segunda-feira, 17 de março de 2014

23ª Jornada 2013/14

Sporting 1-0 Porto
Um ponto no Restelo foi tudo o que o Porto conseguiu levar de Lisboa no campeonato 2013/14. O Sporting, depois de ontem, dá o passo que precisava de dar para regressar ao trilho que leva às grandes decisões, aos grandes jogos e ao desafogo financeiro. É feita pressão no Benfica e teremos campeonato para lá do que muitos esperavam. É feita uma afirmação de mudança em Alvalade pela mão de Bruno de Carvalho. Um clube há bem pouco tempo submisso ao Porto, hoje em dia recebe os rivais do norte com fortes rugidos e garras afiadas. O Sporting voltou a ser respeitado ontem à noite. O Porto agrava a sua crise. Luís Castro, depois de duas boas vitórias, não consegue segurar a equipa no verdadeiro teste e muito provavelmente ditou a sua sentença para o futuro: não passará de interino. Conseguirão ainda recuperar entrada directa na Champions ou estará o Sporting demasiado forte? Incógnita. Mudança de agulhas para as taças? Parece-me que sim. A época poderá ainda ser positiva? Parece-me que sim. Irá o Porto demonstrar saúde e investir forte na próxima época? Incógnita.

Perdoem-me o monólogo e vamos ao jogo. 

Perdoem-me os meus amigos portistas mas eu tenho que iniciar o comentário ao jogo com a seguinte frase: O QUARESMA É UM ATRASADO MENTAL.Tal como as crianças da FENACERCI, que vivem felizes com o seu panamá na cabeça enquanto se babam e fazem pirilampos mágicos, também este atrasado mental chamado Quaresma às vezes faz pirilampos mágicos com os pés. Que o diga o Cedric que por esta hora ainda deve andar à procura das luzinhas no escuro, depois das magias que levou do Quaresma. Mas como é que um atrasado mental destes consegue ir do génio ao trissómico em segundos? É que o Quaresma é um Mustang que toda a vida acelerou sem nunca chegar à meta, aterrando sempre ou em cima duma velhinha na passadeira ou em cima duma parede de tijolos. Os portistas devem sentir-se revoltados sempre que o Mustang acelera com a bolinha colada ao pé, com a equipa toda em movimento de progressão, para depois o trissómico parar e começar a tentar fintar 4 gajos enquanto os colegas ficam estáticos, perplexos com tanta burrice, à espera que o parvinho perca a bola.

A 1ª parte deste jogo mostrou Quaresma - o génio e o trissómico - e mostrou Jackson, o tiro-liro-liro. Foi tanto tiro-liro-liro que o Sporting nem apareceu na 1ª parte para jogar à bola. Nem precisou de aparecer. Sabem porquê? Porque na frente do Porto estava o tiro-liro-liro e no meio-campo estava o tiro-liro-ló: Defour na esquina com o Carlos Eduardo, a tocar a concertina e a dançar o solidó. O Porto muito raramente conseguiu sair com bola no pé, por demérito próprio e por mérito do jogador de futebol William Carvalho. Este é mesmo jogador de futebol. Uma maravilha. 

Na 2ª parte o Sporting entrou logo de lança na mão à procura do dragão. André Martins faz um cruzamento de peso, apareceu a tonta Abdoulaye e o Slimani deu a medida para a vitória. Espectacular o Abdoulaye neste lance. Sabem quando se deita spray para cima de formigas e elas ficam todas malucas a andar à roda como quem diz "já fomos!". Quem é que foi o engraçadinho que deitou spray anti-insectos para cima da defesa do Porto? Vá, acusem-se. Jogo sujo em alvalade! Tudo para tribunal! 
A partir do 1-0 gostava de vos falar num menino que jogou do lado do Sporting. Eric Dier. Gozado até mais não pelas malandrices que Enzo Perez lhe fez na Luz, ontem redimiu-se em grande perante os seus adeptos. Foi ele um dos principais pilares da vitória, principalmente pela 2ª parte que fez. O Porto não tinha ideias e as poucas que tinha saíam dos pés de Quintero. Sinceramente, vendo o que o Quaresma joga, não percebo como Quintero não é titular. As boas coisas que a equipa fez partiam dos pés de Quintero que praticamente nunca conseguiu dar vazão à sua imaginação porque a equipa do Porto estava toda atarantada com o Raid "mata moscas, melgas e mosquitos". O Sporting também não estava muito melhor e a motivação trouxe mais raça, mais entrega aos lances, mas menos discernimento para dar a estocada final no jogo. Foi uma vitória completamente justa mas que talvez merecesse outros números, tal era o desnorte da equipa do norte. 

