quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

11 Pé de Barrote Nº14

Acreditamos ter encontrado a posição ideal para o Simy do Gil Vicente jogar. Não aproveitem. Nós damo-vos ouro! Ouro!

O equipamento é em homenagem ao Belenenses 1994 do Abel Braga / José Romão que tinha o Mauro Airez, o Emerson e o Nito (jogador mais sexy de todos os tempos)

14ª Jornada 2013/14

Marítimo 2-2 Braga - A tropicalidade madeirense começou a manifestar-se através do furacão Danilo que entra em jogo para arrancar as fundações ao Braga. O jogo aqueceu, ambiente de praia, pontapés de bicicleta, futebol bonito como na publicidade da Nike mas, infelizmente para os insulares, um esquimó chamado Leoni residia num iglu ali para os lados da baliza. O Braga, auxiliado pelo esquimó, arrefece a temperatura e sai da ilha com o empate. O Marítimo é neste momento uma das equipas da liga mais fortes a atacar e com o futebol mais bonito neste capítulo. O Braga também poderia ser mas... Edinho.

Porto 4-0 Olhanense - Vitória sem espinhas contra a pior equipa da liga. Anda toda a gente a falar no factor Carlos Eduardo e no bem que Paulo Fonseca fez à equipa ao deixar Fernando sozinho na posição de médio defensivo... Desde a 2ª parte do jogo com o Braga que esta fórmula resulta e é verdade, eu concordo e mencionei isso nessa jornada. Mas ninguém fala no desaparecimento do Josué? Exibições ridículas em catadupa que culminam numa chamada à selecção nacional. Críticos louvam os feitos (?!) do médio contratado ao Paços de Ferreira. Onde andam esses senhores agora? Não têm saudades do Josué? Eu tenho... Gostava tanto do Porto com o Josué...

Vitória Setúbal 0-2 Benfica - Viram o Gaitán camuflado de relvado do Bonfim? O Nelson Pedroso viu! Eu, por acaso, o Gaitan camuflado não vi, mas na 1ª parte olhar para o Benfica ou para o relvado ia dar ao mesmo. Consistência defensiva? Ui, espectáculo! O Vitória nem criou perigo! O Fejsa realmente neste capítulo está lá para as curvas. Não peçam é ao menino para fazer muito mais que isso. Não me levem a mal por ter falado no Fejsa e na sua inoperância ofensiva - e quando digo ofensiva, falo mesmo até no início dos inícios do processo ofensivo da equipa, naquele primeiro passe nem que seja para o lateral. Não me levem a mal não falar na falta de jeito que o Matic demonstra sempre que é colocado um bocadinho mais à frente. Parece esquisito um jogador como ele não funcionar, parece que o Jesus lhe formatou o cérebro de tal forma, que quando sai do seu habitat todo ele se apaga. É estranho este Benfica da 1ª parte. Couceiro segue a fazer um campeonato tranquilo, a estratégia de moer o Benfica não resultou aqui porque o Benfica demonstrou ter sangue frio e porque o quarteto ofensivo do Vitória não mostrou habilidade. Do lado do Benfica o Sulejmani continua a reunir fãs, Rodrigo semeia e colhe, Lima continua a demonstrar que está no ponto para ser despachado em Janeiro e os laterais continuam intermitentes. A 2ª parte foi boa da parte do Benfica. Braço forte. Resultado justo. 

Paços de Ferreira 0-0 Rio Ave - Ainda não foi desta que começou a recuperação do Paços de Ferreira. O nosso blog anunciou e o estimado leitor não tenha dúvidas que ela vai acontecer. Neste jogo o Rio Ave teve borra em não ter mamado um golo qualquer do Manuel José - bem se esforçou, coitado, belas bujas. De assinalar que o modo Chipre continua ali bem forte para os lados do Ukra e do Braga. O meio campo do Rio Ave é um dos mais interessantes de observar na nossa liga, com o Luis Gustavo a assumir-se como titular, com o Diego a 10 e com o Tarantini. Estes três são uma ilha nesta equipa: o ataque e a defesa metem água por todos os lados.  

Vitória Guimarães 3-0 Académica - Um clássico da nossa liga. Podiam era ter avisado o pobre Halliche que em jornada de Natal não era permitida a entrada a muçulmanos. Inventavam uma desculpa, sei lá, mandavam-no ir fritar chamuças. O Vitória consegue um jogo tranquilo graças a este momento do jogo mas a Académica anda uma paz de alma. O Sérgio Conceição anda muito mais contido e já não dá porrada a ninguém. As baladas do Djavan andam-lhe a fazer bem mas cuidado... A Académica anda muito passiva... Na próxima jornada o Vitória joga com o Braga, consta que vão fritar muita chamuça nas bancadas! Leste isto, Halliche? Bora!
ai és tão inteligente por saberes que as chamuças são indianas. Deves ter tirado 20 a geografia meu animal. Parabéns, pá, sabes distinguir a Argélia da Índia. Vai p'ró caralho

Sporting 0-0 Nacional - Pressão do 1º lugar? Pai Natal é vermelho? Isto é tudo uma cabala? Vamos começar pela seguinte frase: pior exibição da época do Sporting. Foram na cantiga eloquente do Manuel Machado. Foram esmiuçados na 1ª parte, levaram porrada tal como o Benfica em Setúbal e foram, tal como o Benfica, um zero a atacar. O Benfica corrigiu a tempo, o Sporting corrigiu a tempo. O Benfica ganhou 3 pontos, o Sporting ganhou 1. É caso para dramas? Não me parece. O Sporting até joga bem e está numa posição na qual nenhum adepto contava estar por esta altura. A única coisa com a qual se devem preocupar neste momento é em continuar a estabilizar o clube. As declarações de Bruno de Carvalho podem ter efeito boomerang... Vem aí o bicho papão... Vamos esperar para ver.

Gil Vicente 0-3 Arouca - Deu tempo para agarrar o galo, espetar-lhe com o cutelo no pescoço, depenar, abrir, passar manteiga e ervas aromáticas, levar ao forno, comer e fazer a digestão. O cozinheiro? Uma ave prima afastada... O Pintassilgo. O Gil subestimou o Arouca. Pensou que isto eram favas contadas e que até dava para meter o Simy (Nwankwo?) uma meia hora em campo. O Luis Martins ficou tão revoltado que foi barafustar com o Olegário a pedir para sair, que com o Simy em campo mais valia nem correr. O Olegário fez-lhe a vontade e o Arouca ainda lá espetou mais 2 batatas a acompanhar o galo assado. 

Belenenses 0-0 Estoril - Bom resultado para o Belenenses que começa a atinar nos jogos em casa. Começa a ser difícil ganhar no Restelo e olhem que o Estoril tentou. O Matt Jones bem se mostra mas o Roy Hodgson continua a preferir o cepo do Joe Hart. Faltou, a acompanhar a bela exibição do seu GR, um ataque funcional mas calma pessoal do Belém... Vem aí o Roland Linz em Janeiro! Quero só salientar umas coisinhas a concluir. O Paulo Jorge foi titular no lado direito do ataque. Estamos atentos e com muita vontade de ver este senhor jogar! Por favor volta Manduca! Outra coisa foi o inventar... Diawara na esquerda com Fredy e Tiago Caeiro ao meio? Pelo amor da santa.

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Tutoriais para Totós Nº5


Especial ideias para a Olivedesportos não ir à falência!!!


CASA DOS SEGREDOS - FUTEBOL

E como nós aqui no Ai Vale Bujas gostamos muito dos comentários do Pedro Henriques, Luís Freitas Lobo, linhas de fora de jogo mal postas e repetições só quando convém, apresentamos aqui em primeira mão a ideia mais genial de sempre para salvar a Sport TV da extinção!

A Casa dos Segredos... Versão futebol! 


1) Gabriel Alves, o apresentador das galas de Domingo - A Teresa Guilherme da bola! Com ele não havia cá peixeiradas ao Domingo. Eloquência do mais alto nível, instrução primária aos desdentados que sintonizassem o programa. Poesia em directo e toda uma enxurrada de factos interessantíssimos sobre os concorrentes.

