terça-feira, 14 de janeiro de 2014

15ª Jornada 2013/14

Braga 3-0 Vitória de Guimarães - Sabotagem. Os ambrósios de Braga obrigaram o Vitória a enfardar uma quantidade animalesca de Ferrero Rocher com uma invenção medonha chamada "O Natal". Não se faz... Ainda os defesas do Vitória apresentavam foie gras em vez de fígado e marca-se um jogo desta capital importância. É uma lição. O Natal é mais forte do que o futebol à italiana do Rui Vitória! Os adeptos do Braga acreditaram muito e veio lá no sapatinho um ponta de lança romeno, de seu nome Rusescu, que juntamente com o menino Rafa destruiu a muralha vimaranense. Ficámos tristes porque é sinal que o Edinho provavelmente não calça mais esta época e fica mais difícil seleccioná-lo para a Copa no Brasil. Mas pronto, Edinho: foi bom, pá, apesar de tudo foi bom. O quarteto defensivo do Vitória só não vai todo corrido a pé de barrote porque houve meninos a pontificar noutras equipas.  A luta pela Europa está ao rubro!

Rio Ave 1-1 Marítimo - Não sei se o Rio Ave perdia este jogo se o Diego tivesse jogado. É que o Marítimo apresentou-se com um trio medonho no meio campo (coitado do Danilo ao pé daqueles dois) e foi completamente dominado em Vila do Conde. O sub-20 egípcio Hassan prometia muito no ano passado mas  neste jogo foi um autêntico zero, já para não falar do resto deste campeonato. Contra uma defesa do Marítimo que apesar de lutar muito, cérebro e talento tem pouco, o Rio Ave preferiu depositar toda a sua fé nas bujas e jogadas de Tarantini. O rapaz hoje voltou às boas exibições mas foi insuficiente. Não pensem é que a defesa do Rio Ave está muito melhor que o ataque. O centralão Marcelo (que fez parelha com o Sr Roderick) ainda tinha as filhozes a arramalhar no bucho quando o Héldon passou de bicla por ele para o 1-0. O empate caiu do Bauer aos trambolhões, com o alemão a fazer de farol para o navio de guerra Joeano repor um mínimo de justiça no marcador. Muito fraquinho. Muito fraquinho...

Estoril 0-0 Sporting - O Sporting recebeu no sapatinho, claramente, o Forte do Oeste da playmobil e, usando-o, o xerifão Patrício conseguiu manter os índios do Estoril longe do objectivo. O forte funciona. Ficam todos muito unidos lá dentro e das poucas vezes que o Estoril conseguia enviar um cavalo de tróia magricelas estilo Seba ou Evandro, surgiam os cowboys William, Marcelo ou Rojo. O problema é que para aniquilar por completo o cerco dos índios, o Sporting tinha que ter pólvora e balas de canhão, material esgotado há umas semanas para os lados de Alvalade. As munições que sobravam foram sabotadas pelo cabeludo Tiago Gomes (o Pantene revigorou este homem claramente) e pelo Gonçalo Santos que começa a ir para a estação ver os comboios passar para outras paragens... O Estoril criou mais perigo do que o Sporting sempre. A espaços, quando conseguia chegar ao último terço do terreno, o Estoril sabia o que fazer com a bola. Ainda se lembram do Luís Leal? Bruno Lopes é ponta de lança! Tem pezinhos e movimenta-se muito bem. O Sporting defendia bem estas investidas mas na frente uma falta de ideias gritante. Estoril em 4º lugar e Sporting em 2º lugar, parece-me um empate sem grandes consequências nos objectivos traçados para ambos.

Arouca 2-0 Belenenses - É lixado jogar nestas condições. Já toda a gente sabe que este estádio não tem água quente... Quando o relvado está todo ensopado a desculpa do "ah eu tomo banho em casa" não cola. Neste jogo de aflitos surge uma estrela! Lassad Nouioui ou, como eu lhe gosto de chamar, o Samaras de Arouca! É tunisino e vai continuar a tradição do nosso campeonato em acolher grandes talentos tunisinos - exemplo(s): Ziad, etc. Destacar também a barreira do Belenenses no 2-0 que me fez lembrar aquelas fitas que se penduram na meta, nas maratonas, para os corredores não chegarem ao fim.