Uma última palavra para Helton Pagode... Não posso dizer o resto por direitos reservados ao Cota do Bigode. Tenho pena que este enorme jogador se tenha lesionado. Bonito gesto dos adeptos do Sporting a aplaudirem no momento em que Helton se retirava - talvez para sempre - dos relvados. Esperamos que regresses bem, Helton. Força. Caso não dê, junta-te ao Neno e faz uma banda.

Nacional 2-4 Benfica - Diz o provérbio que o bom princípio, às vezes, é mau fim. A sabedoria popular é uma coisa muito bonita e as hostes benfiquistas têm hoje bem presente que não se atiram foguetes antes da festa. Não se esperou a equipa no aeroporto, não houve pulinhos no centro do relvado, nada de nada. E bem. Sete jogos são uma distância ainda considerável até à meta. O bom princípio do Nacional acabou por, com uma pitada de sorte à mistura, ser um bom final para o Benfica. O momento chave é um azar para Manuel Machado: a lesão de Ali Ghazal. A diferença saltou à vista desarmada e Rafa Sousa foi a cancela aberta, durante a primeira parte, para a vitória Benfiquista. Mas ao factor sorte juntou-se o factor futebol e o factor cérebro. O Benfica, depois do golo sofrido, fez aquilo que eu escrevi no último tutorial (o sobre arbitragens) e, depois de mastigar o peixe com as batatas cozidas, teve direito à sobremesa. Este Benfica lúcido e concentrado tem também algo de precioso para os amantes deste desporto. O Benfica tem jogadores que transpiram o suor dos génios. Gaitán faz com uma bola no pé o que eu faço com uma raquete de ping pong na praia... Das que têm o cordelinho atatado entre a bola e a raquete. Markovic tem nos gémeos a força de exércitos eslavos. Rodrigo tem no seu pontapé uma tourada espanhola, de morte, mas sem touros nem toureiros, só com samba e carnaval. Enzo Pérez é uma metáfora falhada, uma analogia impossível, uma comparação? Não. Enzo Pérez é sinestesias de futebol. E Garay? Garay para mim é um Ent do Senhor dos Anéis. Um ser gigante em forma de árvore, sábio e abrigo para águias. E o Siqueira? O Siqueira dava um bom actor para os Morangos com Açúcar, pelo menos a ver pelo talento a simular penaltis. Quem sabe poderia até chegar aos Malucos do Riso e contracenar com o gigante Guilherme Leite!
Quatro golos muito bonitos do Benfica. São Pedro é do Benfica. O Benfica rematava e o vento goleava. Bom jogo de futebol. Parabéns às equipas.

Académica 1-1 Braga - Ainda tenho alguns adjectivos para vos falar no melhor médio do campeonato: Fernando Alexandre. O Fernando Alexandre é sexy. O Fernando Alexandre é como um pastor alemão, passa manteiga no Ruben Micael e come com pão. O Fernando Alexandre é tão bom, tão bom, tão bom, que o Braga teve que meter um gajo chamado Piqueti para ver se lhe provocavam um acidente de viação. O Fernando Alexandre é como uma flor em Braga: chega a primavera e começa logo a provocar alergias aos locais. Enfim, que dizer deste jogo para além de vos falar em Fernando Alexandre? O Braga não jogou nada. Nadinha. Fez um golo ao calhas por um jogador que joga ao calhas... Mas pronto, foi golão. A partir daí só deu Académica. Fernando Alexandre e Halliche limparam tudo... Diogo Valente merecia mais numa buja que atirou ao poste. Poderia ter sido um dos golaços do campeonato. 

Gil Vicente 1-2 Rio Ave - Jogo entre duas equipas tranquilas, mas quem viu o jogo confirma que pouco faltou para se largarem à porrada. O Gil Vicente já não tem o zombie Luan e já não são o Walking Dead de Barcelos. Encontraram a cura para o vírus através de Keita, mestre do voodoo e através de 3 pulgas atómicas que jogam na frente: Vieira, Avto e Caetano - três jovens cromos, recortados a técnica e que dá gosto ver jogar. O momento do jogo, no entanto, foi um golaço do Ruben Ribeiro, menino que o Rio Ave recrutou ao Paços de Ferreira e que - a meu ver - é um crime jogar no lugar do Diego Lopes. Neste jogou marcou o golo e desapareceu. Se calhar foi o Keita que o meteu no bolso e nunca mais se viu...

