quarta-feira, 21 de maio de 2014

Pé de Barrote Final 2013/14



Nós aqui no Ai Vale Bujas? orgulhamo-nos muito de ter a capacidade – e a paciência – para seguir todos os jogos da nossa Liga. Sim, somos omnipresentes, algum problema? Por isso, como estamos em ano de Mundial, brindamos os nossos queridos leitores com os 23 escolhidos para representar o nosso campeonato no Mundial Pé de Barrote, a ser disputado também no Brasil, mas num qualquer pelado em Jacaré-Paguá. Foram 240 jogos disputados, bem analisados ao pormenor, num total de 198(!!) jogadores citados por nós e, por isso, passíveis de serem seleccionados para os 23 finais (não esquecer os que ficam em stand-by/pré-convocados/como quiserem).
Não foi fácil formar esta verdadeira selecção de astros no que à azelhice diz respeito. Debatemos bastante! Acesas discussões sobre porque é que o jogador X representado pelo Jorge Mendes é convocado e o jogador Y representado por um Zé Manel qualquer não vai, apesar de ter sido mais cepo que o primeiro. Contamos aqui com o veredicto final do nosso especialista em Pé de Barrote, enviado especial na Austrália, um dos mentores secretos do projecto Ai Vale Bujas e co-autor debaixo do radar! Posto isto vamos aos nomes, que é isso que vocês querem ler! Ou então não querem ler nada e estão só a passar o tempo.

Na foto o autor deste post a dar um passeio pela praia, ao fim do dia, antes de ir levar a jantar fora o Del Piero e um grupo de cobras venenosas e aranhas maltrapilhas amigas dele.

Guarda-Redes

Douglas (Vitória Sport Clube)Um dos responsáveis pela péssima segunda volta do Guimarães, alternou bons jogos com lances patéticos, fazendo desesperar qualquer vitoriano. “Ah e tal mas ele não tem culpa dos centrais terem saído em Janeiro. Ele até teve que levar com o Moreno”, é verdade, mas isso não invalida que se tenha comportado como um elefante numa loja de porcelanas em quase todos os jogos da segunda volta. “Meu rico Nilson, que passava 40 minutos a queimar tempo”, terão dito aqui e ali alguns adeptos vitorianos mais saudosistas.

 

Salin (Rio Ave/Marítimo) – Conseguiu a proeza de ser o único dos eleitos a ter sido citado em dois clubes diferentes! Mas deixem-me contar-vos como foi a época deste menino: depois de boa temporada nos Barreiros aparece o Braga a pretendê-lo para a baliza, “ai ui vou para o Minho e já não ando tantas vezes de avião”, mal chega ao Minho acaba por não ser contratado, tendo que procurar clube e ficando por Vila do Conde, “ai ui o Jorge Mendes investe aqui, vou ser muito feliz”, asneira aqui, asneira ali e perde o lugar para o Éderson (a sério, ninguém perde o lugar para este cepo), até que volta a surgir o Marítimo, onde acaba por recuperar um pouco a forma da época passada, não se livrando ainda assim de mais uma ou outra exibição para recordar pelos piores motivos. Parabéns Salin, estás convocado! 

Matt Jones (Belenenses) – A cumprir a segunda época nos azuis do Restelo e um dos principais pilares na subida da época passada, fez 29 jogos e cometeu a proeza de não sofrer golos em 10 deles, ajudando o Belém a manter-se na Liga. Ainda assim foi misturando esses bons jogos com outros em que não mandava uma prá caixa. Muito nervosismo, talvez por ser a época de estreia no campeonato principal (e também porque a dupla de centrais era fraquíssima). É um outsider nesta convocatória, por factos que irei explicar mais à frente.

Defesas Laterais

Briguel (Marítimo)Epá, não sei que vos diga neste parágrafo, sinceramente… É o Briguel, que mais querem? Este “jogador” só não é o capitão de equipa porque deixou de ser titular, senão corria o risco de chegar às 10 ou mais citações. Defesa experiente ao nível da azelhice, fez 8 jogos no campeonato, levou 4 amarelos, 1 vermelho e ajudou o Marítimo a sofrer 14 golos. Mais do que suficiente para merecer estar no lote dos 23, ainda fez um jogo no Marítimo B para ajudar na manutenção da equipa na 2ª liga (1 amarelo e 1 golo sofrido, porque terá sido). Veremos se o Leonel Pontes, novo treinador do Marítimo, cairá no erro de lhe dar minutos. 

