quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Conta aquela, avôzinho! Nº3

O CASO "PAULA"



1995. Apuramento para o Euro 1996 em curso. Selecção Portuguesa recebe a Irlanda e pernoita no Hotel Atlantic Garden. Vitor Baía e Secretário matavam saudades do seu amigo Fernando Couto que entretanto partira para o Parma. E qual é a melhor forma de matar saudades e recordar os tempos de FC Porto? Organiza-se um bacanal com brasileiras! Contaram ainda com a ajuda de Neno que supostamente fez o pedido para um quarto extra ao dono do hotel. Joaquim Teixeira, adjunto de António Oliveira na selecção, treinador que depois acompanhara António Oliveira aquando da sua ida para as Antas, tratou de recrutar umas quantas profissionais do sexo para satisfazer as necessidades dos jogadores e de exercer pressão no dono do Hotel para que tudo fosse disponibilizado.

- Teixeira, apetecia-nos tomar algo. 
- Paramos para os meninos comerem alguma coisa?
- Não, pá, nós queríamos era algo bom 
- Compreendo, meninos
- Apetecia-nos Ferrero Rocher
- Qual quê. O que vocês querem é uma quantidade valente de ganza e umas 3 ou 4 brasileiras para passar a noite ou como diz o meu grande amigo Oliveira "fruta para dormir"

António Oliveira e Joaquim Teixeira estavam de malinhas feitas para o Porto. A FPF era um pouco como é hoje: uma montra para os jogadores do Porto conseguirem colocação. Era normal, tal como o é hoje com Josué ou Licá, jogadores que nem titulares eram nos seus clubes passearem na selecção enquanto amealhavam internacionalizações. Folha é um dos exemplos, jogador que nunca se assumiu como titular no Porto e que amealhou 20 e tal internacionalizações por Portugal. O que conseguiu com isso? Transferência para o Standard Liege, claro está, pela mão do amigão Luciano D'Onofrio. Mas o mais brutal golpe de génio de Pinto da Costa foi feito com a transferência de Secretário para o Real Madrid, pela mão do também ele genial (e já mencionado na rúbrica do avôzinho) Manuel Barbosa. Se acham que o Paulo Ferreira foi bem vendido para o Chelsea, lembrem-se só da assistência do Secretário para o Acosta...

Mas a noite avança e os quartos ficam disponíveis. Paula e as amigas chegam. A ganza e o álcool também! Começa o regabofe

- Passa aí o cacete ó Nando
- Qual deles Bítor?
- O que tens na mão olha
- A pilinha do Carlinhos?
- Não, pá, a guanza! Passa aí a guanza!

Fumou-se e bebeu-se tanto que Fernando Couto começou a ver o Mozer em vez de ver a Paula. Secretário nem conseguia levantar o júnior. Baía e Neno apanhavam as bolas um do outro enquanto tentavam marcar golos na baliza do Corinthians. 

Resultado disto tudo? Meninas no hospital e... Na SIC, passados uns aninhos



Donos da Bola em 1997. O já falecido Pôncio Monteiro assistia indignado a mais uma cabala que envolvia jogadores e staff ligados ao seu clube do coração. Isto era tudo obra dos de Lisboa, mais uma vez, que montaram um esquema para incriminar o querido Secretário que tão bom dinheiro havia rendido. Em chamas, Pôncio Monteiro dispara na direcção do benfiquista Gaspar Ramos. 
Enquanto isso ficamos a saber que o veloz lateral Secretário na cama era flácido. O forrobodó está montado e a reportagem da SIC é uma autêntica bomba no mundo do desporto nacional.

António Oliveira foi parar ao hospital com um problema cardíaco decorrente da visualização da reportagem.

Assistimos pela primeira vez na História do Homem a uma tentativa de homicídio por meios audiovisuais, quase concretizada
José Carlos Esteves (médico, FCP)

Joaquim Teixeira (ou Ambrósio do futebol como eu lhe gosto de chamar) vê a sua pouco promissora carreira de treinador enterrar-se nos escalões inferiores. Mas atenção, este senhor acabou a carreira no Pandurii que este ano ficámos a conhecer bem! Não é para todos
Secretário nunca teve sucesso em Espanha. Resta saber se foi pelo pé de barrote ou se foi pelo Caso Paula. Ganhou também um coro de assobios sempre que calçava a titular por esse Portugal fora
Neno virou cantor mas continuou sempre ligado ao futebol.
Fernando Couto e Vitor Baía prosseguiram as suas carreiras na boa.