Estoril 1-0 Marítimo - Vejam este golo. Vejam outra vez este golo. Vejam mais vezes ainda este golo. Que maravilha. Tenho pena que no resumo não mostrem tudo o que precedeu o golo. A equipa do Estoril trocava a bola em amena cavaqueira, pé para pé, tratanto e acariciando bem a bola até que a bola aterra nos pés de Gonçalo Santos. Este levanta a cabeça, vê 20 jogadores à sua frente e descobre um movimento de JP Galvão. Pé por debaixo da bola e aí vai ela, pelo ar, sobrevoando dezenas de cabeças até aterrar nos pés do brasileiro Galvão, que isolado à frente do guarda-redes a domina e lhe dá mais uma palmadinha por debaixo, gentilmente, até que a dita cuja se aninha no fundo da baliza, num chapéu bonito, tão bonito, ao Salin. Só podia ter acabado assim. O Estoril reinventou-se neste jogo, reinventou-se no campeonato e dá gosto ver tanta invenção, tanta imaginação e tanta boa disposição nesta equipa que ainda por cima joga de amarelo. Amarelo é felicidade! Neste jogo houve um Estoril mandão antes da expulsão e um Estoril operário depois da expulsão. Neste campeonato quando se perderam opções de ataque (Leal e Sebá) ergueram-se pilares na defesa (Yohan, Gomes, Mano em boa forma), ao lado do obelisco Gonçalo Santos. Mas e o Marítimo? Quase nem apetece falar neste jogo e passar logo ao próximo. Sem Gegé esta equipa treme por todos os lados e sofre com os horrores de Bauer e Luís Olim. O ataque? Zero. A Europa ainda está perto, vamos ver como evolui esta equipa. Campeonato com demasiados altos e baixos para um lugar europeu.

Vitória de Guimarães 1-2 Paços de Ferreira - O Rui Vitória já deve ter percebido que esta equipa sem o Tomané (!!! saudades) e o Barrientos é uma equipa banal. O quoficiente de inteligência deste ataque permite ao Vitória construir legos - que tenham na embalagem idade compreendida entre os 3 e os 8 anos de idade -, mas nunca na vida marcar golos. O Jorge Costa percebeu a mudança táctica evidente nas últimas jornadas e não foi de modas: vamos lá espetar com um meio campo à Vitória e ver no que isto dá. No que deu? Melhor exibição da época de Sérgio Oliveira, jogão do Seri e Felipe Anunciação a assumir papel fundamental na coordenação defensiva. Os golos do Paços de Ferreira foram obras de arte. O primeiro, um passe espectacular do Seri, a dar lugar a um remate fulminante do Bebé e o segundo é um pontapé nas fuças do autor do blog Ai Vale Bujas, que passou a época toda a gozar com o Sérgio Oliveira e que agora tem que gramar com isto. Sérgio Oliveira, verdade seja dita, pode muito bem ter dado a permanência ao Paços com esta buja astronómica. Parabéns, de qualquer forma, pelo futebol que joga o Paços não mereciam nunca descer de divisão. O oráculo Ai Vale Bujas já o tinha escrito. Raramente nos enganamos!

Belenenses 1-3 Vitória de Setúbal - Divórcio consumado entre adeptos do Belenenses e equipa técnica. Marco Paulo ficou em Belém para tentar não estragar o trabalho de Mitchel mas, apesar das premissas serem as mesmas, o executante é diferente. Pedir ao Marco Paulo para fazer o mesmo que o Mitchel é como pedir ao Krpan para fazer o mesmo que o Jardel. O Marco Paulo tinha logo que começar por mostrar ao João Afonso que uma bola de futebol não é uma ave que se deve admirar quando ela passa por cima de nós, uma bola de futebol - quando somos centrais -, serve para cortar e não admirar, principalmente quando o gajo que vai na direcção dela se chama Rafael Martins, o mete-fogo paulista. O Belenenses mostrou muito pouco e sai daqui com uma derrota justa. Exigia-se um mínimo de entrega e motivação para um jogo importantíssimo, em casa, anterior a uma deslocação ao dragão. O João Mário foi imperial, mais uma vez, no Vitória, e manietou como quis os movimentos do meio campo azul. A Europa ainda é possível.