 

Núrio (Braga) – Bendita a hora em que o Braga vendeu o Elderson! Foi bom para nós, claro, que passamos época após época à procura dos melhores paninis para a galeria de honra. 6 jogos foram suficientes para conquistar um lugar na esquerda da defesa, com exibições absolutamente patéticas, algo que terá feito despertar a atenção dos tubarões ingleses na sua contratação. Aposto que brevemente irá pontificar ao lado do Pecks no Manchester City. Depois desta época ganhou toda uma nova flexibilidade renal. Está em evolução constante.

Mladen (Olhanense) – Isto começa logo mal: Mladen é nome de búlgaro, o rapaz é romeno e veio emprestado pela Roma! Só pode ser craque para os galácticos de Olhão, claro. Mas este jovem revelou-se um autêntico cepo. Para verem só a sua qualidade, foi apenas utilizado como titular em 14 dos 16 jogos que realizou. E porque é que isto é de espantar? Porque o concorrente directo ao seu lugar de defesa direito era o Luís Filipe, pá. Mais um que irá deixar saudades pelo pouco jeito para o futebol.

Defesas Centrais



Márcio Rozário (Marítimo) – E pronto, voltamos ao mesmo que foi dito anteriormente em relação ao Briguel, a diferença é que o Márcio Rozário foi primeiro suspenso por “quebra de confiança” nas suas exibições e, posteriormente, dispensado. Isto diz muito do porquê do Marítimo ter ficado à porta da Europa neste campeonato (3ª pior defesa da prova). Deixará saudades a quem gosta de fazer compilações no Youtube com os bloopers da temporada. 

Ricardo (Paços de Ferreira) – Mais um jogador cheio de experiência a vir parar aqui. E porquê, perguntam vocês? Primeiro porque começou a época a ser treinado pelo Costinha e acabou a ser treinado pelo Jorge Costa. Acabou como quem diz... O Paços ainda será posto à prova pelo Aves na liguilha, que determinará a manutenção ou não dos pacenses na 1ª divisão. A defesa do Paços foi um autêntico passador esta época e, se nalguns jogos até mereceria outro resultado, tal não se verificou devido a erros colossais da defesa, tendo Ricardo brilhado ao mais alto nível neste aspecto.

Danielson (Gil Vicente) – O Gil Vicente esteve 5 meses sem ganhar um único jogo graças à espectacular dupla Danielson-Pecks (o Halisson também ajudou), impecáveis no fornecimento de espaço aos adversários contrários. Aliás, tão impecáveis neste capítulo que nós aqui no blog achamos que eles deveriam ser agentes imobiliários e não jogadores de futebol. Não esquecer que, à frente da dupla defensiva, estava o inolvidável Luan, mas isso não serve de desculpa para as constantes faltas de concentração deste central que leva anos e anos de Primeira Liga.

Reiner Ferreira (Académica) – Quem acompanhou atentamente este campeonato sabe perfeitamente que o Reiner saiu em Janeiro da Académica. Caso andassem mais desatentos, bastava verificar o 8º lugar conseguido pela Briosa para se perceber que o fruto dessa classificação só pode ter sido a dispensa daquele que, na minha opinião, foi o pior jogador deste campeonato! Um defesa central completamente patético, incapaz de definir o tempo de entrada aos lances, tecnicamente mau, lento, enfim, todo um rol de adjectivos depreciativos seria pouco para descrever este trambolho. É sempre bom ter um 4º central deste gabarito no plantel para dar moral aos avançados nos treinos.

Médios

 


Luiz Carlos (Braga) – Depois de uma época fantástica no Paços de Ferreira, lá vai o Luiz Carlos dar o salto para um clube que luta sempre por objectivos europeus… Então não é que aparece o Pandurii? Tiro no porta-aviões! “Mas calma, ainda temos as Taças e o campeonato”, pois é…Nas Taças o Rio Ave afundou com o que restava do Braga e no campeonato foram jogos péssimos atrás de jogos maus. Aliás, o meio-campo desta selecção só não é todo do Braga porque houve outros a merecer grande destaque… Exibições muito apagadas deste brasileiro, pronto para um Anorthosis Famagusta qualquer.