Fiquem com este maravilhoso sketch do génio Herman José -> LINK

Moral da história: ganhámos à Irlanda.



12 comentários:

  1. Foi o primeiro jogo da Selecção que fui ver, há praticamente 20 anos. Recordo com saudade. Foi épico. Apanhámos uma molha daquelas antigas, mas festejámos o apuramento. Naquele tempo, e apesar destas confusões, a malta até gostava da Selecção. Foi coisa até 2004/2006.
    Fui o primeiro gajo do MUNDO a festejar o golo do Rui Costa. Tenho testemunhas. Bujas, tou-Le a dizer. Quando a bola ia a meio caminho, saltei a festejar. Eram muito anos acumulados a ver trajectórias de bolas.
    É por isso que quando digo que sou o maior, estou apenas a omitir que sou o melhor do mundo.

    Caso Paula <3, grandes recordações. Faltou falares do Nuno Luz, a levar com sacos de água (?) na tromba, atirados pelos jogadores. O Figo perdeu o anel de noivado ou casado ou o caralho.

    Carrega Oliveira.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eix man conta lá essa do Nuno Luz. Não me lembro disso!

      Eliminar
    2. Se mais alguém souber de cenas tipo o que o POC contou do Nuno Lulz please comentem! Adoro fofocas

      Eliminar
  2. Eu lembro-me dessa merda do Nuno Luz, o gajo estava a fazer um directo para os donos da bola em frente ao hotel da selecção e começou a levar com sacos do lixo na tromba, tudo isto em directo. LOL
    E segundo consta o pesetero figo perdeu mesmo o anel no meio dos sacos que andava a mandar para o nuninho luz.
    O futebol portugues nos anos 90 era uma coisa digna de um filme de carpenter misturado com david lynch e com toques de copolla.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. é pá... Lindo... Sem palavras. Já me fartei de procurar no youtolas video dessa merda e nada. Mas há pessoal a dizer noutros blogs que o gajo levou com um saco de mijo! Isto é tudo muito bem feita pelo facto do Nuno Lulz me ter banido do twitter. Gozei com ele por ele dar erros ortográficos, vê só o desplante do menino!

      Eliminar
  3. Essa do Nuno Luz foi épica! O gajo tinha ido fazer um directo para os Donos da Bola (naquela altura esse programa dava às sextas-feiras à noite) e começou a ser bombardeado com sacos de mijo, atirados pelos próprios jogadores. Lembro-me do camera filmar as janelas do Hotel e veem-se alguns jogadores (lembro-me do João Pinto) a rirem-se que nem uns perdidos com a situação. Já Nuno Luz prosseguiu a reportagem que nem um herói e com as calças encharcadas em mijo até aos joelhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. http://www.youtube.com/watch?v=-pSRPkPJ8no A PARTIR DOS 2 MINUTOS! Não era mijo, era água! Diz ele... Diz ele...

      Eliminar
    2. Pois, diz ele... Eu já não me lembro a partir de que altura é que se começou a falar de que seria mijo e não água, mas foi só passado algum tempo. Outra coisa linda foi a estrevista com a Paula, onde ela diz que "o Secretário estava possuído porque ainda não se tinha conseguido vir...". Priceless.

      Eliminar
  4. Grandes momentos do futebol Português. Lembro-me bem de ver o Nuno Luz em directo a levar com os sacos em cima. Sempre ouvi dizer que não era água. Não sei como este gajo ainda consegue ser repórter da SIC ao fim destes anos todos... Nem falar seguido consegue, parece que está sempre com falta de ar.
    A noitada da selecção ficou na história e o jogo também.

    ResponderEliminar
  5. Bujas, já valeu a minha lembrança :)

    ResponderEliminar
  6. Estou seriamente a pensar em imprimir estas rubricas e fazer uma colecção de recortes num dossier "Eu sei, que tudo isto são recordaçõeeeeeessssss..."
    Gracias AVB!
    PS: se me é permitido, seria possível recordar também as aventuras e desventuras da selecção pelos solos do mexico e macau?

    ResponderEliminar
  7. e ninguém se lembra da épica entrevista ao Presidente do Farense Fernando Barata nesse mesmo programa?
    esse é que foi um dos melhores momentos de sempre acerca do Sistema!!!
    "esta cicatriz que aqui tenho foi o presidente Pinto da Costa que ma deu", Fernando Barata
    ou agora não dá muito jeito lembrar isso?

    ResponderEliminar