Arouca 2-0 Olhanense - Tenho mesmo pena que o Olhanense tenha dado tantos tiros nos pés ultimamente. Este jogo foi o canto do cisne e só se todos os santinhos começarem a cantar pelo Olhanense é que a sentença final será outra. O Galderisi optou por jogar com o Samperisi e o Luis Filipe no lado direito, sem ponta de lança de raiz até aos 80' minutos, altura em que lança o portento Tozé Marreco. Curiosamente, o único lance de perigo de toda a partida, na baliza do Cássio, foi protagonizado por este mesmo portento, mesmo em cima do minuto 90, já que em todo o resto do encontro mais valia o Cássio ter ido para a esplanada mamar minis. O Arouca, através do Ceballos e do André Claro, moeu e voltou a moer a defesa de Olhão que foi safa várias vezes pelo Belec (sem dúvida um dos melhores guarda-redes da liga). O resultado é completamente justo e o Arouca continua a mostrar que merece a permanência. 



7 comentários:

  1. Boas AVB,

    Injustiça! esta jornada apelida-se de Jornada Injustiça, e tu ainda ajudas à festa com a analise ao classico! Ora repara, nem vou falar da Academica que já vai merecendo outro lugar na tabela ou do Estoril que nao tarda esta a morder os calcanhares ao FCP e ao consequente terceiro lugar (futebol tem mostrado para isso) ah e o Belem que parece nao estar a aguentar a pressao e irá para a segunda liga. Portanto, injustiça! Agora, o classico, não fala mal do Abdu, epah naquele lance (a meu ver) o Danilo é que parece que apanhou boleia dum caramujo para chegar ao lance, é que quando chega ao segundo poste o Sulemani já está na linha de fundo a festejar o golo milionario como se uma primavera arabe se trata-se. Reconheço que o Abdu poderia ter tido outro movimento mas mesmo assim...e a lesao do Helton a queimar uma substituiçao? E agora vais ver a injustiça que isso foi, nem foi pela lesao em si mas pelas consequencias dela, Luis Castro na flash "A substituição era necessária para alteraçoes que pretendiamos". Portanto, já viste certo? É uma tremenda injustiça tirar a oportunidade de colocar o Josué em campo!!!

    Cumps ;)

    PS: coloquei um comment tardio ao teu post da Oiropa League

    Boas AVB,
    epa preciso de um barometro para a atitude do JJ. Sorry o quase off-topic mas tive fora. Mais a serio, o que achas? é falta de classe? isso importa? Como benfiquista mas mais importante talvez como amante de futebol, porque se calhar, são peaners no final...

    PS: Jesus is like school in July...no class

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boas João!

      O Danilo está bem posicionado porque tem que proteger uma entrada ao 2º poste do Capel. O Alex Sandro acompanhou o movimento do Mané que recuou para dar linha de passe ao William. O Fernando é que não percebeu o movimento do André Martins e ficou nas covas. De qualquer forma, o Abdoulaye aproximar-se do primeiro poste no momento em que o André Martins ia fazer o cruzamento não faz o mínimo nexo. Deixar o Slimani isolado para cabecear é surreal. Tem que encostar nele e perturbar a acção no mínimo. Nunca ficar ali feito barata tonta. Só se o André Martins passasse pelo Mangala é que o Abdoulaye tinha que sair na direcção dele. Para tirar ângulo a possível assistência para o Slimani e tentar atrapalhar uma possível finalização. Tendo em conta que o André Martins nem tentou cortar para dentro não faz o mínimo sentido o movimento do Abdoulaye na direcção do 1º poste.

      Bem observado essa do Josué mas olha que esse rapaz nem sequer no banco estava. Foi riscado da guest-list da discoteca!

      PS: respondi-te ao comment lá no post da oiropa!

      Eliminar
  2. Rendo-me à sabedoria de quem sabe do que fala;)

    Apenas...percebo a dificuldade do lance para o central. Eu também ficaria talvez no nao-sei-se-vá-se-fique-se-vá, mas lá está nao sou profissional de futebol.
    Mais a serio, não sei o que LC pretendia com mais uma substuição, Herrera talvez? É que olha-se para o banco e é impressionante o quao pequeno é o plantel! Ontem o FCP precisava de alguem que decidisse bem, bola no chao, é que se era po chuveirinho mais valia o Guilas ter entrado ao intervalo. O desespero do Jackson quase que faz chorar as pedras da calçada, raramente a bola vem corrida pos seus pés. E nem falar do Harry Potter...é mau demais. O FCP arranjou ali um cancro de todo o tamanho. Mas no final achas-te justa a vitoria? caramba ao intervalo (corrige-me) o SCP nao tinha um unico remate à baliza!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, concordo contigo, o plantel do Porto é mesmo muito curto e o Quaresma é o que está à vista de todos.