Académica 4-2 Paços de Ferreira - Estou muito espantado. Vinha aqui dizer que deviam duplicar o preço dos bilhetes quando o Paços tem o Degra na baliza e depois vejo 5% de ocupação do estádio, mil e picos marmanjos a ver este partidaço (sendo 4, q-u-a-t-r-o, do Paços)... Enfim. Adiante. Grande espectáculo! Qual Premier League qual quê, pá! Isto só não deu over 10.5 goals porque alguns remates da Académica foram ao lado da baliza. O Paços confirma o que tenho vindo a dizer: boa envolvência (adoro este meu futebolês) no ataque e britcom na defesa. Gostava de saber os critérios do Calisto para a titularidade do Degra. Deve seleccionar o GR com base na cor dos boxers ou algo assim ao calha. Só resta dizer que estou muito triste com a Académica por não ter usado o Reiner Ferreira neste jogo. Rescidiram com o rapaz e nem deram uma última oportunidade aos fãs (eu) de se despedirem. 8 jogos fizeste, Reiner, 8 jogos para a eternidade. Obrigado por tudo!

Olhanense 2-1 Vitória de Setúbal - Regresso dos galácticos ao Estádio José Arcanjo! Consta que o Paulo Alves tinha medo que o duche não tivesse água quente e então ala que se faz tarde. Quem não tem medo destas mariquices é o Sr Galderisi, um astro do futebol italiano dos anos 80. Último clube? Mítica Salernitana (abraço, Marco Di Vaio!). Está portanto de volta aquele clube que anunciávamos no início da época e que apelidámos de galácticos de olhão. E que melhor forma de começar a partida do que com um golito do Tacuarita? Pois é, parece que mesmo não recebendo ordenados o Couceiro ainda vai buscar um restinho de tinta aos confins destes chocos (nem quero saber a que parte do corpo). O jogo avança e o cataclismo sucede. Mehmeti marca golo. Leram bem. O Mehmeti marcou um golo. Mas não foi um golo qualquer. O Kieszek lembrou-se de ir ver ao 1º andar se o vizinho tinha roupa estendida e o Mehmeti aproveitou para puxar as calças para baixo ao Vitória. O jogo estava tão estranhamente animado (para duas equipas que ordenados nem vê-los) que até deu para o Dionisi se armar em Roberto Baggio e fazer gato sapato de Cohene e companhia. Che cazzo! 3 pontos na fuga ao Paços. 

Nacional 2-0 Gil Vicente - E vão 4 derrotas consecutivas para o Gil Vicente no campeonato. Isto não está famoso para os lados de Barcelos. Mas queriam o quê com o Simy a titular o jogo todo? O rapaz não tem jeito para isto e dá-me a sensação que uma bola para ele é o mesmo que a menina do The Ring. Foge que ela vem aí para praticar o mal! Mas se na frente esta equipa está neste estado, que dizer da defesa que foi completamente feita em papa pelo puto Lucas João? Vitória facílima, sem transpirar, do Nacional do Sr Machado. Gil Vicente a não merecer o lugar em que se encontra. Nacional a aguentar a pressão dos lugares europeus.

Benfica 2-0 Porto 

Jogo bem preparado por ambos os treinadores com Jesus a levar a melhor graças ao trabalho incansável dos seus jogadores. O Benfica nunca perdeu o controlo das operações e manteve todas as investidas portistas debaixo de olho. Na frente e com o auxílio de Enzo, os jogadores foram cirúrgicos na pressão à 1ª fase de construção e quando o Porto se conseguia soltar a defesa aparecia combativa, ora em antecipação ora na marcação, portando-se de forma exemplar na defesa das bolas paradas - ponto onde o Porto é fortíssimo. Muita coisa tem que ser dita sobre este jogo. Há conclusões a tirar dos dois lados.