2) André Vilas Boas, o apresentador do Extra - A Leonor Poeiras da cadeira de sonho. Está desempregado e era uma boa forma de se redimir perante a opinião pública. 

3) Calor da Noite, a casa - Mas qual Venda do Pinheiro qual quê. Está na hora de dar a conhecer ao público um dos locais mais importantes do futebol português. Aqui ficava garantido que as coisas iriam apimentar entre os concorrentes! 







4) Os concorrentes. O mais importante. Fica uma lista de sugestões:


  



4.1 ) João Vieira Pinto (concorrente feminino) e Paulinho Santos
O Segredo: Somos um casal fora da casa. Para além de pinocada noite fora ainda podíamos ter fé e conseguir uns estaladões, maxilares deslocados e cotoveladas.


 








4.2) Miguel
O Segredo: Já dei um tiro a um homem. O concorrente da street. Espera-se agressividade, conflito e que se faça a uma loira qualquer na casa para podermos ter pinocada 











4.3) Pecks
O Segredo: Ouço vozes na minha cabeça. Este é daqueles que vai rápido de vela porque o Manchester City anda aí a observar a malta e mais tarde ou mais cedo o rapaz vai rumar à Premier League.
 








4.4) Licá (concorrente feminino)
O Segredo: deixei de tomar a pílula para ver se engravido do Pinto da Costa. Este vai ser daqueles para o Gabriel Alves espremer no confessionário. 

 








4.5) Bruno Alves e Tahar
O Segredo: somos gémeos na vida real. Espera-se que este seja um dos segredos mais fáceis de desvendar. São dois concorrentes que vão para a galhofa e que esperam molhar na sopa, quer seja numa Sónia qualquer quer seja num Zé Maria qualquer. Alguém, é certinho, vai apanhar. 











4.6) Rui Patrício
O Segredo: Fiz cocó num jogo e limpei o rabo ao poste da baliza. O Rui Patrício vai ser uma espécie de Zé Maria com o qual o Paulinho Santos, o Miguel, o Bruno Alves e o Tahar vão estar sempre a gozar. Espera-se que consiga a simpatia dos portugueses facilmente já que é habitual nestes programas os concorrentes com menos neurónios irem longe.















4.7) Markovic (concorrente feminino)
O Segredo: não corto as unhas dos pés desde a guerra nos Balcãs. Este concorrente vai ser daquelas a que todos os homens se vão fazer. Depois, quando à noite conseguirem dormir com ela, vão sentir a raspar na perna algo que vão pensar ser um disco diamante duma Black & Decker... Até se vão passar quando levantarem o lençol











4.8) Ruben Micael
O Segredo: Sou jogador de futebol profissional. Este vai ser dos segredos mais difíceis. Vai muita gente carregar no botão e tentar a sua sorte. "É irmão do Cláudio Ramos!" - erraaaaaaaaaaado. "Já fez uma operação plástica aos pés!" - erraaaaaaaaaaaaado. "É emigrante na Suiça" - erraaaaaaaaado.















4.9) Paulo Sousa (concorrente feminino)
O Segredo: já fiz o amor por dinheiro... E com isso conseguiu correr o Mundo e é hoje um sucesso em terra de judeus. Vai ser o concorrente abastado que está nisto só pela fama e pelo Jet 7. Concorrente perigoso, muito observador, mas facilmente se lesionará e desatará a chorar pelos cantos. Também é preciso drama nestes programas.  











4.10) Paulinho, o roupeiro do Sporting
O Segredo: fingi ser deficiente toda a vida. Vai facilmente vencer o programa. O único momento em que a sua popularidade vai baixar vai ser quando Paulinho admitir que enganou os sportinguistas todo este tempo e que no fundo isto era tudo para conseguir lugar para o carro nos centros comerciais, invejável condição em qualquer Natal. 


Nós damo-vos ouro! O-u-r-o. Não aproveitem, deixem-se andar!!!

11 Pé de Barrote Nº13


Equipamento em homenagem ao Sporting de 97/98. Como podem ver a defesa está no chamado zigue-zague ou então "como plantar minas antipessoais no percurso da vossa equipa no campeonato". Como podem ver aqueles 2 trincos ali, lado a lado, simbolizam o Oceano e o Vidigal, dois virtuosos de técnica irrepreensível para lançar os temíveis ataques de Afonso Martins, Edmilson ou do Assis, o irmão do Ronaldinho Gaúcho.

Nesta jornada foi difícil escolher o GR titular. Houve pressão para meter o Artur, o Ricardo da Académica ou o António Filipe. Não acho que o Artur ou o António tenham culpas nesta jornada e o Ricardo também não provocou danos directos à sua Académica... Acontece que o GR que mais andou aos papéis, com a tremideira e a tentar largar o ovo da galinha, foi este menino. Nada a fazer.

Uma palavra também ao Filipe Ferreira. Rapaz, eu sei que com a ajuda que o meio campo do Belenenses te deu neste jogo é um bocado injusto, mas alguém tinha que ser... Foste uma autoestrada sem portagem para o Sporting...

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

13ª Jornada 2013/14

Académica 1-1 Marítimo - Consta que ainda há hoje adeptos do Norwich a rir das declarações do Sérgio Conceição, que usou a desculpa de terem jogado 2ª feira e depois 6ª feira para a péssima exibição da Académica. Coitadinho do Djavan, estava cansado, não conseguiu aquelas arrancadas descomunais flanco esquerdo acima para depois perder a bola antes de cruzar/assistir um companheiro. Mas vá, do mal o menos, o Sérgio Conceição conseguiu o tão desejado equilíbrio defensivo - foi só sentar o Reiner e dar a titularidade ao Fernando Alexandre - e a Académica consegue cumprir os objectivos e chegar à marca dos 15 pontos a 2 jornadas do final da 1ª volta. Já o Marítimo, não quero ser intriguista, mas o Márcio Rozário foi outra vez titular e a equipa voltou  a não ganhar. Neste jogo o homem até cometeu menos erros, mas mesmo assim, logo a seguir ao empate há um lance que me fica na memória. Djavan segue com a bola pela esquerda, faz o passe rasteiro, lento, pelo meio da dupla de centrais do Maritimo, 11 de Setembro, twin towers a cair, só que o avião do Marinho não conseguiu o impacto necessário para mandar abaixo a economia da Madeira.

Braga 2-0 Vitória Setúbal - Entrada furiosa do Braga na 1ª parte que culminou com um golo do Ruben Micael. Qual não é o meu espanto quando, após marcar o golo, este sacaninha se dirige à câmera mais próxima e diz "chupa, bujas, é p'ra ti, toooooma". Meu amigo, só te tenho a dizer: continua a marcar golos e a jogar bem que depois choras quando ficares de fora da convocatória para o Mundial. Adiante. O Vitória até veio para a 2ª parte com vontade de fazer umas palhaçadas lá na frente, mas o ataque dos sadinos parecia os Malucos do Riso e consta que não fizeram esboçar uma única gargalhada aos de Guimarães que assistiam ao jogo prontos a delirar numa explosão de humor. Ricardo Horta, Rafael Martins e Ramon Cardozo fizeram-me recordar e viver Guilherme Leite, José Raposo ou Carlos Areia, mas o verdadeiro Camilo da noite sabem quem foi? Edinho! Vejam o lance do 2-0. Gloriosa gargalhada que eu dei. Gloriosa!