Mauro (Braga) – Foi este menino que andou a sentar o Custódio a época toda no banco? Então parabéns, Jesualdo e Jorge Paixão, por nos apresentarem esta pérola brasileira! Dos 25 jogos que fez no campeonato foi titular em 22, depois queixem-se que o Braga não ganha jogos… Parece-me um jogador bastante limitado tanto tecnicamente como fisicamente, bastante inferior ao Custódio até, não acrescentou nada ao meio-campo bracarense mas pode fazer carreira num Chapecoense qualquer.

Sérgio Oliveira (Paços de Ferreira) – Recupera a titularidade neste onze, perdida ali mais ou menos a meio da segunda volta, quando marcou um ou outro golito e o Paços até parecia estar perto de se livrar dos dois últimos lugares. A verdade é que o Sr. 30 Milhões não desapontou e agarrou o lugar! Tem tanto de bom jogador como de inconsequente. Talvez esta primeira época a sério no campeonato principal sirva para ganhar experiência e fugir às más exibições que o têm caracterizado. Ele até tem bons pés para a profissão.

Filipe Anunciação (Paços de Ferreira) – “Ai ui não gosto do Calisto, não me mete a jogar, vou arranjar maneira de correr com ele”, foi isto que pensou o histórico capitão do Paços. Mas o karma é lixado e mal entrou para equipa neste fim de época passou de “apenas mais um jogador com uma esporádica citação” a “temos que levar este gajo ao Mundial Pé de Barrote”. Mais 3 vermelhos para este autêntico ceifeiro e mais uma época para esquecer. Talvez a idade comece a pesar…

Romeu Rocha (Paços de Ferreira) – Foi este o jogador escolhido para tentar substituir Luiz Carlos, transferido para Braga. E conseguiu? Conseguiu mas é conquistar um lugar para a eternidade panínica do nosso futebol, foi o que ele conseguiu! É apenas mais um jogador que vem provar a teoria de que não é por se fazerem boas épocas na 2ª Liga que é fácil mostrar qualidade no escalão principal. 8 jogos a titular e 4 citações depois, rumo a Jacaré-Paguá.

Ruben Micael (Braga) – Ruben Zidane Micael, internacional português, pensa que é o melhor do Mundo quando nem o melhor da Madeira é. Que dizer deste jogador da bola? Isto faz-me pensar que eu, já acima dos 30, ainda posso ir ali ao complexo do Brisbane Roar fazer uns treinos e tentar ser jogador. Afinal de contas, transferiram o Berisha e devem precisar de um gajo que pense o jogo como eu. O prémio para a excelente campanha do Ruben Micael foi não ser convocado pelo Paulo Bento, logo ele que fez um jogão na Rússia! Mas aqui no blog estamos atentos e levamo-lo nós. Estou pra ver se fazes melhor figura com o Moutinho ó Paulo Bento!

Josué (Porto) – Para fechar os médios, nada melhor que um médio que também pode jogar a extremo sem perder qualidade, simplesmente porque não a tem. Foi uma das boas surpresas de Paulo Fonseca no Paços, mas também para os adeptos benfiquistas e sportinguistas, foi uma das boas surpresas de Paulo Fonseca no Porto, que insistiu em apostar até à exaustão neste internacional português, tão bom que ele é a fazer manguitos por essa Europa fora. Foi pena ter sido apenas titular em 16 dos 20 jogos que disputou no campeonato…Chegou a ser um dos melhores marcadores do campeonato com 4 golos! Todos de penalty.

Extremos


  
Ukra (Rio Ave) – Um dos cinco jogadores que mantém a titularidade em relação ao 11 Pé de Barrote a meio da época, o que é sinal de consistência na sua irregularidade. Decisivo na qualificação do Rio Ave para as finais da Taça da Liga e da Taça de Portugal, não conseguiu mostrar igual qualidade no campeonato, não saindo do modo Chipre que cedo se instalou nas suas pernas.

Quaresma (Porto) – E quem foi que chegou a meio da época e ganhou lugar indiscutível, quem foi? Foi o Harry Potter, o Mustang, o Mago, tudo o que lhe quiserem chamar menos Einstein se faz favor. Não foi por acaso que, com a sua chegada, o Porto caiu a pique na classificação, fruto da sua constante excitação em fazer trivelas, fintas e malabarismos que em nada ajudam a equipa. Tem uma qualidade invejável, é um facto, mas, após a primeira passagem pelos dragões, nunca mais conseguiu alcançar a qualidade outrora demonstrada. A sua personalidade temperamental também não ajuda a estabilizar a equipa (e talvez o balneário).