Do lado do Benfica há a salientar vários factores. O primeiro, incontornável, é motivacional: Eusébio. O nome pesou-lhes nas costas e eles tentaram portar-se à altura desde o apito inicial. Conseguiram. 
Tacticamente o 4-4-2 de Jesus provou algo que tenho vindo a dizer várias vezes. A disposição táctica é secundária. Não interessa jogar com 3 médios se depois eles não sabem o que fazer com a bola. Não interessa jogar com 3 médios se eles depois não se conseguirem ligar aos avançados. Não interessa jogar com 3 médios se não se conseguirem situações de superioridade numérica ofensiva. Pode-se jogar com 4 avançados se eles souberem posicionar-se e trabalhar em prol da equipa. Foi o que aconteceu com Markovic, Lima, Rodrigo e Gaitan. Todos ajudaram o meio campo. Não quer com isso dizer que o 4-3-3 não funcione no Benfica, até porque todos estamos mais que habituados ao pouco trabalho de equipa de Markovic e Gaitán (e este ano até de Lima), mas muitas vezes o treinador, apesar de instruir para este tipo de acções que vimos neste jogo, não é correspondido ou por factores motivacionais ou porque pura e simplesmente o jogador está em dia não. A maioria dos adeptos é muito rápida a julgar o treinador e é mais benevolente para com os jogadores. Que dizer, por exemplo, da atitude de Matic? Este jogador, sabemos agora, jogou muito provavelmente toda a 1ª volta contrariado por ter permanecido em Portugal, algo que explica algumas exibições patéticas como aquela que realizou contra o Marítimo no Funchal. Ficam as memórias boas e um último jogo em grande, mas fica também a prova de que os jogadores muitas vezes é para onde acordam virados. 

Do lado do Porto os problemas continuam. A falta de ideias na frente e a falta de banco. Neste jogo, com o acerto defensivo do Benfica na defesa às bolas paradas, o Porto não conseguiu fazer nada de interessante ofensivamente. A posse de bola, em vez de servir como catalisador para um maior caudal ofensivo, serviu precisamente para o contrário e foi por aqui que o Benfica começou a dominar o jogo, aproveitando erros do adversário. Senti um Porto com medo de errar no passe pelo perigo que daí poderia advir. Com o medo de arriscar no passe sobram os transportadores e... Licá e Varela são jogadores que aparecem bem na área para o último toque mas que transportam mal jogo ou que têm dificuldades a decidir no último passe. Paulo Fonseca tentou reagir com Josué e Quaresma mas estes rapazes, irreverentes, entraram em campo mais para demonstrar o ódio que sentem pelo Benfica do que para jogar à bola. 

Este jogo acaba por ser pouco relevante, a meu ver, para o desfecho do campeonato. Vêm aí mudanças graves no plantel do Benfica. Ninguém sabe como a equipa vai reagir. Este jogo serviu, isso sim, para reconciliar um pouco os adeptos com a equipa e isso poderá ser um factor a ter em conta para a 2ª volta. O Porto, com apenas 3 pontos de atraso e podendo receber o Benfica na última jornada em casa, sabe que está tudo em aberto e provavelmente também veremos ainda no Dragão alguma actividade no mercado de transferências. A pressão dos adeptos é que pode começar a tornar-se preocupante para a estabilidade da equipa portista. A 2ª metade deste mês vai ser fundamental para os 2 clubes já que o Sporting aparenta estar mais estável no que toca a mexidas no plantel. Cá estaremos para ver.

2 comentários:

  1. Tirando o Glorioso, tudo o resto tem pérolas do camano. Nem consigo comentar jogo a jogo, é um fartote. Dou comigo a rir sozinho. Foda-se! És o maior!

    O Nito estava lesionado?!

    ResponderEliminar
  2. abraço, méne. O Nito está lesionado nosjolhos! -> http://photos1.blogger.com/img/220/1477/320/Nito%5B1%5D.jpg

    ResponderEliminar