Sporting 3-0 Belenenses - Tornar fácil o que é fácil. William Carvalho preenche, Adrien e André mordem os calcanhares, o adversário não mexe. Não é difícil, não é preciso um talento desmesurado, basta vontade. Uma defesa sem os mesmos recursos que o Porto ou Benfica joga com uma disciplina impressionante, ainda por cima tendo em conta os jogadores que tem à disposição. Jefferson é o lateral brasileiro cliché, que tem potência no pé esquerdo e sobe baixinho, debaixo do radar, jingão e magricela pela ala acima. E esta matreirice, toda a gente sabe, nos pastéis é essencial. O Sporting viu que havia fila e foi experiente, foi lá para dentro, sentou o cu numa mesa, pediu os pastéis e saiu de Belém em 3 tempos. Os turistas que se passeiam pelo Benfica e Porto não sabem o fácil que isto é e ficaram entalados na fila. Os pasteis caíram tão bem que este jogo até serviu para reconciliar uma grande parte dos adeptos do Sporting com o próprio Carrillo, depois deste rapaz fazer um domínio à Di Maria no lance do 2º golo. Bom futebol e líder com mérito.

Olhanense 2-3 Benfica - Tornar difícil o que é fácil. Que isto era fácil, toda a gente sabia, daí a dar para o Sílvio e o Garay estarem a jogar à bisca enquanto se faz a jogada para o golo do Femi Balogun. Exacto! Golo do Femi Balogun! Este gajo marcou um golo ao Benfica! Isto, se eu mandasse na liga, era logo motivo suficiente para o Benfica sair de Olhão com zero pontos! O Olhanense do Paulo Alves chegou ao descaramento de acabar a partida com Pelé e Bigazzi ao centro  (que chegavam e sobravam para as encomendas do Benfica) + 4 avançados declarados (um deles era o Kone, não sei se conta). E por falar em encomenda, não dá para embrulhar o Ola John e o enviar assim para um RKC Waalwijk ou para um Cambuur? Chegar à conclusão que o Ola John tem a mesma influência no jogo que o Kone do Olhanense é triste. Ah, já agora, por falar em extremos, vamos falar também no menino Ivan Cavaleiro? É que andam aí uma data de páginas de apoio ao talento do Benfica, andam aí uma data de meninos a vibrar com lesões de atletas do clube só para os putos terem oportunidades. O Ivan Cavaleiro já vos convenceu que está verdinho ou demora? Contra o Mladen o Ivan Cavaleiro pouco ou nenhum perigo criou! Contra o Mladen! Não fosse a classe do Matic e do Nico e eu queria ver o que teria sido do Benfica neste jogo.

Rio Ave 1-3 Porto - Portanto... O Lionn pensava que era chegar a Vila do Conde, lateral e tal, penteado igual ao do Milhazes e 'tá feito? Tem dó dos teus colegas, Lionn!  Esta foi uma das melhores exibições do Porto no campeonato até à data. Varela foi um demónio à solta que cortou o cabelo à chapada ao Lionn. Carlos Eduardo começa a ganhar nome no plantel e enquanto uns perdem espaço (Josué? viram a diferença no ataque?), outros ganham... O que é certo é que o ataque do Porto, sem Josué, funcionou melhor. São factos. Mais oportunidades decentes, menos remates para a bancada. A defesa do Rio Ave foi a tarte de maçã quentinha, em que o Porto fez um buraquinho e praticou o que toda a gente sabe que tinha que praticar... American Pie style. 

Arouca 0-2 Vitória Guimarães - À italiana. Mais uma vez. Depois da visita à cidade e ao estádio da Luz - que tem água quente - dá-se o doloroso regresso à aldeia e ao estádio que ainda não tem esquentador para o duche. Mesmo assim o Arouca dá uma boa réplica ao Vitória neste jogo e só não consegue mais do que isto porque o Nuno Coelho e o Roberto não conseguiram concretizar oportunidades que até o Edinho concretizava. Neste jogo estreou-se o Lassad Nouioui, internacional tunisino que fez carreira no Depor e que na época passada ainda fez uns jogos no Celtic. Pode ser um bom reforço, mas tendo em conta as lesões que o homem já teve no passado, vamos esperar para ver. Já o Vitória consegue uma importante vitória na luta pelos lugares europeus. A 2ª volta do campeonato promete um duelo minhoto pela Europa. Tomané, depois do 11 Pé de Barrote, já leva 2 golos em outros tantos jogos! Eles até sonham com o Pé de Barrote! Eles até sonham! Só o medo!

Estoril 2-0 Gil Vicente -  À clube grande. Há clube grande. Das bancadas ao relvado. Festa no Estoril (viram a simulação de golo aos 85'? priceless) e bom futebol. Quem não esteve à altura do espectáculo foi o Gil Vicente que, em terra de betinhos, foi chunga e fez figuras tristes, não aproveitando a ausência do Pecks para começar a gamar nos jogos fora. Evandro está numa forma espectacular e leva 6 golos já - como será que o Estoril vai reagir ao seu abandono em Janeiro? Bruno Lopes é um avançado interessante para fazer esquecer L.Leal. Balboa, Seba, Gerso e J.P.Galvão são quantidade e qualidade no ataque. Babanco e Mano são laterais que, não defendendo bem, dão um apoio magnífico ao ataque. O Estoril com este setup podia ter enfiado um saco cheio no Gil Vicente. Apanhou Facchini numa noite boa, quando todo o resto da equipa se encontrava desinspirada e doente. E por falar em doenças... Nigéria... O Simy trocou de nome para Nwankwo. Eu não sei quem foi o gajo doente que trouxe este pobre rapaz para Portugal. Este rapaz não joga à bola. Simplesmente não joga.

Nacional 2-1 Paços de Ferreira - Borra.  O Paços - e o Manuel Machado admitiu - merecia mais. As recentes exibições do Paços na liga fazem-me acreditar que esta equipa pode fazer uma das melhores recuperações da tabela na 2ª volta. Ok, a defesa é má, concordo, mas algum dia vai estabilizar e atinar. Finalmente, parece-me que encontraram um quarteto defensivo base. Finalmente, parece-me que Carlão vai começar a ser aposta regular. O Hurtado vai recuperando a sua forma. O Paços está aí e agora sem Europa contem com ele. Já o Nacional, pelo futebol praticado nestas 13 jornadas, não me parece equipa neste momento candidata a lugares europeus e a culpa aqui parece-me ser das mexidas constantes a meio campo. O Jota que faz um bom início de época, um dos maiores prodígios da Madeira dos últimos anos (Kaká da Choupana!), encostou para jogar a brasileirada. O Claudemir que era o jogador em melhor forma, não sei se por problemas físicos ou não, parece estar a perder algum espaço no 11. Acho que o jogador que mais se justifica tirar da equipa, o Ali Ghazal, é o único que continua de pedra e cal. Mas enfim, o Manuel Machado lá saberá...


domingo, 15 de dezembro de 2013

O bem que faria um Benfica campeão

Não, este não é mais um texto onde o autor vai defender a importância de ver o Benfica campeão só porque é ‘bonito’ ter um Campeonato com diferentes vencedores, ano após ano, um Campeonato que possamos defender como competitivo. Na verdade, como Benfiquista que sou (e todos sabem disso, escusam de vir os comentários a chamar-me Benfiquista, como se isso me ofendesse), estou pouco interessado em quem ganha o Campeonato se não for o meu Clube. Emocionalmente, entre um FC Porto campeão e um Sporting campeão, venha o diabo e escolha...

«onde é que eu já li isto?»

Peço desculpa, caros leitores, estava só na palhaçada.