Varela (Porto) – Mais um excelente internacional português que figura nos nossos quadros! Talvez afectado pela “síndrome Licá” e pela chegada de Quaresma, Varela não conseguiu chegar aos patamares demonstrados em épocas anteriores, fazendo uma época muito abaixo do normal. Não que tenha uma qualidade por aí além, mas já fez melhor…

Avançados

Dionisi (Olhanense)Esta foi uma decisão complicada, mas teve que ser. O avançado italiano foi dos jogadores mais instáveis neste campeonato, misturando exibições convincentes e raçudas com exibições bastante pobres e cheias de sitcom, que mereciam uma mini-série na RTP 2 aos sábados à noite. É certo que gosto muito deste jogador, mas a imparcialidade e a justiça imperam nesta decisão. Como já foi referido no resumo da jornada 30, seria bom que alguém acreditasse no potencial deste italiano. Será o capitão de equipa, fruto das 6 citações alcançadas (mais nomeado). 

 

Lima (Benfica) – A esta hora estão vocês a pensar : “Mas o que é que faz nestes convocados um campeão nacional?”. É simples, meus amigos: isto é para analisar durante toda a época…E onde andou o Lima na 1ª metade do campeonato? Pois é, jogos patéticos atrás de jogos patéticos, completamente fora de forma e desconcentrado, infelizmente a última prova disso até nem foi no campeonato mas na final da Liga Europa…O campeonato é uma maratona e o Lima nos primeiros 21kms teve vários furos.


Montero (Sporting) – O que vale para o Lima vale para o Montero, a diferença é que a chama do colombiano começou a apagar-se no início de Dezembro e aquele avançado mortífero do início da temporada deu lugar a um Purovic qualquer. A forma baixou tanto que até o Slimani lhe ganhou o lugar. Ficamos à espera da próxima época para descobrir qual das duas faces de Montero será a verdadeira.

Jogadores em stand-by 

Já se sabe que, quando há uma competição a nível de selecções, muitas são as vozes a opiniar sobre os 30 pré-convocados do seleccionador, umas a achincalhar porque os jogadores do seu clube não vão, outros a defender com unhas e dentes as escolhas, por muito ou pouco controversas que elas sejam. Na nossa autêntica constelação de estrelas também houve lugar à controvérsia e à revolta, reparem bem nos jogadores que ficaram às portas do Mundial: 

Ricardo (Olhanense) – “Mister como é que é possível eu não ter sido chamado?”, pergunta o Ricardo com a sua voz de clarinete. Pois é, eu tinha praticamente a certeza que o Ricardo iria ser titular indiscutível nesta equipa. Acontece que os treinadores que passaram por Olhão não ignoraram o facto do Belec ser infinitamente melhor que o português. Não adiantou para a manutenção mas o esloveno foi peça fundamental para manter a chama do Olhanense acesa até ao fim. Esta é também a razão do Matt Jones estar nos 23 (só para ver se continuam atentos ao que eu escrevi no Matt Jones, seus patifes).

Nuno André Coelho (Braga) – Um dos motivos para o 9º lugar do Braga foi a péssima forma deste aspirante a internacional português. Apesar da sua experiência, nunca deu estabilidade à defesa bracarense, facto que levou a equipa a ficar arredada da luta pela Europa via campeonato. Nas Taças, como se viu, a sorte foi idêntica. 

João Afonso (Belenenses) – Tal como foi dito em relação a Romeu Rocha, é mais um dos casos onde a qualidade evidenciada na 2ª Liga não ficou demonstrada no principal campeonato português. Dividiu o centro da defesa do Restelo com João Meira e Gonçalo Brandão, destacando-se por várias falhas clamorosas em zonas proibidas. Só não foi mais grave para o Belenenses porque apareceu o cepo do Deyverson a marcar golos importantes. Enorme Deyvinho, sempre acreditámos em ti!

