sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Conta aquela, avôzinho! Nº2



Barcelos, anos 90. Francisco Magalhães, o presidente que usava sempre lenço ao pescoço, autor de célebres frases como "não sabemos qual é a maneira mais económica de ir à Madeira: avião ou autocarro", desesperava por escudos em Barcelos enquanto o seu Gil desesperava para fugir à Liga de Honra. O Gil Vicente já não contava com astros de outros tempos como Mangonga e fazia tudo o que podia para resgatar Carlitos, o menino de oiro de Barcelos, ao Poli Ejido.
Manuel Barbosa, famoso empresário de jogadores nos anos 90, responsável por variados supernegócios com o Benfica, entretinha-se a roubar em comissões aos famintos clubes que desesperavam afogados na crise. Era, no entanto, responsável pela operação que colocaria Carlitos de regresso a casa, responsável por todas as esperanças de um Gil Vicente de futuro, mas Francisco Magalhães e o lenço não dormiam...


- Toue
- Manéil, tásjaonde?
- Quem fala?
- É Magalhães. Olha
- Diz
- Olha passa aqui no gabinete. Tás a ouvir?
- Sinhe. Tá beim. Pra quê? É do Carlitos?
- É pra falar do Carlitos tásjobir.

E lá foi Manuel Barbosa, com as luvas na mente, rumo ao Adelino Ribeiro Novo. Mas Francisco Magalhães não é de luvas, é mais de lenços...

- Olhá ássenta-te aí na cadeira
- Então o Carlitos já chegou?
- Olhá e o que me deves, carai? Trouxeste o cheque?
- É pá Magalhães, num trouxe cheques comigo, essas coisas sabes bem que é a minha mulher
- Ai o carai. Mas quem é que o carai... Ai que eu me passo...
- É pá ó Magalhães tu tem calma! Vamos conversar!
- Ai o carai olha lá ó Manel tu sabes p'ra qué que eu quero o lenço?
- Hum?
- Eu tenho o lenço que é para não guardar impressões digitais carai. Sabes disso?

E nisto Francisco Magalhães abre a gaveta da sua secretária, pega no seu revolver e encosta-o na cabeça de Manuel Barbosa.

- Passas ou não passas o cheque hum? PASSAS OU NÃO PASSAS HUM?
- Passo. Senta-te aí. A conversar é que a gente se entende.

E foi assim que Manuel Barbosa começou a transpirar das mãos sempre que tentava passar a perna a mais um dirigente português. Em 2000 resolveu rumar a outras paragens por causa do trauma e deixou como sucessor no Benfica e em Portugal, José Veiga. O seu legado, no entanto, é visível... Hoje os empresários controlam selecções, clubes, dirigentes, treinadores e se eles quiserem até as vossas primas. Depois disto, foi sempre a cair para Manuel Barbosa... (não sem antes conseguir uns negóciozitos à pala do Euro 2004)

Já Francisco Magalhães, este herói de Barcelos tem hoje uma empresa, a Imovalor, agente imobiliário, conseguiu sair brioso do mundo do futebol, algo que não é para todos. Tem hoje uma vida agradável nesta cidade pacata do Minho.

Já Carlitos... Bem... Fica a memória...

2 comentários:

  1. Que buja de blog! Muito bom! Subscrito :D

    ResponderEliminar
  2. a gerência agradece o comentário. Tens nome de jogador da bola nascido em cabo verde mas com ascendência sueca

    ResponderEliminar