      Acho a vitória justa, sinceramente, principalmente pela 2ª parte que mostrou um Porto completamente à deriva e um Sporting concentrado e a saber o que fazia. Só não marcaram mais golos ao Porto porque não tiveram cabeça fria para isso. Claro que pelo que jogaram na 1ª parte, se calhar justificava-se vantagem do Porto ao intervalo mas o quadro do jogo não aponta para empate e muito menos para vitória do Porto. Acho que se justifica o 1-0 no final das contas.

      Eliminar
  3. Boas Bujas,

    Ganda vitória! Não gostei da forma como foi conseguida, diga-se. LJ já o disse e espero que o Presidente diga algo, há que ser coerente. Mostramos muito mais equipa ao contrário do Porto que se apoiou menino d'oiro (no fundo só os jogadores do sporting é que jogaram à bola, aquela assistência do quaresma para o varela é à ... sporting!)

    Começo pelo harry. Se o gajo souber de alguma macumba, um ritual qqr que faça com que as qualidades técnicas para o futebol passem dele para mim, se me fizer isso hoje, ainda vou a tempo de lutar por uma bola de ouro. O gajo tem uma doença que não lhe permite perceber qual é o objectivo do jogo e o qq tem que fazer em campo, mais vale dar-me isso para eu aproveitar!

    William; tenho um amigo belga que conheci em erasmus. adepto do Cercle, no verão passado ele disse-me que tava triste porque o william se ia embora para o sporting, dizia que era ganda jogador. eu, ria-me, como é que era possivel? perdido no fatima e depois no cercle, campeonato belga numa equipa a lutar pelo 10 lugar? yaya. Hoje, cada vez que me lembro disso, digo fodasse e parto-me a rir, a gozar com o meu eu do passado.

    Adrien; Olha outro. O ano passado deu tantas para a caixa uii, não ia bazar? bora fora com ele. E agora? Não sei o que aconteceu ali, porque é o mesmo jogador mas a um nível completamente diferente. Eu agora digo, não está na selecção porque?

    Porto; Acho que vai haver uma mini revolução na próxima época. Aquilo já não é uma equipa, notou-se no jogo, apesar das oportunidades o Sporting chegava com alguma facilidade ao ultimo terço mas falhando no ultimo passe dai os poucos remates e na 2parte, quando tomamos conta do jogo, ficaram ao papel.

    ps: Joao Mário, a dar cartas no Setubal, a peça que faltava? Promete, estou cá para ver a pré-epoca 2014/2015

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. boas, Luis! Realmente o Quaresma é isso mesmo que escrevemos em jeito de brincadeira. Tem uns pés maravilhosos mas não conseguiu nunca na carreira comprovar o potencial porque o potencial só se comprova tendo cérebro.
      O William Carvalho é uma bela surpresa e é um belo trabalho do Leonardo Jardim. O Adrien é um grande jogador, nunca enganou. O André Martins pode também aparecer em grande para o ano, desde que os adeptos não se apressem a queimá-lo. Para o ano, juntas aí João Mário e só tens que te preocupar com a defesa que precisa de obras.

      Atenção que o Porto, quando menos se espera, reage... Não lhes façam já o funeral porque o 2º lugar não está garantido. O mesmo se aplica ao Benfica que ainda vai ter muitos minutos no Dragão. Imagina que ontem na 1ª parte tinha entrado algum golo na baliza do Sporting... Hoje a conversa se calhar seria diferente...

      Eliminar
    2. O Sporting ainda joga duas vezes na Madeira e com o Estoril em casa. Ainda é preciso cautela! Defesa-esquerdo é prioritário, Dier se continuar assim ainda agarra o lugar e gosto do Rojo apesar da agressividade. Cedric é bom mas passa mal com gajos tipo Quaresma, mas com William não há problema. O Porto ainda luta por duas taças e a liga europa, ainda pode ir muito longe!

      Outra coisa que esqueci de falar: Fernando e William no meio campo, com Moutinho. Eu gosto, a capacidade de construir jogo do William tá a melhorar e o Fernando fica a varrer cá atrás. Podem nem jogar os dois juntos, mas ter os dois é melhor do que ter só um.

      Eliminar