Moreno (Vitória Sport Clube) – Expliquem-me como é que este defesa/médio defensivo faz 22 jogos no nosso campeonato, expliquem-me! Ah já sei, o Guimarães está mal de finanças e tem que jogar com a prata da casa. Mas é que este nem prata é… Lembrando um cântico das adeptas ultras do Nacional: “Nacional é ouro e prata, o resto é casca de batata”. E é precisamente o que o Moreno é. E enverga ele a braçadeira de capitão de um dos mais emblemáticos clubes portugueses - ridículo.

François (Vitória Futebol Clube) – Mais uma ascensão meteórica no nosso campeonato, este central senegalês foi utilizado em apenas 8 jogos como titular, jogos esses mais do que suficientes para ficar nesta lista de reservas. O Setúbal bem se viu à rasca para ganhar jogos com este perna de pau em campo, tanto é que nos dois jogos em que acabou expulso o Setúbal ganhou um e empatou outro! Tivesse este menino jogado mais vezes e talvez o Setúbal não tivesse acabado em sétimo lugar.

Pecks (Gil Vicente) – Obviamente não podia faltar o melhor central do campeonato português. Uma autêntica carraça este cabo-verdiano, mas apenas para os seus colegas da defesa. A falta de jeito para o futebol está lá toda e grande parte da queda na classificação do Gil Vicente fica patente nas exibições deste jogador. Mas isso também não interessa nada. Depois do Mundial o City irá abrir os cordões à bolsa e levar Pecks para o espectáculo da Premier League. É isso e o Beto no Real Madrid, ainda vai a tempo.

Nélson Pedroso (Vitória Futebol Clube) – Defesa esquerdo de técnica refinada, destacou-se na primeira volta pela quantidade de vezes que pisou jogadores do Benfica sem conseguir o tão desejado cartão vermelho. Faz lembrar o Bruno Basto, tamanhas as corridas estonteantes e inconsequentes até à linha final. Esteve na iminência de sair em Janeiro, mas, para bem do espectáculo, acabou por ficar. Foi rendido em alguns jogos por um paraguaio chamado Acosta.

Baiano (Braga) – Talvez por causa dos problemas físicos, talvez por se exigir mais do Braga por tudo o que o Braga fez nos últimos anos, a verdade é que Baiano é apenas mais um dos jogadores bracarenses que não evidenciou o nível de outros tempos. Muito fraco, fez-me lembrar em alguns momentos o Gary Charles e olhem que isso não é nada fácil…Ainda foi uma ou outra vez suplente do Tomás Dabó e isto diz muito. 

Celestino (Olhanense) – Ultrapassado na recta final por Romeu Rocha, Celestino formou com Lucas Souza a dupla “par de jarras” do campeonato. Num clube em pantanas era complicado fazer melhor, não se provando alguma da qualidade que tinha demonstrado nos anos do Estrela da Amadora.

Simy (Gil Vicente) – Este gajo é tão mau, tão mau, tão mau, que após fazer 3 ou 4 jogos mudou de Simy para Nwankwo na camisola, para ver se ninguém reparava… Enfim. A primeira amostra da qualidade deste cabo de lança foi logo na primeira jornada, onde de baliza aberta conseguiu falhar. E o Fiúza que recusou uma proposta milionária no início da época?! Tão inteligente que foi o Fiúza, como ele próprio diz: “Para meio entendedor, uma só palavra basta”. Já não bastava uma defesa de papel, juntando um jogador destes são normais os 5 meses sem ganhar jogos…
P.S. -> Se não sabes o significado de cabo de lança não andas a prestar a devida atenção ao blog pá!

Edinho (Braga) – Meus amigos, eu afirmo aqui com 100% de certeza: o Edinho só não está no 11 porque foi vendido para a Turquia! E enganou tão bem os turcos que eles foram ao cúmulo de accionar a cláusula e ficar com ele! O Edinho foi, a par do Lima, a figura de proa na primeira fase da época, tamanhos foram os falhanços à frente da baliza. Nunca conseguiu fazer esquecer o Éder nem conseguiria fazer esquecer qualquer ponta de lança a sério.

Seleccionadores

Sim, no plural. Porque esta é uma selecção que merece ter 4 seleccionadores, estilo Portugal no Euro 84 (Fernando Cabrita, Toni, António Morais, José Augusto). E os nomeados são:


Costinha (Paços de Ferreira) – O Costinha desceu o Beira-Mar na época anterior. Qual o prémio? Ir para o Paços jogar um playoff de acesso à Champions! Provou, até à data, não ter qualquer perfil para ser um treinador de Primeira Divisão. Talvez tenha beneficiado de boa imprensa, por ser convidado de um programa televisivo, até ser convidado pelo Beira-Mar… O que é certo é que construiu mal o plantel do Paços, a equipa mostrou pouco futebol e o prémio acabou por chegar com a chicotada psicológica.

