sexta-feira, 27 de junho de 2014

MUNDIAL 2014 - Grupo G 3ª Jornada



GRUPO G - 3ª Jornada

Alemanha 1-0 EUA - Andavam as más línguas a dizer que estes meninos iam empatar o jogo de propósito porque o Klinsmann era alemão e grande amigo do Joachim "Gastronomias Nasais" Low, pois bem, enganaram-se e não foi pouco. Quem viu este jogo testemunhou uma verdadeira batalha de xadrez que se calhar nem o Magnus Carlsen desbloqueava. Deixem-me contar-vos o que rabisquei na minha folhinha. A Alemanha jogou de início num 4-3-3 clássico, com os laterais com poucas ordens para avançar no terreno e com Lahm como médio mais recuado, abdicando de Khedira e do tal 4-2-3-1. Os EUA responderam com um 4-5-1 ferrolho, onde os 3 médios do miolo - Beckerman, Jones e Bradley - tentavam impedir o jogo mais vertical alemão, posicionando-se os 3 muito próximos uns dos outros, basculando em conjunto para o lado que tinha a bola. Ora, como os EUA não criavam perigo, Low mandou Howedes e Boateng avançar no terreno já que havia espaço de sobra para explorar nas alas. Sem uma referência forte fisicamente na área, sendo Muller insuficiente e com Besler e Gonzalez muito certinhos nas tarefas defensivas, a Alemanha sofria mas conseguia criar aqui e ali oportunidades para desatar a partida, com Howard a surgir numa forma magnífica no Brasil. A Alemanha só encontrou a ponta do novelo num lance frio de Muller, a dar um destino à bola pelo meio dum emaranhado de pernas americanas e alemãs, na sequência dum canto. Bom jogo, os EUA não mereciam mais do que a derrota.

Gana 1-2 Portugal - O Gana é mais um caso, à semelhança do que aconteceu com os Camarões, que me deixa perplexo. Jogadores a ameaçar greve devido a prémios de jogo. O que aconteceu ao sonho de jogar estas competições? O que aconteceu ao orgulho de representar um país? Ainda por cima jogadores todos eles emigrantes - sempre ouvi dizer que os emigrantes sentem mais a pátria! O Gana, Portugal ou a China são países que merecem ser dignificados e não é por acharmos que o país é mau ou que os políticos são corruptos que passamos a ter um país feio. Sim, um belo país, o nosso país é sempre o mais bonito e a história, por mais sangrenta ou inglória, é uma história para contar sobre o sítio onde nascemos, sobre o primeiro pedaço de terra que pisámos. Jogadores como Muntari que andaram com uma garrafa partida nas mãos a ameaçar cortar dirigentes do Gana só porque ainda não tinha recebido. Jogadores como Boateng que, pelos vistos, insultou o treinador e foi um dos principais responsáveis pelo mau estar no balneário. Jogadores como Cristiano Ronaldo, que deu tudo pela selecção, jogando com dores e tendo que partilhar relvado com o Miguel Veloso, mas que depois aos microfones culpa os colegas pelo insucesso e amua com medo que o critiquem. Seleccionadores como Paulo Bento que assume as responsabilidades do falhanço mas que pelos vistos acha que responsabilidades não vêm com consequências agregadas. É claro que numa balança, as atitudes portugueses são muito menos graves do que as atitudes dos jogadores ganeses. Felizmente a justiça divina do futebol penalizou uma selecção que, se estivesse unida como esteve contra a Alemanha, tinha certamente passado este grupo. O Gana é muito melhor que os EUA e criou muito menos dificuldades a Portugal do que os EUA. Do que falhou em Portugal falarei num post que farei dentro de umas horas/dias/meses/anos. Neste jogo a condição física de Portugal, os laterais e a obrigação de estar balanceado para o ataque colocavam todas as armas nas mãos do Gana, para os africanos jogarem como gostam, explorando a velocidade dos seus avançados e conseguindo provavelmente uma vitória até fácil. Mas aconteceu tudo ao contrário. Foi Portugal, inexplicavelmente, com um meio-campo com 2 jogadores fracos fisicamente (Amorim e Moutinho) que segurou o jogo pelo pulso e que conseguiu oportunidades mais do que suficientes para golear. Se Cristiano Ronaldo estivesse num dia normal e se Eder tivesse comido Chocapic ao pequeno-almoço, Portugal hoje estaria provavelmente a festejar, não por mérito próprio, mas por demérito do Gana e mérito alemão.

2 comentários:

  1. Uma desilusão a equipa do Gana neste jogo. Pareciam um bando de amadores. Aliás o jogo pareciam as equipas da Stella Maris contra a da Helen Keller. Paulo "Chico" Bento 4ever .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ou então as vítimas de minas antipessoais de Angola contra os subnutridos da Etiópia! Foi um jogo patético, de facto, um jogo que tinha potencial para ser um épico do Mundial... Ou então isto é a visão de 2 gajos que viram o jogo com mais paixão que razão

      Eliminar