Deixem-me falar-vos sobre os benfiquistas antes de iniciar a viagem ao cerne da questão. O benfiquista é um adepto português - uau, a sério, de certeza que não é do Burkina Faso? Também há benfiquistas no Burkina Faso. Tenho a certeza. Somos para cima de 6 milhões e quase tre-zen-tos mil sócios. Infelizmente este recorde do guiness não chega para encher metade da Luz de 15 em 15 dias ou seja, praticamente nem 10% dos sócios vão à bola e, certamente, a percentagem de benfiquistas que vai à bola ronda os 0% . Sim, se somos para cima de 6 milhões façam as contas e vão chegar a essa estrondosa conclusão. Abram então os confetis, têm todos participado imenso na construção do Benfica que idealizam e acho que se justifica uma festa pelo que o Benfica, clube, conseguiu atingir nos seus quase 110 anos de história. Perdão. Reformulo. Faça-se a festa pelo estado em que o Benfica se encontra em 2013. É que a celebração do passado justifica-se, a do presente nem por isso. Mas há uma coisa que o benfiquista celebra e não é pouco. O benfiquista celebra a novidade. Por este motivo todos os dias abre o jornal desportivo como criança no Natal. O benfiquista abre o jornal não para saber se o Márcio Rozário ainda é titular no Marítimo, não para saber quem vai substituir o Seric a lateral no Olhanense, não para saber se o Estoril agora vai meter o Gerso a titular ou não. Abre o jornal para ver se há rumores novos de contratações e para saber de novas polémicas. Interessa o futebol do Benfica, saber os jogadores, ver vídeos do youtube do Leandro Damião, Bernardo Silva ou de outros potenciais elementos integrantes da equipa A. O campeonato português, do qual não gosta, é uma obrigação anual porque sim, porque há que ser campeão sempre, apesar de ser um campeonato com o qual a maioria dos benfiquistas não está minimamente identificado, conhecendo melhor a realidade do Tottenham do que a do Nacional (ainda por cima agora que passa na Benfica TV).

E por falar em realidade, qual será a realidade actual do Benfica?

Vieira. Não percebe nada de bola. Até aqui tudo bem - pode haver quem perceba na estrutura, não é? Fica é complicado quando se misturam negócios com bola. Aí começa o cócó. É que parece que não, mas por trás dum fundo investidor, por trás da construção do novo estádio do Atlético de Madrid, por trás dos paineis do estádio do Espanhol, por trás da Promovalor, vêm jogadores, saem jogadores, saem milhões, entram milhões e escarafuncha-se um clube. Imaginem que todos os milhões que investimos em jogadores que se encontram emprestados a outros clubes, estavam investidos em jogadores de classe superior a actuar na equipa principal. Imaginam? São nesta altura uma centena os jogadores com contrato. Imaginem 70, 25 na equipa principal e 25 na equipa B, 10 juniores mais valiosos e 10 jogadores emprestados. Chegava bem, não chegava? Imaginem, apenas com esses 30, o que se conseguia imprimir à equipa titular.

Falemos agora do caminho traçado pelo presidente no final da época passada. O folclore da renovação ou não renovação com Jorge Jesus. A ideia era anunciar a renovação depois de Jesus ter todos aqueles títulos na mão. Não teve nenhum e a Vieira saiu-lhe o tiro pela culatra; uma pena não lhe ter acertado. Falta dor a Vieira. Falta-lhe a dor que nós adeptos sentimos. É que se lhe doesse como a nós, já o homem tinha percebido que o Benfica é areia a mais para a camioneta dele. Esta camioneta tinha dois caminhos a seguir.
O primeiro caminho seria o rejeitar da renovação e iniciar um novo ciclo com novo treinador e com novos jogadores. Parecer-me-ia aceitável. Apesar de ter a convicção de que Vieira não sabe escolher treinadores, de certo que encontraria em Rui Costa um bom conselho. Haveria também mercado para vender Matic, Garay e outras jóias da coroa. Dinheiro não faltaria ao novo treinador, a coisa poderia ter-se encaminhado.  
O segundo caminho seria o de aguentar Jesus e o plantel, contratanto cirurgicamente para posições descompensadas no plantel. Parecer-me-ia aceitável também.
O que faz Vieira? Aguenta Jesus mas despeja uma quantidade anormal de jogadores no plantel. Surge a dúvida: mas será que este lunático está a fazer isto tudo só para aguentar o Matic? Todos os dias surge um sérvio novo no plantel. Como se não bastasse vêm também atrás irmãos. Surreal? Não. Toda a gente falava do fantástico que existia em cada um dos jogadores que chegavam. Um era o novo Messi, o outro o novo Aimar, o outro tinha tanta garra que o Wolverine ao pé dele era um menino. O benfiquista é assim, adora a novidade. Vieira parece que também.



Com ou sem a aprovação do seu treinador Jorge Jesus?

Esta pergunta é mais difícil de responder. Não acredito - e penso que a maioria de vocês também não  - que Jesus tenha pedido tantos jogadores. Jesus pediu laterais, isso parece-me óbvio. Que Jesus segurou Amorim, também me parece óbvio. O resto, sinceramente, não me parece tão óbvio. O resto, sinceramente, parecem-me jogadores colocados no Benfica com o intuito de serem desenvolvidos por Jesus para depois darem lucro ao clube. Não se pensou no equilibrio do plantel. Não se pensou que, se calhar, não era o momento ideal para introduzir tantas contratações num plantel destroçado.

Vieira não escolheu nenhum dos caminhos que tinha que escoher para o Benfica. Vieira confiou cegamente nas capacidades de Jesus e agora reza, diariamente, ao Aimar e a todos os santos que a coisa dê certo. Ou então, se calhar, está-se a cagar.

E o bem que faria um Benfica campeão?

Pois é. Faria. É que a maioria dos adeptos do Benfica não percebe nada de bola. É verdade, desculpem lá, não me quero armar aos pardais mas é verdade. Se vissem um homem chamado Jorge Jesus, um homem a qual todos os dias chamam de burro, ser campeão depois disto tudo, se calhar punham a mão na consciência e identificavam o principal tumor no Benfica: Vieira. Nem vou falar nas coisas que o Jesus já conseguiu fazer nas últimas épocas, contornando toda a porcaria que o senhor presidente lhe pôs às costas, porque a seguir vocês retorquem: e títulos?

Os argumentos Anti-Jesus

O primeiro argumento são os títulos. Jesus não ganhou o que devia no Benfica, têm toda a razão, mas terá isso acontecido por culpa dele? Sim e não. No ano passado, naquele minuto 92, há um lançamento lateral. Cardozo perde a bola, Garay na sequência da jogada entrega mal a bola, Aimar tenta pressionar mas não consegue, Moutinho solta a bola e Maxi fica impávido e sereno a assistir ao passe que dá origem ao golo. Roderick Miranda vem do cu de Judas tentar recuperar e não consegue. Este lance dá um título ao Porto. A culpa? É de Jesus. Hoje em dia fala-se na inconsistência táctica de Jesus, na teimosia do homem que não percebe que ao jogar em 4-4-2 dá o controlo do meio campo ao adversário. O Benfica neste jogo jogou com Matic, Enzo e Gaitan no meio campo, num esquema que no momento defensivo se desdobra num 4-5-1. Jesus, ao contrário da maioria dos treinadores banais com os quais vocês se babam todas as semanas, tem conhecimentos suficientes para preparar a equipa para um esquema diferente todas as semanas. Sabem, a malta que anda no futebol e que percebe um pouco da poda é unânime: a metodologia do treino do Jesus é fascinante e vai para alem dos desenhos de esquemas que vocês fazem na vossa cabeça. Ele consegue desenvolver como ninguém processos de treino relacionados com superioridades numéricas, algo que no treino ofensivo de uma equipa é essencial. Estes processos são difíceis de atingir, mais até do que o treino específico dos atacantes, coisa que Jesus, por acaso, também domina. O posicionamento é outro dos aspectos do treino onde Jesus é forte, conseguindo fazer com que os jogadores rapidamente se habituem às distâncias. Claro que, como qualquer treinador do mundo, está sujeito a falhas individuais no jogo, mas se há coisa com a qual o benfiquista pode estar tranquilo é com a qualidade do treino da sua equipa.

O segundo argumento é a comunicação e a relação que tem com o plantel. Grita muito, chateia muito, insulta muito. Se Jesus não conquista o seu plantel pela comunicação ou pelo coração, conquista-o de certeza pelos métodos de treino. Se podia melhorar ou não a parte humana eu não sei, não o conheço pessoalmente, mas pelo que vejo até concordo que o homem parece ser um gajo lixado de se aturar. Mas aqui, quando falamos no lado humano da coisa, meus amigos, com uma estrutura decente isto era tão fácil de contornar. Tão fácil. Bastava existir um elemento que criasse esse elo entre o treinador e o jogador. Um elemento que dissesse ao jogador, depois dum raspanete mais agressivo "ele está a fazer isto pelo teu bem e o da equipa, não ligues às palavras que ele usou, ele gosta muito de ti e vê em ti muito valor, por isso é que se preocupa em corrigir-te". Será que este elemento não existe? Não sei, até pode ser que exista e nós não saibamos.

O terceiro argumento é "ele é burro". O Jesus pode ser muita coisa, amigos, burro é que ele não é de certeza. E se realmente ele é burro no futebol, então deve ter arranjado uma esperteza dos diabos fora das 4 linhas não sei onde, para conseguir dar a volta ao Vieira e conseguir o contrato que conseguiu. Pensem bem, amigos, se o Jesus é burro e não percebe nada de futebol, se vocês e as vossas tácticas e teorias é que estão certos, então se calhar está na hora de levantar o cu do sofá e irem tentar a vossa sorte na vida de treinador. Eu, por experiência própria, digo-vos: não é fácil tentar. Mas estão sempre a tempo quer sejam velhos, novos, aleijados, espertos, burros, etc. 

Pede-se Marco Silva. Pede-se Rui Vitória. São bons treinadores. Melhores que Jesus neste momento? Nem pensar. Ambos, Marco Silva e Rui Vitória, têm características muito diferentes entre si. Marco Silva é muito bom com o ataque, Rui Vitória muito bom com a defesa. Comum a ambas as equipas é o claudicar sistemático quando têm que assumir o jogo. A falta de criatividade ofensiva do Vitória é gritante e ou os jogadores não sabem mais que aquilo, ou Rui Vitória não sabe mesmo imprimir o bocadinho que falta à equipa dele lá na frente. Já Marco Silva parece-me diferente. Para já, parece-me na minha opinião um treinador pior que Rui Vitória. Beneficiou da gestão de Tiago Ribeiro e dos jogadores que este presidente lhe colocou nas mãos enquanto que Rui Vitória agarrou num plantel recheado de cepos e fez uma equipa. Marco Silva potenciou os seus jogadores (até o Balboa!), principalmente no processo ofensivo, conseguiu construir aquele que é provavelmente o melhor Estoril de sempre mas agora, observando o escoar das principais estrelas da equipa é que vai começar a prova dos 9. Espero sinceramente que o Marco Silva tenha sucesso porque o estilo dele faz-me querer ver todos os jogos do Estoril. Não o acho, por enquanto, treinador capaz de assumir o Benfica e de fazer melhor que Jorge Jesus.

E que bem fazia aos benfiquistas a realidade do futebol. Mas o futebol não é como o pensamos, é como lhe apetece. É o vento, é o tufo de relva, é o poste. O Marco Silva pode chegar e ser campeão. O Jesus pode ficar e ser campeão. O Rui Vitória pode chegar e não ser campeão. O Jesus pode ficar e ser despedido. Quem sabe? O que eu gostava era de ver o Benfica campeão. Nunca quis tanto. Continuarei a defender os treinadores que dão bom futebol aos espectadores. Defenderei a moda italiana de Rui Vitória. Defenderei o samba de Marco Silva. Defenderei o rolo compressor de Jesus. Defenderei o bonito futebol do Sporting 2013/14. Defenderei que Paulo Fonseca não é um problema no FC Porto. Defenderei que Paulo Alves está a destruir os galácticos de Olhão. Sabem com o que me enganei? Com o Vitória do Couceiro. O futebol às vezes também destas coisas. Mas o José Mota terá sempre o seu lugar no meu coração.

Força, Jorge Jesus.

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

EUROPA, Fase de Grupos, 6ª Jornada




Benfica 2-1 PSG - Mas isto é galo ou tumor? O Benfica que contrate um veterinário decente para ver a águia que isto não é normal. No campeonato foi o que foi, na final da Liga Europa foi o que foi, nesta fase de grupos foi o que foi. Incompetência? Sim e não. O Benfica bateu-se bem em 3 dos 6 jogos do grupo. Em Paris envergonhou-se. Na Luz, contra os de Atenas, entrou mal no jogo e quando quis ir atrás do prejuízo, veio uma carga de água atrás do Benfica. Em Atenas, Roberto deu à luz uma das melhores exibições que já o vi fazer. Contra o Anderlecht cumpriu, apesar de não ter merecido a vitória em Bruxelas. Contra o PSG, hoje, fez uma exibição cheia de garra e vontade, mas mais uma vez, na Europa, falta ao Benfica a frieza necessária na finalização, algo que poderia ter resolvido a final da Liga Europa 2013. Fez 10 pontos, algo que normalmente seria suficiente, acontece que o Anderlecht foi um espantalho autêntico. Na minha opinião o Benfica merecia ter feito 11 pontos: na Bélgica o empate seria o resultado mais ajustado e o resultado em Atenas é um completo engano, já que merecia claramente a vitória. Acontece que não fez e as atenções voltam-se mais uma vez para o falhanço dum treinador que, num grupo acessível, deveria ter levado a sua equipa aos oitavos. Na busca irracional por um culpado é fácil virar o holofote para Jesus. Que o façam se isso vos faz sentir bem. Digo isto com naturalidade já que toda a gente reconhece que é este o paradigma do adepto de futebol.
Neste jogo contra o PSG, sinal mais para o par Matic e Enzo que hoje funcionou e de que maneira. Sinal mais para Luisão que foi imperial mais uma vez. Sinal MUITO MAIS para Sílvio, aquele que neste momento é sem sombra de dúvidas o lateral em melhor forma no Benfica. Positivos também Sulejmani, Ivan Cavaleiro e um rapaz que quando lhe apetece faz a relva curvar-se em vénia: Nico Gaitán. Este jogo, na minha opinião, indica 3 coisinhas fundamentais para o curto prazo: o 4-3-3 tem que ser para manter (Matic e Enzo começam a funcionar, tem que dar-se continuidade ao trabalho para poder funcionar ainda melhor) independentemente do adversário, Markovic não pode neste momento ser titular (e não vai ser, infelizmente pelos piores motivos, mais uma lesão para juntar à sua colecção) e Lima também não pode, neste momento, ser titular.

Atlético Madrid 2-0 Porto - Este jogo traduz bem o que foi a campanha de todas as equipas portuguesas - talvez à excepção do Paços - nestas fases de grupos europeias. Muito futebol em comparação com os adversários, muito merecer, muito jogar melhor, muito pouco resultadismo. E depois de 1 penalty falhado pelo Josué, depois de 4 bolas no ferro, o Porto sai de Madrid com uma derrota por 2-0. Futebol é isto. Volto a sublinhar que sou da opinião de que o Paulo Fonseca não é, nem de perto nem de longe, o principal responsável pelo mau início de época do Porto. Mas no entanto parece-me que o problema do Paulo Fonseca, do Rui Vitória e do Marco Silva é o mesmo: falta de calo. A juntar à falta de experiência do seu treinador e de alguns jogadores, junto o factor Josué. É este o único erro que acho evidente na gestão do plantel do Porto e neste jogo, mais uma vez, viu-se. O Josué não fez este ano exibições que justifiquem a titularidade. É o jogador mais utilizado no lado direito do ataque. O Josué não só consegue emperrar todo o jogo ofensivo da equipa como a sua meia distância está calibrada para os Super Dragões, num grito mudo de "deixem-me ir para a bancada apoiar, eu aqui só faço merda!". Danilo sofre, o Porto sofre mas... A selecção nacional agradece! Rumo ao Brasil, Josué, continua assim!

Pandurii 0-0 Paços de Ferreira - E agora? Quem me vai devolver esta hora e meia de vida? O que vale é que hoje à noite há uma injecção de futebol com a Académica do Fernando Alexandre senão estava lixado com a vida. Fiquei tão agastado com este jogo que ontem nem me apeteceu escrever o Copo Europa. Amigos: mau demais para ser verdade. O Paços melhorou defensivamente com o Henrique Calisto? Melhorou sim senhor (já lá vamos). O futebol do Paços tornou-se numa seca infinita? Tornou sim senhor. No ano passado quando se especulava o futuro do Antunes muita gente dizia "é bonzinho a atacar mas a defender é um cancro". Já viram o Helder Lopes? Lembram-se do Paços no ano passado com o Paulo Fonseca? Preenchimento do espaço defensivo, vários jogadores a conseguirem chegar ao último terço em condições de finalizar... Antunes em todo o lado... Pois é. Esqueçam isso. A nova realidade é um lado esquerdo que parece a cerimónia dos Oscars: se és extremo ou avançado, avança, camarada, aproveita e leva esta estatueta. A nova realidade do Paços é não conseguir ganhar ao Pandurii, uma equipa que foi criada de propósito para homenagear o grande Nica Panduru. Mau demais.

Estoril 1-2 Slovan Liberec - Estoril... Praia. Os checos chegaram, estenderam a toalhinha, abafaram o público da casa com a sua polka e já que era para fazer praia, toma lá um pontapé de bicicleta à Madjer. A 1ª parte do Estoril foi muito má mas a qualidade do futebol destas equipas seguia interessante. Quer-me parecer que o Estoril se vai aguentar na 2ª metade da época. Mesmo que o Evandro saia, têm o JP Galvão que é bom jogador. Parece-me que a equipa vai demorar a encaixar o Bruno Lopes porque é um ponta de lança com um estilo de jogo diferente do Luís Leal, mas não acho que estejam mal servidos com este rapaz (e agora voltam a ter o Gerso disponível também para as alas). Soluções ofensivas não faltam mas... E a defesa? Má demais. O Yohan, que até é um central com algum potencial, fez um início de temporada desastrado. O Diogo Amado é muito pior que o Gonçalo Santos e ontem no lance do 2º golo do Slovan, estes dois meninos foram patéticos. Está complicado, mercado?

Vitória Guimarães 1-2 Lyon - Sou fã do futebol do Vitória. Admito já aqui antes de começar a escrever sobre o jogo. Quando vi a quantidade de alterações ao onze inicial que iriam ser operadas nunca pensei que o Vitória desse esta réplica ao Lyon. E jogou desta forma porquê? Porque o Lyon colocou em campo vários jogadores que estão a tentar recuperar a forma (Gourcuff e Gomis, p.ex.) e porque jogou bem! Disciplina táctica, trabalho no treino e garra. Tomané mostrou classe! Foi o melhor jogo que já o vi fazer esta época. Fico a pensar como seria este Vitória se tivesse jogadores com outros atributos técnicos. A chave deste jogo foi Pedro Correia, o lateral ex-benfiquista que foi expulso em 5 minutos. O rapaz até estava a fazer um jogo à maneira mas aqueles 5 minutos deitaram tudo a perder. Mas a culpa não morre solteira. Infelizmente o Vitória, como em praticamente todos os jogos desta época, voltou a desperdiçar toneladas de golos. Juntem-lhe uma pontinha de ajuda do árbitro ao Lyon e pronto... Foi assim que aconteceu.

11 Pé de Barrote Nº12

Equipamento em homenagem ao Freamunde do Bock, melhor ponta de lança de todos os tempos, uma injustiça nunca ter vestido as cores da $elecção nacional.

A luta pela baliza foi disputadíssima! Filipe conseguiu vencer Gottardi e Artur e tem lugar assegurado no Barrote da semana. Na esquerda, resolvi poupar o Seric e o Cortez porque a exibição do Lopes foi má demais para ser verdade. Na direita o Baiano ainda deve estar à procura dos rins pela cidade do Porto. No meio campo resolvi poupar o tridente de jarras (agora também se juntou o Pelé) do Olhanense, o Fejsa do Benfica e o Danilo do Marítimo. Na frente acho que o Tomané merece destaque, já que os outros dois não merecem grandes comentários. O rapaz é esforçado, dá tudo pela equipa, mas só faz porcaria...

Meanwhile In... #1

Lesotho - No Lesotho infelizmente não tenho notícias para vocês. O campeonato está parado. Pois é. Uma pena. É que o Lesotho está a organizar a Taça Sub-20 do Conselho de Futebol do Sul de África (COSAFA) e precisaram dos estádios dos clubes. Vai daí pára o campeonato um mesito e só em Janeiro é que vamos saber quem vai vencer o tão cobiçado título, se o Bantu FC da cidade de Mafeteng, se o Lioli FC da cidade de Teyateyaneng.


Nigéria - Na Nigéria o campeonato já acabou e quem fez a festa foi o Kano Pillars, tendo a equipa do nosso estimado Okunowo terminado num honroso 12º lugar! Aqui nada de novo. As equipas continuam a não conseguir vencer jogos fora de portas, os árbitros e jogadores continuam a correr perigo de vida e o Emmanuel Amunike continua lesionado no joelho.


Somália - Na Somália não há campeonato desde que um ciclone se lembrou de fazer ciclonices a meio do mês passado. Montes de mortos, medo do aparecimento de mais doenças ainda no país, mais miséria, estádios destruídos, não há cabeça nem relvados para futebol agora. Quando estiverem indecisos se é boa ideia ir para o frio ver o Ruben Micael espalhar magia, lembrem-se dos adeptos somalis de futebol.

Nova Caledónia - Aqui, o ASGN começa a dar mostras de recuperação depois de ter sido goleado pelo AS Lössi por esclarecedores 8-1. O Carlos Azenha, entre duas garfadas de lagosta, já disse a um jornal local que nunca mais vai de férias para um resort sem antes ligar para a federação do país de destino a cancelar todos os jogos para aquele fim de semana.

Escócia - Na Escócia o Rangers esta época segue imparável na 3ª Divisão, depois de ter conseguido o título da 4ª divisão na época passada. Este ano, em 15 jogos, somam 15 vitórias, goleada atrás de goleada, numa corrida raivosa rumo à Premier League. É caso para dizer... Treme, Sporting!


sábado, 7 de dezembro de 2013

12ª Jornada 2013/14


Benfica 2-2 Arouca - O génio que contratou o camião de imigrantes de leste para o Benfica devia estar neste momento agarrado à sua Canon Copicanola a imprimir fotos de bebés da internet. Sabem para quê? Para os colar num cartãozinho e os meter ao pescoço do Markovic, Sulejmani, etc, para ajudar a vender a revista Cais, até conseguirem recuperar o investimento que se fez neles. E o Lima? Não se pode elogiar que ele volta logo a ficar em modo de convocável para a selecção nacional? Para qualquer benfiquista que se preze esta malfeitoria não foi obra do senhor árbitro, nem do senhor sorte, nem muito menos obra do adversário. Esta malfeitoria foi obra de um conjunto de meninos que, coitadinhos, andam desmoralizados. Não é que o Arouca tenha feito mal o seu papel, não é isso. Mas já viram bem os golos do Arouca e o futebol (ou falta dele) deles? O primeiro golo é um frango e o segundo é um lançamento lateral em que a defesa do Benfica achou por bem começar a brincar à cabra cega, tudo enquanto o Maxi ficava tipo tronco com olhos, a fazer sombra ao Serginho que tranquilamente empurrava para dentro. Por falar em falta de futebol! A 2ª parte do Benfica. 2ª parte do Benfica parece-me uma boa frase para sinónimo de falta de futebol. Rumo à final da Champions! O sonho está vivo! Benfica entra no fim de semana em 1º lugar isolado! Com esta é que o Sporting não contava!

Porto 2-0 Braga - E enquanto a balbúrdia e alarido reinam na Luz, no Dragão silenciam-se os assobios e a estrutura mete a mão na massa. E quem comeu o pão que Pinto da Costa amassou foi o Braga desta vez. Depois de uma 1ª parte ao nível do costume, paupérrima, eis que surge o intervalo e com ele a saída de Lucho do jogo, com consequente entrada de Carlos Eduardo. Tudo mudou aqui. A equipa ganha electricidade a meio campo, acende-se uma luz em Alex Sandro e um curto circuito na cabeça de Nuno André Coelho, cuja disfunção eréctil  faz com que Jackson ilumine o placard no Dragão. Herrera também desperta. E Varela. Baiano é barata tonta no lado direito da defesa e o jogo morre numa excelente jogada do Drogba da Caparica, que centra ao 2º poste para a almofadinha Nuno André Coelho trazer bons sonhos aos portistas. Jackson letal, sempre ele, hoje com auxílio de um meio campo surpreendentemente revigorado apesar da ausência do polvo. Do lado do Braga uma exibição uns furos abaixo do que fez na Luz, mais por mérito do Porto do que por demérito próprio. Tanto neste jogo quanto no da Luz, o Braga necessitava de material bélico no quarteto ofensivo. Só que em vez de armas levaram bisnagas, que em vez de ferir chateavam apenas, com umas pinguinhas que nem para uma constipação davam.

Paços de Ferreira 0-3 Estoril - Para que é que o Santana Lopes andou a endividar a câmara de Lisboa com o túnel do Marquês? Metia-se o António Filipe a seguir ao viaduto Duarte Pacheco e estava o problema resolvido! Este jogo foi um espectáculo e não estou a ser erótico, ou irónico ou o caraças... Foi mesmo. Depois do frango do GR o Paços podia ter empatado a partida só que o lateral Helder Lopes lembrou-se de, completamente fora de jogo, chutar a bola para dentro quando ela já ia a entrar na baliza. Estão a ver o Nani contra a Espanha depois do lance do Cristiano Ronaldo? Foi ainda mais espectacular! E se de um lado a defesa do Paços fazia das dela, Vágner, do outro, voltava às boas exibições. Na 2ª parte entrou o Bruno Lopes para o ataque do Estoril. Habituem-se ao nome deste rapaz. É o substituto do Luís Leal que achou melhor dar seguimento à sua carreira na Arábia Saudita, no Al-Ahli Jeddah do Vitor Pereira, Bruno O Picanhas César e Mossoró. Ou seja, vai do 4º classificado da Liga Portuguesa para o 4º classificado da Arábia Saudita! São e$colha$. Voltando ao jogo, a buja do JP Galvão vale a pena ver, nem que seja para ficarem 5 minutos a pensar se o António Filipe não podia ao menos ter esticado o bracinho. Que dizer deste Paços? Uma defesa péssima e um ataque inoperante. Pode ser que consigam abrir a pestana ao Carlão... Vamos ver

Vitória de Guimarães 0-0 Belenenses - O Vitória deste ano é assim. Sofre pouco lá atrás. É provavelmente uma das melhores ou mesmo a equipa que melhor defende em Portugal, tendo em conta os recursos que tem. Depois em jogos em que precisa de assumir o jogo acontece isto. As chances que cria, falha-as. As chances que podia criar, aqui morreram nos pés do Tomané. Não me leves a mal, Tó, eu acho-te um rapaz muito esforçado que dá tudo o que tem à sua equipa. E quem dá o que tem, a mais não é obrigado. Mas é pouco. O Marco Matias sai agora em Janeiro... Vamos ver se entra alguém para animar as coisas na cidade berço. Do lado do Belenenses, neste jogo Tiago Silva não teve grandes hipóteses para brilhar e já se sabe, quando não há Tiago ou Rosa, há pouco ou nada lá na frente. Um bom resultado para os lisboetas.

Marítimo 2-2 Nacional - Resultado igual ao do Benfica a mostrar que Manuel Machado e Jorge Jesus agora são brodas. Se um sofre o outro também tem que sofrer junto. Mas alguém que diga ao Gottardi que a poncha tem aguardente! O homem parecia a Vanda Stuart no Lux depois de 4 margaritas com coca. Muita forte esta poncha. Adiante. O que é que tenho vindo a dizer neste blog? Pois é. O Márcio Rozário voltou à titularidade e fica assim interrompido o ciclo curto de vitórias do Marítimo. Juntem-lhe o Danilo a trinco, que só por milagre consegue chegar à 2ª parte sem ser expulso e têm aqui o quadro do jogo feito. O Marítimo tinha todas as condições para somar uma vitória tranquila, não o consegue pelo desacerto defensivo. Caramba, bastava ter aproveitado a tremideira do Gottardi.

Olhanense 0-1 Rio Ave - E qual é o jogo ideal para dar balanço ao Ukra e ao Braga para conseguirem as suas transferências para o Chipre? Qual é? Qual é? É o jogo contra os defuntos galácticos de Olhão! Uma equipa que sob o comando do Paulo Alves tem 1 golo marcado para o campeonato dos 6 que totalizam nos 12 jogos do campeonato! O treinador responsável pela descoberta do par de jarras Celestino e Lucas Souza! E não fosse o Hassan do Rio Ave andar com a cabeça na casa do caril, este jogo tinha dado facilmente em goleada. Diego Lopes do-mi-nou.

Gil Vicente 0-2 Sporting - E por falar em Paulo Alves... Sabem quem foi que promoveu o Pecks à equipa principal e lhe ofereceu um contrato com cláusula de 10 milhões de euros? A primeira parte foi o Paulo Alves, a segunda foi o génio Fiusa! Pétáculo! Montero agradece... Neste jogo o que fez claramente a diferença foi a velocidade do processador. Sim, a velocidade do processador. Antigamente eu quase que batia no meu 386 quando ele me dizia "not enough memory" quando eu queria correr o sensible soccer. Neste jogo o 386 do Gil foi o Pecks. O Montero já vem com processador intel core i7 e nem precisou de muita coisa para emular a vitória. O Gil foi a namoradinha do Sporting, levada pela mão à beira rio, até que chegou o Pecks, pediu trocos e telemóvel, o Sporting pôs-se ao fresco e a gaja ficou ali depenada, ao frio, enquanto o Pecks seguia a correr pela margem do rio, todo desengonçado, com um Alcatel ranhoso e 42 cêntimos em moedas castanhas na mão. O Sporting quando chegou a casa meteu-se a ver o Sozinho em Casa na RTP, enquanto comia Ferrero Rocher e sentia o cheiro a couves e bacalhau a emanar da cozinha. Vamos ver se a tripa aguenta até Maio.

Vitória Setúbal 1-0 Académica -  O Couceiro ainda não perdeu, continua a apostar na prata da casa e tem uma equipa com personalidade ao seu dispor. Isto é de louvar. Olhem para o outro lado do relvado e o que vêem? Uma data de jogadores de proveniência mais que duvidosa e que só cá estão porque os empresários mandam em Coimbra. O Vitória acordou para a realidade, baixou custos com o plantel e os seus putos portam-se melhor que Djavans e Abdis. O Horta, formado no Benfica, até marcou o chouriço da vitória! Tacuarita continua a rular. 

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

11 Pé de Barrote Nº11


Equipamento em honra ao Estoril 93-94 que conseguiu a proeza de ficar em último lugar num campeonato que tinha o Famalicão do Celestino. Contavam com o Ivkovic, amigo do Maradona, na baliza e com o João Oliveira Pinto e o búlgaro Voynov na frente. 

Este 11 Pé de Barrote foi facílimo. Na baliza o buracos negros, na defesa um quarteto de descontrolados, no meio campo sarrafeiros e no ataque um quarteto de pólvora seca. Para a história fica o épico falhanço do Varela (muito por culpa da toupeira Abazi).

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

11ª Jornada 2013/14


Braga 4-1 Olhanense - Foi preciso jogar contra o par de jarras Lucas-Celestino para o Ruben Micael arrancar uma exibição assim-assim. É um assim por cada jarra. Este resultado é completamente justo mas... E se o Dionisi não tivesse o mesmo instinto que tem para o golo que eu tenho para comer bróculos? Ah pois é! Aqueles falhanços que podiam ter dado o 2-2 podiam ter complicado a vida ao Braga. Mesmo assim, a equipa do professor Zualdo, depois de 5 derrotas consecutivas para o campeonato, consegue com esta goleada aproximar-se dos lugares europeus. Temos Braga?

Académica 1-0 Porto - Fernando Alexandre. Melhor trinco do campeonato. Ai o Matic? Ai o Fernando? Nada disso, Fernando "O Pastor Alemão" Alexandre! O Fernando Alexandre joga bem mesmo com o Makelele baiano ao lado. O Matic ou o Fernando metam-lhes um Fejsa ali que ficam logo sem saber se vão para norte, sul, este ou oeste. Mas este jogo é do sobrenatural. Tenho uma fonte fiável que me diz que o bruxo de Fafe está agora ao serviço da malta de Lisboa. Foram estas forças maléficas que fizeram com que Abazi, o central albanês, possuísse demoniacamente uma toupeira com o objectivo de perturbar a acção ofensiva do FC Porto. Ao minuto 60 foi possível observar Varela com espasmos a ser mordido pela toupeira Abazi, tudo para atirar sem sorte aos postes da baliza de Ricardo para mais uma oportunidade falhada. Andam amigos meus a dizer que nem a rezar na capela o Porto ganha... Eu queria-vos ver com uma toupeira demoníaca atrás a ver onde se iam enfiar. Era debaixo da cama ou numa capela? Capela, como é óbvio!
A equipa da Académica consegue duas vitórias seguidas no campeonato, fruto da entrada de Halliche para o centro da defesa e fruto do Fernando Alexandre se estabilizar como titular da equipa. O Porto tem agora problemas que cheguem com que se preocupar, não que a situação no campeonato seja particularmente grave, mas sim pela pressão que os adeptos estão a colocar no treinador que pouca culpa tem no insucesso. O Porto investiu mal, contratou a pensar no futuro e jogadores como Reyes, Quintero e Herrera, custaram milhões e têm uma longa adaptação a Portugal pela frente. Josué ou Licá são bons jogadores para uma 2ª linha, nunca para serem titulares regulares. Paulo Fonseca é pior treinador que Vitor Pereira? Não, não me parece que seja. Tem é menos linha com que se coser.

Arouca 1-2 Marítimo - O Marítimo com tanta água na Madeira e a liga portuguesa ainda o obriga a ir ao único estádio que não tem água quente? Ele há coisas. Por falar em meter água! Desde que o Briguel e o Márcio Rozário sentaram o cu no cimento das bancadas o Marítimo não perdeu mais. Coincidências? Vamos ver. Quanto ao jogo, o Arouca esforçou-se muito na 1ª parte e há relatos de um ou dois sprints de David Simão na loucura. Depois na 2ª o Marítimo controlou e venceu o jogo graças à inspiração do Heldon. Que dizer quando a estrela do Arouca é o Pintassilgo? Nem sequer é o Pintassilgo original que jogou no Farense, é um Pintassilgo que a única experiência internacional que teve foi no Pandurii, aquela equipa em homenagem ao Panduru que existe na transilvânia.

Belenenses 0-0 Gil Vicente - O galo já começou o luto do Natal em memória de todos os primos da capoeira que vão perder a vida brevemente. Exigia-se mais a uma equipa que jogou praticamente 1 hora em superioridade numérica e que mesmo assim permitiu ao Belenenses equilibrar a partida e estar tão perto da vitória quanto os de Barcelos. Grande tarde dos guarda-redes de ambas as equipas, o Matt Jones não achou piada ao 11 Pé de Barrote da semana passada e arranca uma exibição extraordinária. Já vos disse que o Tiago Silva tem muito futebol naqueles pés? Pois... Tem mesmo.

Nacional 2-2 Vitória de Setúbal - E se no jogo de Barcelos os guarda-redes brilharam, na Choupana fizeram sitcom! Gottardi que vinha fazendo grandes exibições recentemente não consegue agarrar um livre à figura do Nelson Pedroso. Foi buja, mas ao menos que afastasse para canto... Depois de conseguir sabe-se lá como chegar à vantagem ao intervalo, o Nacional preferiu jogar em contra-ataque contra o Setúbal na 2ª parte. Resultado? Deu merda. O Setúbal, pelo que ouvi na Antena 1, até merecia mais que o empate. Mais um puto português lançado pelos sadinos, Venâncio, defesa de 20 aninhos. Esta nova política do Setúbal é de salutar. (Couceiro a surpreender-me... Pensava que ia ser mais difícil substituir o mestre Zé Mota)

Rio Ave 1-3 Benfica - Queria vir publicamente pedir desculpas ao Lima e a toda a gente por lhe ter chamado Pongolle na 4ª feira. Estou mesmo arrependido, a sério. Lima, se me estiveres a ler: MEU SACANA É PRECISO VIR AQUI CHAMAR-TE PONGOLLE, PRINGLE, PAULO NUNES OU KIROVKSY PARA COMEÇARES A JOGAR À BOLA? É? Enfim... Adiante... Ainda estou a pensar por que buraco passou a bola na altura do golo do Rodrigo. É que parece que se formou ali um buraco negro nas mãos do Ederson. Se escutarem atentamente, parece que se ouve um *VLOFT* quando a bola atravessa, depois há o golo e o Rodrigo faz uma espécie de coração com as mãos na direcção das bancadas. Só que eu acho que aquilo não era um coração, era o tal buraco negro por onde a bola passou... Já li em algum lado que o Benfica tinha um laboratório para o futebol. Laboratórios, física quântica no Ederson... Não investiguem, deixem-se andar!
O Benfica preferiu jogar no erro do adversário e na minha opinião fê-lo bem. Quem está habituado a este Rio Ave 2013/14 sabe que esta equipa comete erros defensivos às pazadas. Quando está em posse de bola o Rio Ave abre-se demasiado e faz com que depois esses erros apareçam naturalmente e obriguem a faltas ou a jogadas de perigo do adversário. Foi uma boa abordagem ao jogo numa exibição fraca em espectáculo mas forte em táctica, principalmente na 2ª parte, onde dá para perceber que já não existe aquela tremideira fruto da falta de confiança do princípio da época. O Benfica estabilizou e tem mais armas que os seus adversários para disparar.

Sporting 4-0 Paços de Ferreira - E se o Benfica tem o melhor plantel do campeonato, o Sporting tem neste momento a equipa mais coesa. Foi uma exibição adulta dos leões, sem a tremideira de outras época e sempre com a confiança, desde o primeiro minuto, que a vitória não poderia nunca escapar. Os putos Adrien, Martins e William abafaram por completo o meio campo do Paços e depois no último terço, contra o Ricardo e o Tiago Valente, torna-se fácil. O Montero, depois do nascimento da sua filha, parece que não andava a dormir muito bem. Consta que na noite de Sábado dormiu que nem um leão a pensar nos cordeirinhos da defesa do Paços. Cuidado com o Sporting, concentrado em apenas 2 competições, com muita juventude portuguesa cheia de vontade de vencer. Vamos ver se a manta é curta ou se chega para aguentar os meses frios que se aproximam.

Estoril 0-2 Vitória de Guimarães -  Duas equipas que dá gosto. O Vitória, com alguma sorte e com o seu catenaccio minhoto, levou a melhor frente ao tropical Estoril do Marco Silva. O Trapattoni do Minho entrou em campo mais uma vez com o meio campo musculado e com o Tomané a ajudar em situações defensivas, foi lá duas ou três vezes à frente e catrapumba. Mas a chave do jogo não foi a exibição do Guimarães mas sim a exibição do Estoril. Lá atrás, aquele quarteto é uma dor de cabeça para qualquer treinador, ainda por cima o Vagner neste jogo não esteve particularmente inspirado. Na frente, o Luís Leal a provar que tem tudo para ser um grande ponta de lança... Falta-lhe um bocadinho de cabeça, de frieza, de leitura de jogo, atributos que na frente são fundamentais. Mais demérito do Estoril que mérito do Vitória neste jogo.