João de Deus (Gil Vicente) – Alguns irão pensar: como é que eu me atrevo a meter o Special God neste lote? Mas a verdade é que Deus não correspondeu às expectativas criadas em torno da equipa naquele bom arranque de campeonato. Se havia algum bom futebol, esse foi desaparecendo até ao fim do campeonato, onde a equipa apenas se safou porque os que estavam atrás não atinaram. Veremos o que será capaz de dar à equipa na próxima temporada.

Jesualdo Ferreira (Braga) – Não dá para perceber a época do Braga, com um plantel experiente e recheado de internacionais portugueses, todos eles tão bons. Após uma vitória tranquila na Roménia, frente ao Pandurii, os bracarenses deixaram-se surpreender em casa e talvez tenha sido esse um dos factores para o estado anímico da equipa não ter sido o melhor durante a época. Para um treinador com a experiência de Jesualdo, o desempenho da sua equipa foi pouco mais do que medíocre.


Paulo Alves (Olhanense) – Escolhido como sucessor de Abel Xavier e após épocas de relativo sucesso em Barcelos, Paulo Alves foi o escolhido para guiar os galácticos de Olhão rumo à permanência. Não só isso não se verificou, como Paulo Alves nem chegou ao fim do campeonato, nunca conseguindo impôr o seu estilo de jogo. Se calhar não conseguiu lidar com egos e super-egos no balneário. Não é fácil ter galácticos como Ricardo, Kroldrup, Seric…

12 comentários:

  1. O Lima para mim o ano passado foi, juntamente com o Artur, o Carlos Martins e o Jesus o grande responsável por o Benfica não ter ganho ao Estoril.
    Lima a falhar golos, Artur a deixar aquela bola ridícula entrar, Carlos Martins armado em Tarzan Taborda e o Jesus a poupar o Cardozo.
    A partir de Janeiro limpou um pouco a imagem mas em Turim teve 3 oportunidades para trazer a taça para casa...
    Benfiquista sofre!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nesse jogo a equipa estava toda rebentada por causa do jogo com o Fenerbahce... Enfim... Nem é bom lembrar! O que é certo é que o Lima na 2ª metade da época acabou por se revelar fundamental na conquista dos títulos. Aqui no blog temos um carinho muito grande pelo Lima, mas as exibições até Janeiro foram de levar o maior fã ao desespero!

      Eliminar
  2. Bujas,

    Onde anda o Degra???

    Abraço

    ResponderEliminar
  3. o Degra para mim é o pior guarda-redes da liga, acho que só se safou porque num terço do campeonato jogou o Filipe! Nós quisemos ser fiéis às nomeações semanais que fomos fazendo, de outra forma provavelmente o Degra era titular

    Abraço

    ResponderEliminar
  4. o berisha ja nao esta no brisbane?

    coitados...

    ResponderEliminar
  5. O granda degra,eu chamaria mais degredo.
    O matt jones para mim ate tem pontecial,nao pode é crescer nos pasteis de nata,um gajo quando enfarda muito daquilo faz mal.
    Veja-se o caso do miguel rosa,o rapaz anda sempre doente,la esta vao-se safando pq tem la um granda ponta de qualquercoisa o deyverson.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deyverson é cabo de lança, não é ponta de lança. Cabo de lança é quando o treinador vira a lança ao contrário para malhar com ela nas costas do avançado!

      Eliminar
  6. É sempre uma tactica aceitavel cabo no lombo hehehehehehehe

    ResponderEliminar
  7. Grande AVB,
    não tendo toda a cultura futebolistica permite-me discordar de uns pontos:
    - matt jones: diziam que o jovem ia ser o novo titular e ia enveredar por uma carreira profissional nas terras da majestade, o gajo piorou assim tanto ou foi o Luis Freitas Lobo que disse isto?
    - o degra a titular em 21 jogos como nao é convocado?
    - pecks tinha que ser titularissimo!! impossível
    - sergio oliveira desde chegada de jorge costa assentou, diz que o homem é jogador.. já o luan, carlos eduardo, josué..
    - o grandioso licá mesmo com meia duzia de jogos merecia a convocação, está para esta seleção como o nani para o brasil, merece nem que seja pela qualidade inerente e cultura tática!!
    - pontas de lança discordo totalmente! montero faz inicio de epoca mt bom, lima faz um final fantastico.. dionisi tem só 40% golos do olhão. mazou, hassan!!! o grande hassan!! e Avto!

    ao nível de treinadores o gajo que lá estava antes do couceiro também percebia muito da poda!

    Grande trabalho AVB, mas senti-me no dever de apontar estas injustiças perante a não chamada à selecção de todos nós!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mestre Allbano!
      Antes de mais tenho que concordar com e sublinhar grande parte do que disseste. O Degra para nós é o pior guarda-redes do campeonato. O Pecks é muito mau mas pior que o Reiner ou o Márcio Rozário? Aqui discordamos. O Sérgio Oliveira de facto está melhor e cresceu bastante ao longo da época. O Luan é um pesadelo com pés, um autêntico zombie do meio-campo. O Carlos Eduardo e o Josué não são cepos completos, principalmente o brasileiro que provavelmente pode ainda vir a ser importante no Porto. Ao Josué... Lol. É o que tenho a dizer sobre o Josué. Lol. O Licá tem uma exposição diferente da que muitos cepos têm. Por exemplo, assim de cabeça, jogadores como o Nii Plange, o Femi Balogun e até o próprio Diogo Valente que deve ter feito a pior época desde que é senior. Pontas de lança claramente o Montero e o Lima não merecem estar no pior 11 da época. O Simy, o Hassan (tremenda desilusão), o Kone (Olhanense),etc foram muito piores.

      Nós neste post quisemos contabilizar os barrotes que fomos nomeando ao longo do ano, fazendo um post a recordá-los. Queremos tratar estes jogadores com carinho para nos recordarmos daqui a muitos anos!

      Uma última nota para o Matt Jones e para o Avto. O inglês, para mim, não é um mau guarda-redes mas dificilmente chegará à Premier League. Quanto ao georgiano, para mim foi uma das boas surpresas do campeonato e em particular do Gil. Bom na condução de bola, rápido, bom drible e razoável remate. É bom jogador para o nível do Gil mas pareceu-me um bocado perdido ainda no 1º ano em Portugal. Dá-lhe tempo que vais ver que se vai impor.

      Eliminar
    2. Grande Bujas,
      Grande Trabalho aqui no blogue! Análises descontraídas e que permitem ter boa perspetiva sobre o futebol. Espero que pela a altura do Mundial faças o esforço, que por aqui vamos estar a trabalhar e ter uma abordagem à AVB é um luxo!! Um dia destes ainda tiras o lugar ao Luis Freitas Lobo.

      Concordo com o que dizes sobre o reiner e marcio rozario, não queria descredibilizar o vosso trabalho que semana após semana lutaram e contribuiram para o despedimento do Marcio Rozario!!

      Já agora o que aconteceu à promessa Caetano? Sempre achei que o miudo tinha potencial e pensei que efetivamente a saída da capital do móvel lhe fizesse bem, no entanto numa equipa fraca como o gil não conseguiu acrescentar nada..

      Eliminar
    3. Obrigado, pá! Esconde a nota que te meti no bolso!

      O Mundial vai ser transmitido pelo bujas!

      O Caetano nunca foi aposta regular no Paços. No Gil Vicente conseguiu conquistar a titularidade, depois acho que se lesionou e no final da época apareceu mais vezes o Diogo Viana ao lado do Avto e do Hugo Vieira. O Caetano, posso estar a dizer um disparate imenso, mas foi um jogador que nunca foi muito bem trabalhado fisicamente. O puto é franzino mas não aguenta a mínima carga. Hoje em dia, com o trabalho físico correcto, gajos com esta fisionomia já aguentam bem. Outro defeito nele é que normalmente é muito previsivel e um gajo naquela posição tem que mostrar criatividade, se bem que a movimentação das equipas em que ele esteve não ajuda muito. Acho o Caetano muito parecido a outro puto que mostrava um talento enorme, o Ruben Brigido. A carreira do Ruben Brigido está estagnada aos 22 anos de idade, vamos ver o que acontece com a do Caetano...

      Eliminar