo.