quinta-feira, 24 de outubro de 2013

EUROPA, Fase de Grupos, 3ª Jornada


Porto 0-1 Zenit - A tendência repete-se. Na 2ª jornada do grupo escrevi que o Porto tinha realizado a melhor exibição da época frente ao Atlético, este jogo não esteve muito longe dessa exibição. Ao fantástico quarteto defensivo Danilo, Mangala, Otamendi, Alex Sandro, junta-se um polvo gigante chamado Fernando que neste jogo fez de Herrera, de Moutinho e às vezes até de Bruno Alves. O Zenit mastigava a chiclete, arrefecia o jogo para temperaturas siberianas e tentava contra-ataques transalpinos. Enquanto isso, Hulk lembrava com saudade a noite do Porto e tentava por todos os meios não levar porrada dos Super Dragões no final do jogo. O Porto tem azar neste jogo mas pode tirar algumas conclusões. As primeiras, positivas, têm a ver com a disponibilidade dos jogadores que não deixaram sair para maiores campeonatos - principalmente Fernando, Mangala e Jackson. Estes jogadores mostram rendimento tanto na Europa como no campeonato nacional, mostram profissionalismo, mostram uma forma de estar no futebol exemplar. A juntar a estes, a prata da casa: Lucho e Varela. Um transpira classe, é talvez o jogador com o futebol mais bonito de toda a liga portuguesa e o outro, que não tem nem 1/3 da classe de Lucho, mostra esforço e vontade de ir à procura do seu lugar. Ambos, enquanto os gémeos aguentam, dão tudo ao seu Porto. Depois, conclusões negativas que têm a ver com os reforços. O Porto, pela primeira vez desde Pizzi e Esnaider, não se reforça bem. A manta é curta. Se tapa o peito não cobre os pés. Josué, Licá e Ghillas não são jogadores para o Porto. Herrera e Reyes, pelo valor que custaram, não deveriam ser esta incógnita, deveriam ser certezas. Mas claro, depois recordo-me da chegada de Alex Sandro ao clube e fecho a matraca. De qualquer forma, parece-me mesmo que o plantel do Porto é curto e não tem soluções suficientes para esta época.

Benfica 1-1 Olympiakos
- Este Benfica é uma viagem pelas artes. Em meses consegue viajar desde o renascentismo do Sec XV ao dadaísmo do Sec XX. Este Benfica é Avant-garde! Para quê deixar a Mona Lisa assim se a posso desenhar com um bigode? Querem bigodes Cosme Damião? Aí os têm! Não estavam era à espera que eles aparecessem na Mona Lisa, pois não? Não estavam era à espera que o bigode fosse aparado pelo Matic, pois não? Queriam uma coisa à Duchamp... É a vida. 
O Benfica não tem ponta por onde se lhe pegue. Neste momento imagino o Jorge Jesus com a tela à sua frente e com 5 nomes na tela: Artur, Luisão, Garay, Enzo Perez e Cardozo. O artista Jorge Jesus sabe que quando a sua obra estiver pronta, o Porto deste ano dificilmente arranjará manta suficiente para a tapar. Mas que fazer quando tudo teima em ficar de pernas para o ar? Vamos por partes.
Defesa. O que se passa na defesa? Será que o nosso quarteto está assim tão mal? Não, não está. O problema do nosso quarteto é o que está à frente dele. O Matic está amuadinho, coitadinho, queria tanto ir para o Chelsea ser suplente, era tão bom viver em Londres. O Fejsa, o nosso maravilhoso scouting não foi suficientemente longe para perceber que o rapaz faz 4 jogos e lesiona-se. Os nossos meninos extremos, defender está quieto, pressionar está quieto. O que é bom é receber a bola e esperar pelo apoio do Enzo, ele que resolva mesmo que eu tenha só um cepo lateral adversário à minha frente. O Ola John está bem é à 1 da manhã, durante a semana, a pedir nuggets no MacDonalds do Fogueteiro. E depois há o Lima, que era suposto ser o nosso primeiro tampão, em vez disso ele é que precisa de um tampão para meter vagina acima a ver se lhe estanca o período.
Depois há o nosso ataque. Maravilhoso ver tanta criativi... Perdão. Tanta previsibilidade. O Siqueira está a justificar bem a festa noite dentro por parte de alguns adeptos. Temos lateral agora!!! Viva o Siqueira, abaixo o Cortez! Poupem-me, nunca vi um flanco esquerdo tão amorfo, tenho a impressão que até o Emerson sabe dar uma linha de passe no ataque, sem se esconder. Tenho a impressão que vi mais vezes o Emerson a chegar à linha de fundo e a partir para dentro da área. O que é o Siqueira até ver? É um cepo ao nível do Emerson ou do Cortez mas com uma ou duas diferenças. Primeiro não é preto, o que desde logo faz com que o adepto benfiquista vire as sinapses logo para o Coentrão em vez de as virar para o Emerson, como fizeram com o Cortez. Sugestão: comecem a olhar para ele como quem olha para o Peixoto. Talvez resulte para perceberem. Depois, a outra diferença, é que o Siqueira ainda consegue ser mais sarrafeiro que o Emerson e que o Cortez. É durinho, dizem! Não, amigos, não é durinho, ele não sabe é o que anda a fazer nem sabe quando deve ser durinho.
Portanto, meus amigos, está na hora do Jesus se armar em moisés e dividir o Mar Vermelho. Calha bem porque até temos uma equipa B e tudo. Quem vai para a margem da equipa B? Simples. Ola John, Lima e a princesa Djuricic. Mas não é ir para a B para serem titulares, amigos. É sentar o cu no banco a ver os miúdos que têm vontade a jogar à bola. Quem vem para a equipa A? Urreta e Ivan Cavaleiro. Joga-se com o Gaitán ou com o Markovic atrás do Cardozo. Fica o Rodrigo como alternativa ao Cardozo. Mete-se gente com velocidade e vontade de jogar à bola nas alas. Reza-se para que o Sulejmani prove os pezinhos que tem. Atrás, devolvam a lateral direita ao Maxi e entreguem a esquerda ao André Almeida, se faz favor. Fica o Silvio para o que der e vier, encostem o Siqueira, devolvam o Cortez.
Algo tem que mudar. Não tenhas medo, Jesus, arrisca. Agita as águas. Devolve a alegria ao clube. Só tu o podes fazer, mais ninguém, no meio de tanta mediocridade.

Paços de Ferreira 0-2 Dnipro - Costinha contra Juande Ramos. E quem o viu e quem o vê. Lembram-se daquele Sevilha do Kanoute, Luis Fabiano, Navas e Adriano? Pois é, aquele futebol de ataque parece que congelou quando este técnico virou agulhas para os gasodólares. O seu Dnipro, com um plantel temível, é uma equipa que se deixa engonhar por um Paços ingénuo do Costinha, que já não sabe mais o que experimentar para dar a volta à situação. Ontem experimentou jogar sem ponta de lança, sem uma referência no ataque, a equipa criou perigo através de algumas bujas ocasionais e pouco mais. Deu-se mal, mais uma vez, num jogo onde também não era expectável que conseguisse muito mais do que uma derrota. Mas contra este Dnipro, dum Juande Ramos que me parece sem a chama de outros tempos, acho que o Paços dos bonés JCA não teria perdido isto. Pessoal, o Mota está desempregado! É só o que tenho a dizer!

Friburgo 1-1 Estoril - O pior resultado da época para o Estoril do Marco Silva! Empatar com a equipa do Gelson Fernandes? Onde já se viu? O Friburgo está a pagar bem a aposta neste cepo e ainda não conseguiu ganhar um único jogo esta época. Nem a contratação do Darida (ex-Plzen) serve para contrabalançar o efeito nefasto que Gelson tem na equipa! De qualquer forma há aqui uma coisa que não percebo muito bem. O Estoril dominou o Friburgo na 2ª parte... O Gelson Fernandes foi substituído aos 46'... Hum... O futebol tem razões que a própria razão desconhece. Primeiro ponto do Estoril nas competições europeias. Só custa o primeiro, a qualificação é difícil mas neste grupo é possível.

Betis 1-0 Vitória de Guimarães - Fernando Russi: Barueri, Limeira, Ituano, Limeira outra vez, Noroeste, Treze (Paraíba, sô, Campina Grande, mané, 4º classificado do campeonato Paraibano!) et voilá... Vitória. Meteu pena. Isto meteu dó. Ver uma equipa cheia de vontade, disciplinada, a chegar bem ao último terço, para depois este rapaz ou estar fora de jogo, ou se esconder ou nem sequer conseguir dominar uma bola. É mau demais. Nunca pensei que o Maazou fizesse tanta falta! O Vitória não é inferior ao Betis (pelo menos ao Betis que joga na Europa) e vai mostrá-lo no Afonso Henriques. O Vitória é a maior esperança portuguesa na Liga Europa. Não vejo o Lyon ou o Betis a ganhar em Guimarães!


2 comentários:

  1. Boas AVB,

    Foi pena de facto o Estoril, tive oportunidade de ver a segunda parte e merecia mais. Alias, Marco Silva merecia sobretudo uma segunda linha para levar este Estoril pelo menos à segunda fase da prova. Não deve ser fácil compensar ao fim-de-semana estes jogos. Contudo como se pôde este domingo contra os insulares, grande regresso às vitorias. Tenho pena que jogadores como Balboa ou Carlitos levem todos os holofotes pa casa. Nos cafés é sempre a mesma conversa. Não que não os estejam a merecer mas Filipe Gonçalves foi bem sacado ao Moreirense e Gonçalo tem chegado pás encomentas. Tivesse o Estoril mais uns trocos pa gastar...

    um abraço para todos os participantes do blog mais underrated que conheço. Tivessem mais a qualidade deste.
    Continuem!

    ResponderEliminar
  2. João, muito obrigado pelas tuas palavras. A sério.

    Quanto ao que escreveste sobre o Estoril, tens toda a razão, o Balboa continuará sempre a ser um cepo só que neste momento é um cepo que está a ser muito bem utilizado. Contra o Maritimo, que tinha a responsabilidade de assumir o jogo, com espaço, o Balboa torna-se perigoso. É um jogador com menos talento que o Sebá ou que o Luis Leal mas para este tipo de jogo, com metros pela frente, é muito útil.

    Abraço!

    ResponderEliminar